Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quarta-feira, março 08, 2017

Eu, mulher


Não é por amanhã ser Dia da Mulher mas porque me falta assunto. 


Podia dar um giro pela blogosfera e fazer uma reportagem sobre o que chamasse a minha atenção mas não me apetece. Ou podia ver os jornais mas era capaz de me amofinar. Podia ver a televisão e comentar a primeira porcaria que me aparecesse. Ou poderia ficcionar. Mas estou com preguiça. 

Por isso, vou aqui colocar um vídeo que já aqui pus, que me lembre, umas duas vezes. Gosto muito do poema que aqui é lido, o Segredo. Num muro in heaven escrevi-o à mão e ao lado pintei uma mulher a tirar o vestido pela cabeça. Pena não ter uma mulher a dizê-lo. Podia dizê-lo eu, gravar e colocar aqui. Mas não o faço por razões mais do que óbvias. 

Para fazer contraponto à voz do Pedro Lamares, coloco aqui três fotografias de Guy Bourdin. Gosto bastante da obra de Guy Bourdin, acho que soube captar a graça e irreverênvia das mulheres que gostam mesmo de ser mulheres.


Eu gosto muito de ser mulher. Acho que nem conseguiria fingir ser homem. Sinto-me completamente mulher, nunca senti necessidade de me masculinizar, nunca tive vontade de ter nascido homem. Gosto do meu corpo de mulher. Gosto muito de louvar as mulheres. Acho que só gente muito estúpida é que pode achar que ser mulher é pouca sorte ou que mulher é gente que ainda se encontra num patamar inferior aos dos homens. Nem inferior nem superior. Ao lado.

Gosto da minha vida de mulher: de mulher-mulher, de mulher-mãe, de mulher-trabalhadora, de mulher-que-lê, de mulher-que-escreve, de mulher-que-ri, de mulher-que-gosta-de-provocar, de mulher-que-se-está-nas-tintas, de mulher-que-gosta-de-política, de mulher-que-gosta-de-comer-e-beber, de mulher-que-gosta-de-ser-gostada. E etc.



Não contes do meu 
vestido 
que tiro pela cabeça 

nem que corro os 
cortinados 
para uma sombra mais espessa 

Deixa que feche o 
anel 
em redor do teu pescoço 
com as minhas longas 
pernas 
e a sombra do meu poço 

Não contes do meu 
novelo 
nem da roca de fiar 

nem o que faço 
com eles 
a fim de te ouvir gritar


______________

Até já.

...........................

Sem comentários: