Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, abril 24, 2018

Quando a arquitectura inspira e liberta os corpos


Faz uns anos descobri, e foi amor à primeira vista, a arquitectura de Luis Barragán. Os volumes, as cores das paredes conjugadas com os jogos de sombras, os pátios, as escadas, os reflexos de luz sobre as cores quentes das construções -- tudo aquilo me pareceu fascinante. 

Na altura em que pintava, muitas vezes me inspirei nele. Inúmeros quadros meus contêm apontamentos que são fruto das imagens que guardo da sua obra. Foi, pois, com surpresa que ao abrir o Youtube descobri que o querido algoritmo tinha posto toda a sua inteligência artificial em acção para me surpreender e agradar: um vídeo de dança através de um edifício Barragán. Maravilha.

Enquanto espero que os meus meninos cheguem, que hoje vai ser jantarada e festa rija com fogo de artifício e tudo (que o 25 não se pode fazer por menos), vou ver de novo e partilho convosco, transcrevendo a apresentação no Youtube:
Iconic Mexican architect Luis Barragan’s Casa Gilardi — an iconic modernist house in Mexico City — hosts a body-bending dance troupe who twist and move through the geometric building’s colorful spaces and rooms. Director Andres Arochi explains his interest in experimenting with the physicality of Barragan’s architecture: “I wanted to play around with and explore the architect’s design. He knew exactly when and where people stand, and how the combination of light and space makes them feel.” Continuing, he notes that:  “When we began shooting, magic started to happen. Light burst in through the window, and the dancer’s bodies started to flow in a way I had not anticipated.”


....