Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, fevereiro 10, 2019

Do desprezo pela vida.
Da magia da vida.


Olho para a actuação da suposta enfermeira Ana Rita Cavaco (essa deslumbrada laranja passista que, como tem vindo a ser público, a têm levado a ser inquirida pela Judiciária por ser acusada de usar e abusar dos recursos da Ordem a seu bel-prazer e com pouco ou nenhum rigor)  como uma vergonha e um perigo.

Tenho falado disso e só descansarei quando as acções da criatura forem neutralizadas e quando os sindicatos que estão a ser manipulados por ela -- ou por mais não sei quem -- perceberem que estão a destruir a boa imagem que tínhamos dos enfermeiros. 

Tem razão Pacheco Pereira ao associar aos enfermeiros que enveredaram por este sinistro caminho de pôr em risco a vida dos doentes a mão de sangue que aparece no cartaz da Greve Cirúrgica.

Ou muito me engano ou esta Cavaco não vai acabar bem. Intuo que vai acabar por ter um triste fim. As notícias que estou a ver na TVI são o prenúncio do que aí pode estar para vir. 

É que, cá para mim, a procissão ainda vai no adro. Veremos se não haverá surpresas quando se conhecerem os financiadores anónimos da greve. O pior é que esta anti-enfermeira Cavaco está a arrastar a classe profissional nesta perigosa deriva que -- supostamente por ganância mas sabe-se lá por que mais -- a está a afastar do reconhecimento público.

Sinto asco ao ver as mensagens e ouvir os telefonemas dela e de um seu colaborador aparentemente a incentivar a greve, aparentemente a instruir os sindicatos. Sinto uma vergonha alheia quando ouço o que dizem ignorando completamente as sinistras consequências dos seus actos. Sinto um incómodo enorme ao ver como estes enfermeiros não sentem respeito ou compaixão pelos doentes.

.................................


Mas se, por um lado, temos, neste nosso simpático rectângulo, uma classe profissional que não se importa nada de pôr em risco a vida das pessoas, por outro, abstraindo-nos deste período negro que atravessamos no país, podemos testemunhar os extraordinários avanços científicos que nos permitem assistir ao milagre do surgimento da vida.


O vídeo que aqui partilho convosco é emocionante, inexplicável, assombroso, uma daquelas improbabilidades mágicas para a qual teremos que convocar todas as divindades ou avanços científicos para perceber a maravilha do que nos é dado ver.


Vamos ver um pequena célula que se vai dividindo até que se forma um organismo. Neste caso vai nascer uma salamandra. Mas podia ser qualquer outro bichinho, até um humano.

O autor deste vídeo é Jan van IJken. O nome do filme é, em si, sugestivo: Becoming.

Becoming: From zygote to tadpole, in six stunning minutes




Viva a vida.

9 comentários:

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

O finaciamento e os interesses a montante, foi a tal investigação que aludi ser necessária.
Fantástica ode à vida.

Bom Domingo.

Abel Pacheco disse...

Estes Cavacos sempre tiveram atrás dos arbustos a atirar pedras, foi com Torres Couto da UGT, foi com Mário Soares com José Sócrates e agora esta nova Cavaco a mandar matar doentes e acabar com SNS

bea disse...

É uma triste novela a greve dos enfermeiros.
Suponho que as salamandras sejam benéficas para alguma coisa. Por mim, os ovos delas não fecundavam.
O milagre da vida é tão inexplicável com filme como sem ele. Filmado parece-me ainda mais miraculoso.

Leonor Santana disse...

Já nem posso ver a cara desta Cavaco!

Um Jeito Manso disse...

Olá Francisco,

A Dona Cavaca II já veio garantir que quem financiou não foram interesses privados. Ora se parte dos 'donativos' são anónimos, como é que ela pode garantir quem 'não foi'?

De cada vez que fala, ela enterra-se um bocadinho mais.

Uma boa semana, Francisco.

Um Jeito Manso disse...

Olá Abel,

Já Shakespeare escrevia: 'What's in a name'. Está-lhes no nome (e isto sem ofensa para os Cavacos que não se situam na esfera pública e que até podem ser boa gente).

Acresce que esta não é só o nome: é a cara. E é ser ferrenha defensora da linha Passos Coelho do PSD. É que um mal nunca vem só.

Uma boa semana!

Um Jeito Manso disse...

Olá Bea,

Não acha as salamandras bonitas? Eu acho que nunca vi nenhuma. Mas vejo no campo as lagartixas ao sol e acho-as tão bonitas, tão perfeitinhas, aquelas patinhas tão bem feitinhas.

Tudo na natureza é perfeito. Maravilho-me com tudo. Não sei como o acaso pode dar origem a tais milagres. O mundo é o reino dos milagres.

PS: Já lhe disse que escreve muito bem? Gosto imenso da sua Erva Príncipe.

Uma bela semana, Bea!

Um Jeito Manso disse...

Olá Leonor,

Já somos duas: só de vê-la já me dá ânsias.

Uma boa semana!

Abel Pacheco disse...

Está gente são uns trastes, tenham uma boa semana.