Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sexta-feira, março 11, 2016

O que é que a Cristina Ferreira, a Miss WeBrand, tem?
Ligações à Gaianima?
Conhecimento de muitos segredos do PSD? Amizade com nomes grados do miolo do mundo laranja?
-- Pois não sei. Só sei é que há um post meu que está, desde ontem, a ter um número invulgar de visitas.


Cristina Ferreira nos seus tempos áureos

À hora a que escrevo, um post que escrevi em Outubro de 2014 vai com mais de 1.300 visitas apenas nas últimas 24 horas. Presumo que tenha a ver com o que, finalmente!, começou a ser investigado sobre o que há muito era falado. O PSD profundo -- o mundo laranja que gira em torno de caciques, esquemas e jogadas e geralmente circulando entre gabinetes de comunicação, escritórios de advogados, empreiteiros e autarquias -- passava sempre por entre os pingos da chuva.

Há muita gente em muitos lugares, conluios e solidariedades sedimentadas ao longo de muitos anos e, é sabido, uma mão lava a outra. Não que eu saiba de ciência segura, apenas sei o que, desde há muito, se ouve dizer. Deslindar situações individuais não deve ser complicado. Mas deslaçar uma rede de interesses, ainda por cima quando há gente espalhada por muito lugar onde as influências se movem, aí já outra arte é requerida.

Fisco e justiça apertam cerco à Webrand e PSD - notícia da Visão de Maio de 2015


Seja como for, não sei o que é que a Cristina Ferreira -- a da WeBrand, a do PSD, a dos muitos segredos, não a do Goucha -- tem. Não sei se dela ainda alguém dirá que tem o toque de Midas. Diz-se que dela comentam que tem, sobretudo, dívidas e mais dívidas (e um mau perder de dar medo). E, no momento em que perceber que os seus amigos de longa data lhe vão começar a faltar, é capaz de ter, também, muita vontade de falar. Mas isto, claro, já sou eu a dizer.


Mas vamos com a banda sonora de A laranja mecânica, um terrível filme muito à frente, de Stanley Kubrick


Esse meu post é o seguinte:


Transcrevo um pequeno excerto desse meu post:

(...) Cristina Ferreira deixou um abundante rasto documental onde são descritos esquemas e estratagemas com a administração da Gaianima, empresa onde se misturavam os assuntos da empresa com os do PSD. Qual o espanto? Em fnais de 2007, Marco António Costa, porta-voz do partido, candidatou-se à distrital do Porto tendo na sua lista Agostinho Branquinho e Virgílio Macedo (actual Revisor Oficial de Contas da Câmara de Gaia e líder do PSD/Porto que, à época, transitou de tesoureiro da estrutura laranja para secretário-geral). Na gestão dos dinheiros do partido ficaria então um administrador da Gaianima, entretanto falecido.(...)


Na altura este post não teve grande saída. Não me admirei. Não sou ninguém. E se ninguém ligava à Visão, que até trazia o assunto para a capa, porque haveria alguém de me prestar atenção?


E, portanto, por algumas daquelas razões que apenas a Justiça parece conhecer, as notícias nasciam mas pareciam não despertar qualquer interesse - e a coisa morria ali. A gente aguerrida das redes sociais situa-se à direita e, a esses, notícias destas não interessavam. E a malta de esquerda é, regra geral, aquele bando de verdinhos que se excitam de nuvem em nuvem, auto-saciados com as suas inteligentes e cultas tiradas e que, do alto da sua superioridade intelectual, deixam que toda a súcia de corruptos, incompetentes e vendidos actue na mais completa descontracção.

Refiro este outro artigo da Visão de Julho de 2015 a que ninguém ligou patavina, por exemplo:

Nasceram em Fânzeres, Gondomar, na mesma Rua do Valado. A 27 de março do ano passado, Cristina Ferreira, da agência de publicidade Webrand, não faltou ao funeral do pai de Marco António, no cemitério da freguesia.
"Vieram muitos carros pretos, de vidros fumados, coisa nunca vista na terra. Até a mulher do primeiro-ministro cá esteve", conta quem assistiu às cerimónias. Marco e Cristina não tinham porque disfarçar a proximidade, extensiva às famílias. Quando, meses depois, a VISÃO publicou reportagens sobre as investigações das Finanças e da Procuradoria ao universo de sociedades de Cristina por causa de fraudes fiscais, campanhas eleitorais para o PSD e contratos em autarquias, o caso mudou de figura: Marco não respondeu às perguntas sobre a relação com a empresária e esta fez o mesmo. Apenas Agostinho Branquinho admitiu conhecê-la há bastante tempo, de outras lides eleitorais.
A prova de que a proximidade é grande está em correspondência eletrónica, a que a VISÃO teve acesso, envolvendo vários dirigentes do partido. Nas campanhas internas de Luís Filipe Menezes e de Marco António, passando pelas europeias, legislativas e autárquicas de 2009 coordenadas por Branquinho Cristina foi de "confiança". Nos emails, a empresária trata Marco por "tu". E mesmo quando é para reclamar pagamentos a Virgílio Macedo, atual líder do PSD/Porto, partilhar intrigas com o ex-deputado Adriano Rafael Moreira ou enviar faturas a um ex-administrador da Gaianima, já falecido, Marco é omnipresente. "Este processo está comigo, há (SIC) espera de quem vamos faturar ", lê-se num email de Cristina sobre a encomenda de 8900 cartas e envelopes para a candidatura de Marco à distrital do PSD em 2009. "Segue carta do Marco António Costa", lê-se, "era necessário dar-lhe um arranjo gráfico. Precisamos tb de envelopes que tenham o nome dele na parte superior esquerdo". Até detalhes de um jantar na Trofa, no âmbito da candidatura de Menezes à liderança do PSD, em 2007, são partilhados com Marco via email do então vice-presidente de Gaia. (...)
Merece ser lido na íntegra, vos digo eu.


Pois bem. Estávamos já nós postos em sossego, pensando que com tanta investigação em curso, e tudo a aboborar, a nossa Justiçazinha de plástico tinha mais que fazer do que investigar se havia fogo debaixo de tanto fumo -- e que, portanto, a máquina laranja poderia continuar a rolar mecanicamente que ninguém a importunaria -- quando as castanhas começaram a saltar como pipocas quentes.

Claro que ao fim de mais de um ano, se havia papéis a esconder ou a destruir, já foi tudo escondido e queimado e, portanto, as probabilidades de êxito destas buscas devem ser diminutas mas, enfim, uma pessoa já tem que se agarrar a qualquer fiapo de esperança.

Cito apenas algumas das recentes notícias:



Ao Expresso, Pedro Alves escusou-se a confirmar se a Desporto Vivo, com sede no Porto, foi alvo de buscas, recusando ainda adiantar o tipo de contratos de ajuste direto celebrados com a Gaianima nos mandatos de Luís Filipe Menezes, pai de Pedro Menezes, enquanto autarca da cidade. “Não vou revelar informações confidenciais da empresa”, referiu o dono da empresa que em 2009 e 2010 assinou dois contratos de ajuste direto, no valor total de quase 125 mil euros.
Pedro Alves afirma ainda que Pedro Menezes “nunca teve qualquer ligação à Desporto Vivo, nem intermediou contratos” com a Gaianima. Segundo o “Correio da Manhã”, o filho do meio de Luís Filipe Menezes terá sido parte ativa nas negociações com a empresa municipal. Na base de dados da contratação pública, a Gaianima regista, entre 2008 e 2013, 266 contratos de ajuste direto, entre os quais o da gestão da prova 12 Horas de Karting de Gaia, em 2009, ano da constituição da empresa Desporto Vivo, e o de serviços no âmbito das 24 Horas de Karting, um ano depois. (...)

Ou esta outra notícia: Negócios da Gaianima na mira da PJ

A Polícia Judiciária do Porto desencadeou ontem uma vasta operação visando a extinta empresa municipal Gaianima, tendo efetuado 24 buscas domiciliárias, em empresas e na Autarquia. A investigação do Ministério Público e PJ terá por base suspeitas de crimes de gestão danosa, peculato, participação económica em negócio e prevaricação relacionados com adjudicações diretas e negócios efetuados pela empresa municipal mesmo após ter sido determinada a sua dissolução e liquidação.
Em causa estarão, designadamente, contratos de serviços de assessoria de comunicação e imagem, tendo ainda sido recolhida documentação sobre a área financeira da Autarquia, no mandato de Luís Filipe Menezes. O buraco total atinge 4,5 milhões de euros. (...)
___

Imagino que, a estas horas, muita movimentação nos corredores, nas ruas escuras e em tudo o que é bas fond laranja deve estar a acontecer e que muita dessa gente esteja a bater o dente. Mas que se deixe a Justiça funcionar - não é o que se costuma dizer nestas circunstâncias?


(Querem ver que andam, andam, e ainda chegam aos submarinos...? 
Era bom que essa latejante dúvida fosse esclarecida de uma vez por todas. 
Aliás, intuo que essa seja a vontade daqueles cujos nomes surgem sempre maculados por essa verrina. 
Quem não deve, não teme, não é?)

...

Desejo-vos, meus Caros Leitores, uma bela sexta-feira.


13 comentários:

Pedro disse...

Prefiro a do Goucha.

Um Jeito Manso disse...

Porque é moça mais simples, com liaisons menos dangereuses? Ou mesmo só pela aparência?

Pedro disse...

Porque é uma gaja boa e uma saloia como deve ser.

Já esta é uma pacóvia da cidade sem ponta por onde se lhe pegue.

Um Jeito Manso disse...

Imaginei que fosse isso. A do Goucha tem ar de ter tudo a ver consigo. Estou até capaz de afiançar que, por debaixo daquela saudável espampanância, está uma ímpar estudiosa da civilização grega. Não desfazendo, claro.

Pedro disse...

Estudiosa não, por Deus. Personificação. Em particular das doze posturas de Cirene.

Um Jeito Manso disse...

Fértil e generosa imaginação a sua, Pedro.

Eu, cá por mim, olho-a e vejo ali apenas uma saudável camponesa da Malveira. Mas, enfim, na volta isto ainda é capaz de ser invejinha da minha parte.

O pior mesmo é o tom de voz. Nem a sua Divina tem aquela potência sonora. E só não o parafraseio dizendo 'por Deus' porque não sou dada a esses pensamentos religiosos (mas repare que não me confessei ateia, pelo que escusa de me remeter para aquele seu texto bizarro).

Pedro disse...

E há lá melhor do que saudáveis camponesas... em Portugal só as surfistas da linha.

Qual texto? Não percebi.

Um Jeito Manso disse...

Este texto, uma daquelas suas fantásticas pérolas:

http://peripsema.blogspot.pt/2016/03/uma-rapida-introducao-kant-e-ao-forno.html

O que lhe vale é que escreve bem porque vai uma tal ebulição nessa cabeça! É que nem se chega a perceber que raio de lógica ou que raio de ideias é que são as suas, dá ideia que é o que calha, que não há uma unidade. Será o Pedro a modos que um novo Fernando Pessoa?

(Olhe, não leve a sério o que eu disse)

Pedro disse...

Sou, sou, não me tinha lembrado mas é mais do que certo. Se já há novo Camilo também há novo futurismo.

A ideia é bastante simples - e este seu postal do Marco e da Cleópatra de Fânzeres ilustra bem outra manifestação pública do fenómeno.

Um Jeito Manso disse...

Temos, pois, uma época fértil em reencarnações: em meia dúzia de dias um novo Pessoa, um Camilo, um Marco e uma Cleópatra.

Não sei é se o Pedro, que é todo dado a altos estudos, se sentirá bem neste milieu: de um lado o Raposo e do outro o Marco e a Cristina de Fânzeres. Com sorte ainda aparecia o Pedro Correia para relatar a erudita tertúlia, mas não sei se salvaria a situação.

E agora vou pregar para outra freguesia que a noite já não é uma criança.

Um bom dia para si.

Anónimo disse...

UJM,
Bom dia! Se me permite interferir nesta troca de opiniões, também prefiro a do Goucha. Um tipo olha para aquele mulherão e pelo menos sabe que vai ter "festa". É indiscutivelmente uma mulher desejável, do ponto de vista da cama. Agora, nada de fins de semana prolongados e muito menos férias, pois o que fazer com ela durante o dia? De que falar?
Cheira-me que o Inverno devagarinho está a dar lugar à Primavera. Oxalá! Já basta de frio (até nisto a Cristina do Goucha é útil. Não há frio que lhe resista!). Isto é o chamado sinceridade masculina (nada tem de machismo. Um homem pode gostar de uma mulher apenas do ponto de vista sexual - e vice-versa, também.)
P.Rufino

Um Jeito Manso disse...

Olá P. Rufino,

Pois essa deve ser uma das grandes diferenças entre homens e mulheres. Acho que as mulheres têm dificuldade em isolar o aspecto físico do resto. Mas, enfim, vivam as diferenças.

Um bom sábado!

Anónimo disse...

Cara UJM,

É possível que tenha razão. Ou talvez não. Conheço um ou outro caso que desmentem isso. Acredito todavia que talvez sejam excepção à regra. Ela tem um amante apenas para gozo sexual. 54 anos. O amante 47, o marido que desconhece o caso 60.Outra, divorciada, 55 anos, apenas se relaciona com homens por razões sexuais, hoje um, amanhã outro. Nada de compromissos e férias juntos. E há mais casos. Mas, provavelmente são casos que não fazem a regra. A verdade é que as mulheres hoje, cada vez mais, assumem o sexo como uma coisa importante. E porque não?
Bom Domingo! Venha o sol!
P.Rufino