Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quinta-feira, abril 26, 2018

Macron e Trump, in love
[E a extraordinária linguagem corporal dos dois casais]


Já ontem tinha tido vontade de aqui partilhar alguns momentos mimosos e bizarros da visita do casal Macron na sua recente visita aos States e ao peculiar casal Trump. Mas sendo que o assunto que me motivava era o 25 de Abril, não quis misturar fenómenos do Entroncamento com uma data tão especial.

Pois bem, não consigo esperar mais. Sem que consiga dizer alguma coisa sobre o tema já que, perante acontecimentos do além, tendo a ficar muda e queda, deixo aqui ficar algumas imagens que demostram o bom clima entre os dois fantásticos casais que, pelo que parece perceber-se, disputam entre si quem faz a pose mais inesperada (ou amalucada, como se queira).

Os jornalistas e blogueiros que defendem que é importante que a transmissão televisiva dos interrogatórios judiciais aconteça -- para que nós, jurados do povo, através da sua linguagem corporal dos inquiridos, possamos julgá-los ajuizando se o que dizem é verdade -- talvez saibam interpretar as pernas abertas da Brigitte, as inacreditáveis poses da Melania, os beijinhos e as mãos dadas do Donald e do Emmanuel ou o beija-mão deste último à dúbia primeira-dama americana. Eu não sei. Limito-me a achar que tudo aquilo me parece um filme cómico.








...................................................................

Olha as mãozinhas....


.......................................

E mais não digo pois não sei mesmo o que dizer. Macron ter aparecido ao lado do palhaço Trump e da taralhouca May na fantochada do pseudo ataque aos depósitos de armas químicas da Síria deixou-me intrigada e agora este climinha de amor entre ele e Trump é o corolário da minha incompreensão.  E não são as aparentes críticas de Macron a Trump no Congresso que me ajudam a esclarecer qual a verdadeira relação institucional entre os dois estados. Ou Macron é mais esperto do que possa parecer ou é mais parvo do que se julga. Por isso, deixo as especulações sobre o tema para quem perceba alguma coisa de jogos de xadrez com peças de fabrico incerto.