Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quarta-feira, julho 22, 2015

Os bons alunos de Matemática e os de Língua Portuguesa


A Roma Antiga deu ao mundo ocidental várias coisas boas: saneamento, estradas, vinho, bacanais... mas também trouxe outras coisas não muito boas, tipo aqueles números escrotos. É um festival de letras e tracinhos que dão uma pane na sua cabeça. Mas fica a pergunta: como eram as aulas de matemática? Eram juntas com as aulas de latim? Como que você sabia que estava diante de uma equação e não uma oração? Aliás, quem foi o génio que teve essa brilhante ideia de colocar letras e números iguais? Infelizmente, isso são fatos que se perderam pela História.


Romanos by Porta dos Fundos








Quiçá a língua portuguesa é um idioma difícil de dominar. Todavia são muitas regras por aprender que ao propósito podem acabar confundindo a pessoa. Excepto a dedicação e o estudo são as maneiras consequentemente que você em contrapartida irá talvez aprender a usar o língua corretamente. Ademais.

Problemas linguísticos by Porta dos Fundos





1 comentário:

Rosa Pinto disse...

O sistema educacional romano era muito semelhante do grego, mas a ênfase que deve ser aprendida e por que era muito diferente.
As crianças romanas foram ensinadas em casa até aproximadamente a idade de doze anos e provavelmente aprenderam coisas semelhantes aos gregos, letras, música e, nesta fase, uma maior proporção de aritmética elementar e a contar, usando os dedos e o ábaco.

Com a idade de doze anos os rapazes teriam então progredir para uma escola de literatura, onde iria aprender gramática e elementos de lógica, retórica e dialética.

Como com os gregos, muitos romanos aprenderia a pouco mais de matemática do que o que adquiriram suas lições em casa a menos que exigido por sua profissão. Isto não foi sempre o caso, no entanto, e meninos muitas vezes também que assistiu a aulas dadas por um mestre de matemática especial. Isto, por razões puramente práticas, seria ensinado através de vários exemplos e foi fortemente cálculo baseado.

O romano que procurou aprender mais do que esta medida pequena era de fato a excepção e não a regra.

A atitude dos romanos de utilidade e praticidade é vista no trabalho de Quintilian's, onde ele recomenda que a geometria é para ser estudado por duas razões.

A primeira é que o treinamento mental desenvolvido pelo sujeito através da progressão lógica dos axiomas e provas é vital, e a segunda é que o seu uso em discussões políticas, questões sobre terra-medição e problemas semelhantes é muito importante. Sophists empregadas aqui seria mais prováveis ensinar seus alunos a arte de falar, oratório e de assuntos atuais do que os avanços na ciência e na geometria.

Durante este tempo muitos outros textos foram escritos vários cursos de formação a recomendar para aqueles que as classes média e artesão, bem como a classe dominante. Por exemplo, Vitruvius, escrevendo para arquitetos, sugere que seus alunos devem incluir em seus conhecimentos de educação geral da geometria, ótica, aritmética, astronomia e outros (direito, medicina, música, filosofia e história).

Galen recomenda aos futuros médicos no século II d.c. que eles devem ter estudado temas variados como a medicina, retórica, música, geometria, aritmética e dialética, astronomia, literatura e direito.

E há outros, varrão e Seneca é apenas dois que também recomendo a geometria e a aritmética como necessárias.

Boethius usou seu talento literário escrevendo e traduzindo textos gregos para o latim.

Sua compreensão da matemática foi bastante limitado, no entanto, e o texto que ele escreveu sobre aritmética foi de má qualidade.

Seu texto de geometria não sobreviveu, mas há pouca razão para acreditar que era melhor. Apesar disso seus textos de matemática estavam entre os melhores disponíveis para os romanos e amplamente utilizado.

Partir dos comentários acima pode ser visto que, embora a matemática na educação muitas vezes foi desaprovada, ele deve foram ensinado onde era necessário.

A baixa opinião de matemática é provavelmente devida em parte às profissões que exigia aprendizagem matemática ou científica. Estas profissões eram geralmente consideradas 'liberal' e foram desprezadas.

Aqueles que exigem um nível avançado de lógica, retórica e oratória foram longe preferencial. Esta atitude é refletida naquelas encontradas na Grã-Bretanha ao longo dos anos medieval e renascentista, e só muito recentemente é que isto foi alterado.- The teaching of mathematics in Ancient Rome -"[History.MCS.ST.Andrews]

ET.In.Ciência -O ensino da matemática na Roma antiga