Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, fevereiro 23, 2014

Relvas está de volta, o saudoso Vai-Estudar-Ó, regressou pela porta grande. Isto é o PSD no seu melhor: quando toca a reunir, toda a tralha se põe a postos


Pouco posso dizer. Com a casa cheia, bagunçada, programa todo o santo dia, passeios, brincadeiras, risos, uma animação permanente, refeições concorridas, esta sala transformada em acampamento, foi só há pouco que me dei conta de que o Láparo repescou o seu autor, o grande ideólogo Relvas, para um cargo importante nas estruturas do partido. 

Agora, sim, o PSD está mais composto. 

Com o Cão com Pulgas, com o extraordinário Relvas, com o jovem Hugo Alexandre, com o agora-magro Rangel a emprestar a sua bonomia para dar um ar decente à mal afamada casa, e com o apoio do grande ginasta Marcelo que faz flic-flacs à rectaguarda e triplos mortais encarpados e o que for preciso para ter audiência, do pequeno Marques Mendes que diz isto e o seu contrário com o despudor da mais descarada das madames de má vida, e ainda com o Santana que se pela por ouvir aplausos e dizer gracinhas com ar blasé, agora, sim, o PSD está completo. Um grande clube de oportunistas, troca-tintas, mercenários, rameiras, intriguistas, badalhocas e flausinas - tudo em sentido figurado, claro, que eu cá sou muito dada à metáfora.

Responsáveis por um descalabro como não há memória, por um soez ataque aos portugueses, apresentam-se agora como se não fosse nada com eles, como se só tivessem andado a fazer coisas boas e, desavergonhados como são, riem muito e fartam-se de bater palmas. Palhaços.

Ainda bem que não vi muito para não me indispor. 

Mas por aqui me fico porque quero ver o Downton Abbey e estou praticamente às escuras e sem som na televisão, tenho mesmo que seguir pela leitura das legendas. 


Desejo-vos, meus Caros Leitores, um belo domingo.

2 comentários:

Anónimo disse...

Aquele Congresso do PSD é daquelas coisas que só servem para um tipo arranjar uma complicação intestinal.
E depois, a ouvir e ver o tal Láparo (como dizia Aquilino), ficamos a pensar que o cabotino não faz a mínima ideia do que é o pais real. Nem ele, nem os cretinos que o rodeiam.
E o aparecimento desse monte de trampa do “Relles” só serve para nos recordar que este PSD, liderado por esta gentinha de má porte moral e político está mal, muito mal e já não se recomenda.
Aquilo mete nojo aos cães!
P.Rufino

jrd disse...

Eu comecei a divertir-me logo na primeira noite, quando ouvi dizer que o La Féria se assustou e mandou o porteiro dizer que não estava e que o elenco estava completo.