Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, maio 12, 2015

A fantástica vida na sombra de Vivian Maier.


Não sou de ter ídolos e até tremo que me façam perguntas difíceis como, por exemplo, quem é que eu gostava de ser quando for grande. Não faço ideia, varre-se-me tudo, não me lembro de ninguém. Quanto muito lembro-me de gente dada à palhaçada - mas mais vale nem revelar este meu lado anarco-varrida.

Mas, volta e meia, por qualquer circunstância feliz, os meus olhos pousam sobre a referência a alguém que me enche as medidas. Vivian Maier é uma delas. 




Numa altura em que não estava nem aí para blogues já andava a seguir um blog em que aos poucos a sua obra desconhecida e fabulosa ia sendo divulgada. Chama-se VIVIAN MAIER - HER DISCOVERED WORK e foi interrompido no final de 2013. 




A história daquela ama discreta que, em segredo, andava pelas ruas a captar o mundo, guardando milhares e milhares de negativos, fascinou-me desde que ouvi falar nela.




Durante algum tempo tive um blog de fotografia de rua que apenas tirei do ar por não ter saber qual a lei aplicável e não querer sujeitar-me a ver-me metida em trabalhos. Fazer fotografia de rua é das coisas mais apaixonantes, fotografar pessoas, captar o quotidiano, registar momentos únicos. Tenho milhares de fotografias de rua, é uma coisa apaixonante, quando o faço vejo coisas que, de outra forma, me passam despercebidas. é como que se, nessas alturas, a minha mente estivesse desperta de uma forma mais aguda.




Vivian Maier (1926 - 2009) fez isso em larga escala e, pela incrível quantidade e qualidade do seu trabalho, imagino o entusiasmo, a excitação, a forma fugaz como apontava a máquina e disparava à socapa, com medo de perder o instante sagrado, com medo de ser descoberta. Mas a atracção quase fatal para arriscar, para apontar a máquina, para não deixar fugir o momento custasse isso o que custasse.




E depois a felicidade de ver que a vida estava ali toda, naqueles seus secretos registos... que sensação de realização deveria ela experimentar...


Vivian Maier por ela própria


E, curiosamente, auto-fotografou-se inúmeras vezes, muitas vezes enquanto andava nas suas deambulações fotográficas: ou nas montras espelhadas, ou mesmo ao espelho. Ou apenas a sombra. Hoje não apenas temos a sua fantástica obra como temos a sua imagem: uma mulher especial, livre, à frente do seu tempo.


Finding Vivian Maier 





Who is Vivian Maier? Now considered one of the 20th century's greatest street photographers, Vivian Maier was a mysterious nanny who secretly took over 100,000 photographs that went unseen during her lifetime. 


Since buying her work by chance at auction, amateur historian John Maloof has crusaded to put this prolific photographer in the history books. Maier's strange and riveting life and art are revealed through never-before-seen photographs, films, and interviews with dozens who thought they knew her.

...

1 comentário:

Carlos Azevedo disse...

Gosto particularmente desta foto de Vivian Maier.