Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, agosto 02, 2015

Os PaFs querem voltar a aboletar-se no governo depois das próximas legislativas e, para isso, apresentaram com empáfia e circunstância um programa vazio e uma mão cheia de PaF-Paf-candidatos. Pois não tenho nada a dizer porque tudo aquilo é uma mão cheia de nada, uma coisa pafonada por uma linha de água rasa, um zero acabado. Mais diz Miss Wendy, a cadela do ventríloquo Marc Métral, em 3 minutos do que aquelas empafiadas criaturas todas juntas durante a sua vida inteira.


Tendo andado um bocado afastada e desinteressada das vacuidades pafientas, aproveitei a noite de sábado para tentar suprir tão grave lacuna. E, vai daí, fui investigar o que se propõem fazer as desclassificadas criaturas que nos têm andado a desgovernar. 

Permitam que transcreva:

PSD e CDS-PP prometem rever os feriados em 2016, alargar a ADSE a outros trabalhadores, permitir aos funcionários públicos trabalhar para lá dos 70 anos. O plafonamento voluntário da Segurança Social, o alargamento do quociente familiar em sede de IRS e a Tabela Única de Suplementos voltam a constar da lista de propostas


Só coisas boas, portanto. Os mais descarados e mentirosos de que há memória e que têm andado a dar cabo do país, aí estão de novo em acção, vendendo banha da cobra a prestações. 

Quem não os conhecer que os compre.

Mas, tolerante que sou, não fosse dar-se o caso de os jornalistas estarem a escamotear informação relevante, dei-me ao trabalho de ler o programa dos PaFs. Num instante se lê porque mais parece uma redacção feita por jotas a quem foi ministrado um curso de escrita técnico-vazia a la minute. 

Retiro uma ou outra pérola:

Aprofundar a vertente de apoio à comercialização da política de promoção, de modo a que a promoção do destino possa servir também para apoiar e complementar o esforço comercial do sector privado, através da atuação junto de operadores turísticos, de canais de distribuição dos mercados externos, de workshops, farm trips, etc.
Ou seja, um arrazoado que não diz nada, com farm trips à mistura.
ou 

Uma Saúde moderna, competitiva e com liberdade de acesso     
Saúde moderna? O que é uma saúde moderna? É um estilo? Não saúde barroca, não impressionista, não contemporânea, não abstracta? Saúde moderna, portanto. 
ou

Reforçar a transversalidade das políticas de JUVENTUDE
E o que é isso da transversalidade das políticas? Não políticas para nichos? Não para guetos? Não para elites? Não para a ralé? Não? Transversalidade nas políticas. Boa.

Tretas.

Acho que, perante um documento em que nada é fundamentado ou quantificado e tudo não passa de conversa para encher chouriços, a única atitude sensata é passar por cima, ficar à espera que apareça alguma coisa a sério. Enquanto os empafiados andarem nisto, de atirar com folhas cheias de conversa da treta para os olhos dos crédulos, é de nem lhes dar troco. Que continuem a abraçar-se uns aos outros, a cantarem em coro como se estivessem na igreja evangélica do reino dos paf-pafs e que nos deixem em paz que a gente tem mais que fazer que aturar artistas de quinta categoria.

Ora vejam, por favor, no vídeo da apresentação do Programa Eleitoral da Coligação dos PaFs - Agora Portugal pode mais - como as bocas dizem uma coisa, as vozes dizem outra, e nada daquilo bate certo porque é tudo uma conversa vazia, da mais pura propaganda vendilhona. E aquelas caras, senhores, aquelas caras que preferiríamos ver longe de nós, bem longe, onde não pudessem prejudicar-nos mais... é que estão lá todos caídos outra vez... Não há pachorra.




Melhor que eles sabe Miss Wendy fazer. E é peludinha e fofinha ao passo que por ali só vejo mal encarados e até um mal afamado cão com pulgas que por aí ainda anda à solta (e sem coleira).


O ventríloquo Marc Métral e a sua cadela Miss Wendy  na Semi-Final 4  de Britain's Got Talent 2015



...

Se apenas pudesse votar na dupla pafiosa Passos Coelho & Paulo Portas ou em Miss Wendy, obviamente votaria em Miss Wendy. De certeza que faria menos mal ao país do que a dupla canora Láparo & Vice-Portas.

....

Permitam: se vos apetecer ouvir o Bolero de Ravel com os pés dentro da piscina, desçam, por favor, até ao post seguinte.

.....

Desejo-vos, meus Caros Leitores, um belo dia de domingo.

..

1 comentário:

Anónimo disse...

Esta canalha prepara-se para entregar o ouro ao bandido, como dizia o outro, o da Comissão, ou seja, entregar a Segurança Social às Seguradoras Privadas. Uns pulhas. A seguir deveria ser a Saúde, toda, e por aí em diante. Com tempo, até privatizavam o governo e o PM passava a CEO de Portugal Companhia (ou Soberania?) Limitada. Uns trastes, estes Passos, Portas e seus sequazes. Mas vão levar um valentíssimo pontapé naqueles coiros a 4 de Outubro. E depois estou para ver que tipo de discurso fará aquela criatura patética de Belém, sobre os resultados.
P.Rufino