Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, novembro 23, 2015

O que pediu Cavaco Silva a António Costa? Que se despache e lhe apresente já um governo? Que lhe garanta que tem o Orçamento quase pronto? Nep... Qual quê? Afinal, 'qual é a pressa?'. Pediu-lhe foi para o ajudar a continuar a encanar, por mais algum tempo, a perna à rã. [Em act.]


O esposo da D. Maria Cavaco Silva terá dito a António Costa que ainda não é desta que o vai indigitar como Primeiro-Ministro, que ainda tem bué de dúvidas. Tentou que os sindicalistas, os patrões, os economistas, os banqueiros, as fadistas, as aspirantes a cabeleireiras e todos quantos ouviu o esclarecessem quanto a essas dúvidas que o têm atormentado, mas todos lhe apareceram lá de balde.

Terá ainda explicado que, por ele, Aníbal, não tem pressa. 
Um dos que lá esteve na semana passada, mas que ele já não se lembra quem, ter-lhe-á dito que, se tem tantas dúvidas sobre as reais intenções de Costa e do resto do reviralho, pois que lhe colocasse a ele, Costa, as dúvidas e deixasse de andar a chamar toda a gente para Belém que as pessoas têm mais que fazer do que andar a perder tempo naquele cortejo. Ocorre-lhe que até pode ter sido a sua Maria a dar-lhe essa desanda, que tem dias que nem ela já o consegue aturar, mas não sabe.
Portanto, o Sr. Aníbal terá instruído uma comissão, quiçá capitaneada pelo diligente Liberato, para lhe preparar um documento com dúvidas.

Então, terá sido com esse documento de clarificação formal que o Sr. Cavaco terá presenteado António Costa na reunião que tiveram esta segunda-feira pelas 11 da manhã. 


Ter-lhe-á explicado que quer ver, preto no branco, que o PCP e o BE amam de paixão a NATO e que assinarão já, de cruz, a aprovação prévia de qualquer orçamento do PS daqui até ao fim dos tempos. Como o Costa terá mostrado o que lhe pareceu ser alguma perplexidade, acrescentou: 'Uma coisa tipo blind date, está ver? Acreditar às ceguinhas, percebe?'. O Costa terá ficado com os olhos ainda mais abertos. Cavaco juntou mais umas dúvidas que quer ver esclarecidas: por exemplo, quer lhe digam, e por escrito, que gostam muito todos daquilo da Concertação, até porque ainda não percebeu bem se o PCP já se amigou no facebook com a CIP ou a AIP ou lá como aquilo se chama. Ah, e também com a CAP. Ah, sim, e que também não sabe bem o que acham eles dos bancos e do sistema financeiro. Quer que clarifiquem bem essa cena: vão meter o dinheirinho todo que for preciso no Novo Banco? E sem piar? E comprometem-se a nada de bocas foleiras sobre o BPN? Ah, sim, e também quer saber se o PCP e o BE juram a pés juntos que adoram, adoram mesmo, aquilo do Pacto de Estabilidade e Crescimento, do Tratado Orçamental, do Mecanismo Europeu de Estabilidade. E também qualquer coisa sobre moções ou monções ou lá o que é. 

E, portanto, Cavaco chamou o Costa para lhe dar uma folhinha com o TPC. Mas que é para trabalharem em grupo. E que o Costa só volte a aparecer-lhe à frente depois de ter convencido os outros comunas a redigirem em conjunto uma declaração de amor a três, não apenas entre eles mas também amor aos meandros de Bruxelas e aos mercados e que, sobretudo, se apresentem como gémeos univitelinos. Daqui para a frente, quando forem a Belém, que, no mínimo, vão vestidos de igual. No mínimo, caraças. Há quem jure tê-lo ouvido a dizer em surdina, como se rosnasse: 'Custará muito? Não são capazes de se vestir de igual?! Cambada! A mania das diversidades!'

E, no final, já num tom mais composto, terá dito que, se fizerem tudo o que ele manda e se estiver para aí virado, pois, então, que remédio, lá terá que o indigitar.
Consta que a D. Maria Cavaca tem andado a preparar o esposo. Dizem que anda a ver se o convence, que se conforme, que, se não tiver como fugir desse mau passo, pois que deixe. Dizem que é uma ladainha de roda dele, todo o santo dia: 
Há coisas piores, homem, então já viste se tivesses um ataque agudo de hemorróidas num dia em que tivesses que estar muitas horas sentado? Ai, que não aprendes a ter calma... Emborcas uma dose cavalar de Lexotans e dás posse aos bolcheviques, pronto, querem comer criancinhas ao pequeno-almoço, pois que comam. Tu lavas daí as mãos. Vá, faz-me lá esse sorrisinho lindo, vá... 
Portanto, Cavaco lá terá dito que até pode ser que dê posse a um governo socialista mas que, primeiro, o Costa lhe traga o TPC feitinho e bem feitinho, que leve o que tempo que precisar que nisto as pressas não ajudam nada. Nas calminhas, parece que o ouviram dizer, à laia de conselho, ao Costa.
...

Consta que o Costa, quando entrou para a audiência, ia sorridente e que até o ouviram dizer de si para si, 'Vá lá Cavaco, make my day...'. 


Quando saíu, Costa vinha contente. As suas expectativas parecem ter-se cumprido, o Cavaco pôs-se a jeito e ele não vai ter outro remédio senão disparar: provavelmente o senhor de Belém vai ter o TPC ainda hoje (e, ao que parece, com desenhos e tudo -- que pode ser que, assim, o senhor perceba).


Se perceber, Cavaco tem ainda outra na manga e é das boas. Mas, no fim, quando não tiver mais nenhuma, não terá mesmo outro remédio senão ouvir o fado que estava guardado para o fim do seu triste mandato. 

.....

Mas pode acontecer que não perceba a resposta que o Costa lhe vai fornecer. Nesse caso, o nosso belo Aníbal lá irá continuar a chamar um e outro, um corridinho a caminho de Belém, tudo o que é cão e gato a opinar, e ele a empatar, a empurrar com a barriga, a fazer de tudo para não ter que engolir o sapalhão que está à sua espera.

  Folclore do Algarve - Corridinho
...

Entretanto, António Costa, Jerónimo de Sousa e Catarina Martins estão a ensaiar o número que irão apresentar a Cavaco, em coro, por altura das Janeiras.

Maria amava Aníbal que amava Cavaco
que amava Passos que amava o Portas  que amava o Costa
que estava bem como estava.
Maria foi para a varanda da Rua do Possolo, Aníbal foi com ela,
Cavaco, quando tinha que ser, foi passar as tardes para o convento da R. Prior do Crato, 
Passos foi fazer farófias,
Portas foi de fininho para um sítio que diz que não pode dizer onde é 
e o Costa foi para o Governo com o apoio do Jerónimo e da Catarina 
que não tinham entrado na história.
...


"Quadrilha", de Carlos Drummond de Andrade - narração de Paulo Autran sobre pinturas de Glauce Cerveira 
..

Notícia de última hora: um exclusivo Um Jeito Manso!
Já vi as respostas de António Costa ao Cavaco. Um verdadeiro documento clarificador. Simétrico, estável e duradouro. Clique aqui para as ver.



...

2 comentários:

Anónimo disse...

Cavaco Silva não deixa de nos surpreender. O que o tipo inventa para protelar o inevitável, ou seja, o ter de indigitar Costa. Estou para ver o que se seguirá depois de receber a resposta do líder do PS. Que não deverá ser diferente daquilo que já conhecemos. Talvez algo mais didático, a fim de o destinatário melhor conseguir perceber. Mas, mentalmente retorcido como é e sendo, sobretudo, um PR de facção, reacionário até à medula, que entende que a Democracia só deve ter Partidos de Direita e do Centro, deverá ainda assim voltar a fazer novas exigências. Como isto já começa a extravasar para o plano do psicopático, não me surpreenderia que suscitasse dúvidas quanto ao que António Costa come, qual a razão dessas escolhas do âmbito gastronómico, se as acompanha com vinho, coca-cola, água, cerveja, chá, etc, se já foi alguma vez infiel à mulher, se vai à missa, se tem alguma hipoteca, porque é que é benfiquista e não de outro clube, se lava os dentes depois de cada refeição, se gosta de música Pop, ou prefere Fado, quanto calça, onde gosta de passar férias, se já alguma vez deitou a língua de fora a alguém, se sabe o que é um nanómetro (esta seria para tramar o Costa e não lhe dar posse, embora Cavaco também não faça a menor ideia no que consiste), enfim, um sem número de outras questões com vista arrastar, até ao Natal, esta treta da indigitação e nomeação. Para gáudio de Passos/Portas, que ao que consta já conseguiram os dois terços necessários para a almejada Revisão da Constituição, adquiridos a um vendedor da Feira da Ladra. Já estou como o saudoso Mário Viegas, no seu “Manifesto Anti-Cavaco: “O Cavaco nu é horroroso! O Cavaco escuma dos cantos da boca! Pôrra para o Cavaco, Porra, Pim! E ainda há quem não core de vergonha quando diz que apoia o Cavaco! Pôrra para o Cavaco, Porra Pim!”
P.Rufino

Anónimo disse...

Não posso deixar de rir. Do post e respectivo comentário. Realmente esta situação é cómica. Já há muito que penso que o pr passou o prazo de validade. Se não fosse trágica a situação de muitos portugueses, estas cenas e as que se seguirão certamente, seriam dignas dos Monty Python.
Mozi