Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, outubro 27, 2014

Alô, alô Ricardo Costa do Expresso! Sabe porque é que as eleições legislativas devem ser antecipadas? Eu sei que não sabe. Mas deixe que eu tente explicar-lhe, está bem?


Nos dois posts abaixo estive a dedicar-me ao humor que os Leitores, a quem agradeço, me enviam. Condimentei-os com uns toques cá à minha maneira porque gosto de textos bem aromatizados.

Depois de os escrever, estava com o computador empanado e, depois de ter tido a casa cheia até pouco antes e, portanto, estando com vontade de descansar, tinha dado a noite por feita - mas eis que me pus para aqui a mexer e parece que isto já está outra vez mais ou menos.


Por isso, regresso para dizer ao Ricardo Costa do Expresso duas coisas:



1ª Mal o meu marido pega no jornal e chega à sua coluna, dá-lhe sempre uma fúria e interroga-me sobre a razão pela qual ainda compro o Expresso. Acha-o de vistas curtas ou muito tendencioso e isso incomoda-o. Eu também acho e, por isso, não lhe dou grande atenção, passo à frente. Mas saiba que o seu estilo e a sua visão das coisas deve levar a que o jornal perca muitos leitores. E olhe que quem avisa seu amigo é.


2ª Mas desta vez fui ler a sua crónica para ver o que é que tinha arreliado outra vez tanto o meu marido. Disserta V. sobre a desvantagem ou inutilidade de serem antecipadas as eleições legislativas. O seu raciocínio é simples como o de qualquer burocrata: se é suposto um mandato durar 4 anos, é isso que deve acontecer. 


Pois permita-me que lhe explique, fazendo a demonstração por absurdo:

  • Suponha o Caro Ricardo Costa que contrata por 3 anos um jornalista para a redacção do Expresso e que não há uma que ele faça direita, inventa, escreve mal, arranja intrigas, causa problemas, desencadeia uma série de processos contra o jornal, etc. Vai mantê-lo em funções apenas porque era suposto que ele lá ficasse 3 anos?
  • Ou suponha o Caro Ricardo Costa que contrata uma empregada doméstica para lhe tratar da casa durante 1 ano. Suponha o meu Caro que ela todos os dias lhe parte ou rouba qualquer coisa ou estraga tudo onde mexe. Todos os dias. Só porque a contratou por 1 ano vai mantê-la em funções?
  • Ou suponha o Caro Ricardo Costa que contrata uma ama para tomar conta do seu filho bebé até ele ter idade de ir para o infantário. Contudo, constata que se enganou na escolha já que ela alimenta mal a criança, não lhe muda as fraldas, deixa-a a chorar todo o santo dia e, ainda por cima, lhe chama piegas e diz que, se não está bem, pois que saia da sua zona de conforto. Mantê-la-ia em funções?

Do que lhe conheço, talvez os mantivesse em funções mas deixe que lhe diga: faria muito mal.

Há casos em que o dano é tão grande que, por cada dia que passa, manter uma pessoa ou uma equipa em funções é fatal.

Passos Coelho, Paulo Portas e as restantes criaturas que compõem este indigente desgoverno mais não fazem, a cada dia que passa, que destruir o país de todas as maneiras possíveis e imaginárias. É da mais elementar razoabilidade tirá-los de lá o mais depressa possível. 


Destruir é sempre mais fácil do que reconstruir.

Ainda só lá estão há 3 anos e picos e até é a Albuquerque que já assumiu que nem 10 anos vão ser suficientes para que se volte ao que era antes. Imagine-se se ficarem muito mais tempo...

Dir-me-á, o Caro Ricardo Costa, que nem todas as desgraças são da responsabilidade deste governo. Pois não.

Mas vamos outra vez por absurdo: suponha o meu Caro que lhe dão para as mãos um autocarro que não é grande espingarda, já com alguns problemas, e lhe pedem que o conduza durante 4 anos mais.

Uma pessoa atilada, dentro das limitações e condicionalismos que tinha, perceberia os pontos fracos e fortes do autocarro, avaliaria o caminho a percorrer, tentaria reparar a viatura, tentaria escolher o caminho mais adequado, enfim, tentaria controlar os danos, mitigar os riscos, fazer o melhor possível. 

Mas imagine que o Caro Ricardo Costa se acha o maior da cantareira (e, por acaso até se acha, não é? mas isso agora não vem ao caso, deixe) e que se arma em leão e diz que os outros calaceiros é que não queriam andar com o autocarro, uns piegas, mandriões, que V. vai tirar umas peças para ele ficar mais leve (talvez até dissesse que lhe ia cortar umas gorduras), vai deitar pessoas pela borda fora, que vão a pé, ora essa, e uma enxadinha nas mãos também não lhes fazia mal, e tirava os bancos, pois que vão no chão (e a Jonet até era capaz de ir mais longe e dizer para irem só com um sapato, que isto de se querer andar com dois sapatos é para quem pode, não para quem quer) e tirava as janelas, ora para que é que querem evitar o vento e a chuva na cara, gente que não sai da zona de conforto, e tirava algumas velas ao motor, e toda a gente lhe dizia que V estava era a estragar ainda mais o autocarro e V. que não, que se teria era que tirar mais umas quantas peças para ver se a receita fazia efeito, e que, para ter dinheiro para reparar a viatura, vendia o volante, os pedais e o travão de mão, e como a viatura ficava descomandada, atacava noutra área, e tirava o reservatório do óleo, e, mal se cruzasse com uns chineses, vendia-lhes a bateria e mais o que eles quisessem, e se aparecessem angolanos ou colombianos tanto melhor que talvez ficassem com o resto, incluindo com a chave da ignição.

Então? 

O carro já não lhe tinha chegado às mãos em grande forma mas, caraças!, o que é que V. lhe tinha feito a seguir...? Só porcaria atrás de porcaria, certo? Espatifou com tudo e muito de forma irreversível, não foi?

Deixar o Passos Coelho ficar ainda mais 1 ano, pretende o Caro Ricardo Costa? Mas para quê? 

Só se acha que isso ia tirar Cavaco Silva do seu sossego e não lhe parece isso bem. É isso?

Acha mesmo que os portugueses, fustigados, empobrecidos, tantos que se viram desgraçados, escorraçados, desprezados, separados das suas famílias, deverão poupar a dupla Cavaco Silva e Passos Coelho e deixá-los estar paulatinamente entregues à sua missão de destruir o País até ao fim do mandato? Acha? Explique lá isso melhor, se faz favor. E devagarinho, que eu eu sou assim mais para o lerdinho.


___


Relembro: este é o terceiro post desta noite e o mais desagradável. Os dois que se seguem contêm humor e poesia e música e etc. e permitem lavar a mente já que estes de quem acima falei só nos dão desgostos.

___


Desejo-vos, meus Caros Leitores, uma bela semana a começar já por esta segunda-feira.


4 comentários:

Anónimo disse...

na capital - http://www.youtube.com/watch?v=jJM8Ik6MM4o

Anónimo disse...

e a caravana passa - http://www.base.gov.pt/base2/rest/documentos/66814


Hotéis do BdP

FIRME disse...

Boa tarde!!!Que puxão de orelhas,ao Ricardito...!Na hora---H----,Pois o moço de recados é de tão fraca qualidade,que me admira alguém do jornal,com lucidez,ainda não tenha reparado nisso! No caso do dono daquilo...nem admira! Então o rapazeco,carrega um apelido,e envergonha-se?Da mãe?Do pai???,Apanhou sol a mais??? Pelo jeito sim...e afetou-lhe a massa cinzenta do cérebro,aquela que define um ser humano com espinha dorsal,dum reles caracol que morre confortavelmente num tacho,com alhos,sal e orégãos...! Que vá assinando os recibos verdes até que lhe deiam um pontapé no cú...Gostava de falar do sr,batista bastos,por aqui referido...mas o tacho no correio da manha,onde vai orgulhosamente escever(dixit)...não leio !

Antonio Cristovao disse...

A escrita como ficção parece-me bem.
Se é para ser a sério denota um aproveitamento do nome do visado para com argumentos falsos ser popular:
1º O RCosta é irmão do dãosebastião Costa ungido a futuro 1º- só lhe interessava defender a antecipação e assim seria tendencioso.
2º Penso que cai bem comparar vida diaria com governo mas sem querer polemizar se pensar um bocadinho é duma demagogia bem humorada, mas não deixa de ser demagogia barata.