Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quarta-feira, janeiro 20, 2016

Debate na RTP entre os candidatos às eleições presidenciais: Sampaio da Nóvoa



António Sampaio da Nóvoa deixa transparecer ser uma pessoa sóbria, bem educada, moderada, equilibrada, séria, discreta, com respeito pelos outros, conciliadora.


Se for Presidente da República, Sampaio da Nóvoa será um presidente competente, atento à Cultura, defensor do Conhecimento e que não envergonhará Portugal em circunstância alguma.


Esteve no debate como tem estado na campanha eleitoral, como, de resto, deve ter estado em toda a sua vida: bem. 

Entre ele e Marcelo, votarei nele, com certeza.

Contudo, acho que lhe falta um qualquer golpe de asa, uma certa capacidade para, quando necessário (e alguma vez há-de ser), dar um murro na mesa. Ou isso ou qualquer outra coisa, qualquer coisa parece faltar ali (Será um discurso capaz de separar as águas? Não sei).

Do ponto de vista de imagem, alguém lhe deveria dizer que não fica bem ter pêlo pelo pescoço abaixo. Gosto imenso de ver um homem com barba (por cá, os homens da família usam barba -- e, então, a do meu filho é mesmo bonita, tem laivos ruivos), mas uma barba tem que estar minimamente aparada e tem que favorecer quem a usa. A Sampaio da Nóvoa, envelhece. Fosse ele já um ancião, a barba branca dar-lhe-ia charme. Assim, apenas o faz parecer um pai natal a precisar de engordar e de aparar a barba. A ele, se não quer ter a cara nua, eu recomendaria que ficasse apenas com bigode e pêra. Mas, claro, isto não vem a propósito.

Resumindo: lamento mas, no debate, numa escala de 0 a 10, não lhe darei mais do que 7.


Sem comentários: