Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, agosto 03, 2015

Atalho Real na Embaixada


Dia sem afazeres atribulados, destinado, portanto, ao lazer. Manhã na praia, caminhada junto à água. Depois, já mais para a tarde, ida a uma das zonas de afeição de Lisboa: Príncipe Real.

O destino era um restaurante a que íamos com alguma reserva já que a especialidade são as carnes e desde há algum tempo não comemos muita carne. Mas, enfim, o local era bonito, supostamente a comida era boa: fomos.







Sem ter qualquer participação no restaurante, permito-me falar dele não propriamente para aumentar os seus lucros mas porque gostei imenso. O restaurante é o Atalho Real no edifício Embaixada

O edifício é uma maravilha. Começa a haver em Lisboa edifícios de prestígio aproveitados para fins comerciais e, portanto, de uso livre. Mesmo quem não queira consumir, pode usufruir deles. E este merece uma visita.




O centro do edifício é um amplo espaço que funciona como esplanada coberta, em torno da qual existem as galerias com as lojas.




O restaurante fica em baixo, junto ao jardim. Tem uma esplanada exterior, no Jardim Botânico, e tem pequenas salas interiores muito bonitas, bem preservadas e decoradas, com amplas janelas abertas para o jardim.




Na sala em que ficámos, toda ela agradabilíssima e com curiosos apontamentos decorativos -- por exemplo, nas paredes algumas gavetas serviam de escaparates -- achei um piadão ao candeeiro.




Reparando em pormenor, vê-se de que é feito: canetas BIC.




A música ambiente é agradável, cool. Uma das que se ouvia, foi a que estão a ouvir agora: Don't think twice it's all right - Bob Dylan

E a comida muito boa. Pedimos uma salada de salmão fumado com alface, rúcula, maçã e nozes, que dividimos. A seguir veio bife do lombo grelhado com batatas gratinadas e salada de couve branca, maçã e cenoura com maionese, que também dividimos. Tudo bem servido e com qualidade.

De sobremesa, veio tarte de alfarroba com sorvete de manga e bolo de chocolate com sorvete de framboesa. Deliciosas.

Os preços são bastante aceitáveis dada a qualidade e quantidade da comida e a beleza do lugar.

Portanto, aqui fica a sugestão: para uma refeição num lugar romântico e recatado ou para uma refeição de grupo num lugar agradável, acho que é uma opção a considerar. E proporciona uma ida a um dos lugares bonitos de Lisboa.

....

No post abaixo podem ser vistas duas fotografias nas imediações, uma música belíssima e um poema também muito bonito.

..

1 comentário:

Anónimo disse...

Fiquei curioso com essa sugestão de restaurante e do edifício. Ainda não fui lá. Um dia destes. E como servem carne e eu adoro carne, não me passa pela cabeça deixar algum dia de a comer, embore também aprecie bastante um bom peixe, mais uma fortíssima razão para lá ir. Tem bom aspecto tudo aquilo que nos mostra. Fiquei bem impressionado.
P.Rufino