Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, setembro 26, 2016

Pessoas e bonecos na Baixa de Lisboa


Começo por onde este domingo comecei: pelo Terreiro do Paço onde decorria o Pitch Market. Dia de sol de outono, temperatura amena, manhã boa para palmilhar as ruas da Baixa.

Por ali andei, turista, nariz no ar, sondando as diferenças, sentindo o ar do tempo. Respiram-se ventos que vêm de longe, de muitas outras terras, a diversidade é total, a aceitação absoluta. Há alegria nas ruas, há um movimento tranquilo que se mistura com a luz dourada, há música, há um colorido cosmopolita. Gosto cada vez mais de Lisboa.

Se forem descendo, depois deste post, encontrarão outros (digamos que) mais temáticos. Este não, este é generalista: mostro as pessoas e os bonecos que, por estes dias, habitam esta zona de Lisboa. Espero que gostem.

Girafa no Pitch 

Porco no Pitch


A segunda noiva que, este fim-de-semana, vi em despedidas de solteira. rodeada de amigas
(ainda hei-de perceber a lógica ou a graça destas 'cenas' mas a noiva estava a divertir-se e isso é que interessa)

Mulher com asas na cabeça e com Gaivota
(Se eu fosse jornalista, teria entrevistado esta mulher com tão altivo porte)


E a praia logo ali: banhos de sol no pequeno areal junto ao Cais das Colunas


Depois da corrida, os alongamentos
(outra fantástica figura, a quem eu também teria entrevistado de bom gosto)


O rapaz das longilíneas e abstractas bolas de sabão
(a topologia mora aqui, ai mora, mora)

E a bola alongada divide-se em múltiplas bolas de várias dimensões que deslizam até se desfazerem no ar,
fazendo a delícia de quem as vê


Uma cidade luminosa que apela aos afectos


As omnipresentes selfies.
Neste caso era o homem o mais aficcionado, munido de um pau-de-selfie,
perante o que me pareceu ser a indiferença da mulher


O homem e a mulher estátua, junto de quem, a todo o instante, os turistas se sentam para serem fotografados.
Quando alguém dá uma moeda, o homem leva a mão ao boné e ambos esboçam um leve sorriso


Música a sério na Rua do Carmo


No passeio em frente, apanha-se sol na maior descontracção enquanto se ouvem os violinos

Finalmente um clássico do Chiado: uma das sempre muito bem concebidas montras da Hermès
_______

Beijo de saudade


___

Se alguma das pessoas que aparece no post não quiser aqui figurar, bastarará provar que é essa pessoa e pedir-me para retirar a fotografia que, assim que possível, o farei.

______

E queiram, meus Caros Leitores, descer até ao post seguinte para continuarem o passeio por esta Lisboa que eu amo.

_____

2 comentários:

bea disse...

É uma aguarela a nossa Lisboa velhinha.

P. disse...

Lisboa, como bem diz, está uma capital cada vez mais bonita e entusiasmante de visitar e nela se passear. Sobretudo nas zonas mais antigas. É com enorme gosto que vejo todos os dias imensa gente estrangeira a calcorrear as suas ruas, praças e avenidas. Direi mesmo que até há cada vez mais gente que nela vive que a redescobre e que vem de outros pontos do país para a revisitar! Já tive a oportunidade de conhecer várias cidades europeias e confesso que esta Lisboa actual ombreia com as mais belas dessas cidades, se não ficar à frente de muitas delas. É extraordinário, quando agora viajamos lá por for, vermos os elogios à nossa capital, sublinhando a sua beleza, património, gentes, gastronomia, atmosfera, o Tejo, etc. É um orgulho termos uma capital como a nossa! Não sei bem o que as eleições autárquicas nos irão trazer, mas, goste-se ou não de Fernando Medina, há uma qualidade que o homem possuiu: tem uma visão para a cidade. Quer melhorá-la, torna-la ainda mais atractiva. E isso é bom. Outra coisa que me diverte e aprecio é o gosto de se andar de bicicleta pela capital. Um hábito que esteve sempre afastado, mas que começa a impor-se. Ainda bem! Lisboa combina elegantemente a modernidade com a História e a sua antiguidade. E ao que vou sabendo ainda será mais verde no futuro. Excelente!
Goze bem esta sua Lisboa UJM, que é um pequeno grande tesouro! Sempre que por razões pessoais ou profissionais tenho de andar pelas suas ruas e zonas mais históricas e antigas desta nossa maravilhosa capital, fico encantado! E vê-se muita gente bonita nesta Lisboa.
Boa semana!
P.Rufino