Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sexta-feira, fevereiro 10, 2017

Be wild.
Be cool.



Há tempos tinha recebido o vídeo com indicação de que era muito bonito. Calhou quando andei com torcicolo e tomava o relaxante muscular que me deixava pedrada de sono ou quando cá tive pessoalzinho de pernoita. Passou-me. Ontem lembrou-me e eu pedi o favor de mo enviar de novo. São imagens muito belas.

Recebi um mail há dois dias lembrando-me que é preciso arranjar tempo para viver com tempo no tempo antes da reforma, quase como conseguir ter uma vida dupla. Como eu percebo isso. Se paro para pensar, percebo o tempo a escoar-se e eu presa em filas de trânsito, contrariada em restaurantes a que não queria ir (mas não tenho tempo para ir a casa ou para qualquer outro no meio de uma montanha ou na beira do mar), em reuniões intermináveis, a tratar de assuntos que sei não terem qualquer relevância ou a ter que participar em encontros que são pura perda de tempo.

Mas não é fácil dar um pontapé numa vida cheia de responsabilidades nem abdicar da segurança (a ilusão da segurança, melhor dizendo) que, bem ou mal, se sente ao pensar que se tem uma carreira contributiva longa e, portanto, se poderá ter, mais tarde, uma vida desafogada. 

E depois vejo um filme destes e penso quão mais inteligentes que eu são estes elegantes animais.

A serenidade, a beleza, o silêncio maravilhoso que deve envolver aquelas felizes criaturas...

(Vejam, por favor. A música é enervante, de uma tremenda falta de gosto. É melhor tirar o som.)

Drone & Tigers



......

Desejo-vos uma sexta-feira tranquila.

.....

2 comentários:

Anónimo disse...

300 quilos de agilidade espantosa! Que maravilha! Felizmente que aquela população de tigres siberianos está, finalmente, a crescer! Graças ao apoio das autoridades locais. Aos poucos!
Um pouco como o lobo ibérico por cá, em Portugal. Fico satisfeito!
P.Rufino

bea disse...

Ora, e ainda bem que estão na Sibéria. Isso a mim descansa-me um bocado. Que cresçam e se multipliquem. Mas não saiam de lá.