Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sexta-feira, novembro 07, 2014

Pires de Lima num estado deplorável na Assembleia da República, resolveu armar-se em palhaço e encenar um basqueiro* ao dirigir-se ao PS: risos e risinhos, taxas e taxinhas, todo ele num despropósito inqualificável. Cá em casa interrogámo-nos: estará com os copos...? estará simplesmente armado em parvo...? E não chegámos a nenhuma conclusão.


No post abaixo falei de um assunto que tem estado a ser conduzido quase em segredo e que é do mais crítico que há. Refiro-me ao acordo transatlântico entre a UE e os EUA, o TTIP. Podem pensar que é uma seca de tema e que não vos diz respeito. Ora diz respeito, diz mesmo muito respeito. Mostro um pequeno vídeo legendado que explica de forma muito gráfica de que é que estamos a falar. Peço que vençam alguma eventual resistência e o vejam pois apenas despertos e elucidados poderemos defender o que nos espera.

Mas isso é a seguir. Agora, aqui, a conversa é outra.





Eu podia levar o assunto para a palhaçada que talvez fosse o plano mais adequado. Mas não me apetece. Pelo contrário, o que me apetece é falar a sério.

De facto, apetece-me mais do que isso, apetece-me pedir uma audiência a Cavaco Silva e pedir-lhe que demita de vez este Governo.

Há coisas que não suporto: a falta de educação, o comportamento abandalhado, a falta de respeito pelos outros e pelas instituições públicas, em especial pelo Parlamento.


O que eu acho deste governo sabem bem os que por aqui me visitam: é gente desqualificada, impreparada, muito incompetente e, alguns, francamente destituídos de capacidades intelectuais. Não percebem nada, são facilmente manipuláveis, têm-se mostrado uns joguetes nas mãos daqueles que sabem ao que vêm.

Se compararmos os objectivos acordados no memorando da troika com o que se atingiu após os 3 anos de sevícias a que o País foi submetido, ver-se-á a dimensão do fracasso. Destituídos como são, aqueles imprestáveis pensaram que, se havia um remédio a tomar, então poderiam aplicá-lo em regime de sobredosagem e, ao mesmo tempo, descurar parte das medidas complementares. Claro que a vítima quase soçobrou. Ou seja, arrasaram a economia, aumentaram a dívida e empobreceram a população que quase deixou de ter filhos e, em parte, fugiu para outros países.

Mais: nunca tendo percebido a origem da crise, continuam sem perceber porque é que sua receita falhou. 

E são mentirosos e descarados, dizem uma coisa num dia, o oposto no dia seguinte, tudo com igual convicção e topete, e julgam que todos nós, que os ouvimos, somos tão burros como eles. Aliás, ainda a semana passada, ao falar da devolução do dinheiro cortado aos funcionários públicos, Passos Coelho disse uma coisa quando leu o papel que trazia e disse o oposto quando, logo a seguir, falou de improviso; e indispôs-se quando as pessoas manifestaram perplexidade, como se fosse normal dizer no início da conversa que se gosta muito de bacalhau com batatas e mais à frente dizer que se há coisa que se odeia é bacalhau, seja como for.

Vão ser corridos a pontapé sem perceberem porquê. Não percebem nada. E nem vale a pena a gente especular muito mais sobre isto. É um caso perdido, uma nódoa na nossa história.

Mas há uma coisa com a qual, apesar dos sérios indícios, eu não contava e que, muito francamente, acho inaceitável. Refiro-me à falta de educação, à falta de maneiras, à falta do mais elementar decoro.

Passos Coelho tem mostrado que, quando contrariado, tende a ser boçal. Aquela de se ter virado para uma senhora e lhe ter perguntado se não ia uma enxadinha mostrou o estilo rasteiro da peça.

A Albuquerque também vem mostrando que não se ensaia nada para dizer uma coisa e o contrário e ainda destratar quem não goste do que lhe ouve. Tem mostrado que é petulante, arrogante, que arreganha o dente com excessiva facilidade, tanta quanta a facilidade para franzir o narizinho e fazer-se de coelhinha. Mulherzinha perigosa, daquela que não olha a meios.

De Paulo Portas nem é bom a gente falar. A política para ele é um palco e faz de tudo para poder ter um lugar na peça em cartaz. Vende a alma a deus ou ao diabo, diz-se e desdiz-se, efabula, inventa, aumenta, empola, volta atrás, passa ao lado, passeia, diverte-se, vai à boleia, tira partido do que outros fizeram, congemina, conjura, intriga, passa entre os pingos da chuva, aponta o dedo - o que calhar. É irrelevante do ponto de vista da construção do que quer que seja. Devia ter sido actor e, em vez disso, meteu-se por caminhos errados e veio parar onde está, ao lado de um pacóvio que deve abominar.

E há o C-Rato que é um zero à esquerda, ou melhor, é um sinal menos, tornando negativo tudo aquilo de que se aproxima, inventando trapaças com tempos verbais, ofendendo de todas as formas possíveis e imaginárias a inteligência de quem o ouve.

E há a Cruz que não deve ser boa da cabeça, até dói pensar na leviandade do que faz e diz, uma pessoa que parece transtornada e que não se ensaia nada para inventar mosquitos na outra banda na tentativa de tapar a evidência da sua nulidade.

E há os outros.

Mas há também o Pires de Lima. Sempre o tive, apesar de tudo, por alguém que manteria uma certa compostura e um certo discernimento no meio daquela salganhada toda.

Mas eis que o tenho visto a derrapar num plano acentuamente inclinado. 

Desafiador, manipulando os números, falando em tom trauliteiro do aumento inusitado da carga fiscal como se esbulhar a população fosse um feito, tem vindo a revelar-se mal educado, desagradavelmente mal educado.

No outro dia falou com um desprezo descabido das pessoas que pedem que se olhe para o drama da PT, chamou-lhes a brigada do resgate


Mas mau, muito mau mesmo, foi o que se passou esta quinta-feira na Assembleia da República. Não tenho ideia de alguma vez ter visto um número assim. 

É assim que um Ministro se porta na Casa da Democracia? É assim que um Ministro se dirige aos Deputados que supostamente estão ali a representar o Povo? São maneiras para um Ministro se apresentar em público? São modos que um adulto ostente?

É uma vergonha. Uma palhaçada.




Imagine-se o exemplo que um sujeito destes dá: quererá ele legitimar que os alunos se portem assim nas aulas, se dirijam assim aos professores? Quererá ele legitimar a bandalheira no comportamento social?

Não passa pela cabeça daquele malcriado que o País em peso o está a ver naquele despropósito, todo esbodegado na fala, coçando-se enquanto fala, todo arruaceiro, parecendo alcoolizado? É isto forma de mostrar respeito pelas instituições democráticas?

Digo-vos: fiquei mesmo chocada. Não sei se quis fazer-se de engraçado e se se descontrolou, se estava com os copos, como tenho visto referido por aí pelos sites, se esta é a maneira de ser dele e a gente é que não sabia.

Por todo o lado, nas televisões e jornais, se faz chamada de atenção para o momento insólito que Pires de Lima protagonizou na AR e a perplexidade é geral. Eu, mais do que perplexidade, estou chocada. Sinto vergonha.


Pires de Lima deveria demitir-se já. Ou ser demitido. Ou, se nem ele nem Passos Coelho percebem a imagem de abandalhamento que isto dá do Governo e da política, então Cavaco Silva deveria fazer qualquer coisa. A atitude de Pires de Lima foi má demais, foi ofensiva. Levou a política para o grau zero da decência.



Revejam, por favor, o vídeo com parte da triste figura do Ministro da Economia Pires de Lima na Assembleia da República. Insólito. Bizarro. Imaturo. Inapropriado. Inadmissível. Mal educado. E tomara que não estivesse alcoolizado que isso, então, seria o fim da picada. Perdeu o respeito dos portugueses com a palhaçada que armou.






Nota: a intervenção neste comprimento de onda foi muito mais do que isto, meteu de tudo até dizer que Catherine Deneuve se tinha atirado para a piscina com o ex-ministro Manuel Pinho, com certeza ao abrigo de algum contrato (misturando alhos com bugalhos, e reportando-se a uma altura em que o ex-ministro esteve no mesmo hotel que Michael Phelps e tirou uma fotografia com ele, a título pessoal). 


Um disparate pegado, tudo o que ele disse e fez. Uma coisa que só vista, e de que este vídeo é só uma amostra. Pode ser que entretanto fique disponível o vídeo completo.

Entretanto, como seria de esperar, o gozo rapidamente se espalhou pelas redes sociais e é o sinal dos tempos assistir-se à falta de respeito que a população manifesta por esta gente que nem ao respeito se sabe dar.

Uma de várias paródias em Pires de Lima explica

* No meio da arruaça, Pires de Lima disse aos deputados do PS que estavam a armar um basqueiro e disse que sabia que Ana Paula Vitorino era uma deputada fina de Lisboa (e que por isso não conhecia a palavra). Um despropósito infantilóide, ou, de facto, uma bebedeira de todo o tamanho. Não será melhor, pelo sim, pelo não, montarem um controlo de alcoolemia à entrada da Assembleia?



........


Tirando as animações com palhaços cuja autoria desconheço, e a última imagem cuja proveniência lá indico, as restantes imagens provêm do blogue We Have Kaos in the Garden.

.....


Relembro que no post abaixo falo de um assunto sobre o qual sabemos muito pouco e que, pela sua gravidade e impacto, deveríamos conhecer muito bem. Peço-vos que vejam o vídeo pois ajuda a tornar claro o que está a ser feito na maior obscuridade.

......

Desejo-vos, meus Caros Leitores, uma boa sexta-feira. 
Que bom, sexta-feira.

...

12 comentários:

Olinda Melo disse...


Uma vergonha!Completamente despropositado. Cá em casa toda a gente estava de boca aberta com a volta de respeito evidenciada por esse senhor no Parlamento,a Casa da Democracia.

Bj

Olinda

Fernando Ribeiro disse...

Veja http://piresdelimaexplica.tumblr.com/.

Anónimo disse...

De facto, estamos entregues a uma cambada de anormais. Quase ja nao mw surpreendo.
Parabéns pelo seu blog, ujm. L

Um Jeito Manso disse...

Caro Fernando Ribeiro, bom dia,

Muito obrigada pelo link. Já lá estive a ver: inspiradíssimo, de facto.

Extraí uma das imagens e já a coloquei neste post.

Muito obrigada!

Vitor disse...

M U I T O B E M , estimada UJM !
ENORME ( no bom sentido, claro) Post!
Estando a assistir, jantando, às notícias, fiquei de garfo suspenso. . .
Que VERGONHA ! Que REVOLTA!
Que nunca a voz lhe doa, cara UJM !
Melhores Cumprimentos
Vitor

Anónimo disse...

Pois, parece que a Casa da Democracia cada vez mais se confunde com a Casa dos Segredos - não esqueçamos que já houve um "manso é a tua tia", e uns corninhos feitos com os dedinhos, já para não falar de um certo inconseguimento... o nível está quase ela por ela, infelizmente.

FIRME disse...

Pois os vapores alcoólicos,não afetam só os pobres pra esquecer...São também fonte de expiração...dos vapores prós lados dos Limas...A grandeza,dos piquenos veio ao de cima...Camões ,descreveria isto em que desencanto??? O palerma disse,,,na A.R. Eu digo...Aí.... benjamim...XÁ-XÉ XI-Ou ...piéla,não me lembro ...ONDE é QUE EU ÍA...???.Bom não estou expirado...sorry.Que miséria....

Humberto Barbosa disse...

Um burgesso será sempre um burgesso com ou sem vapores alcoólicos e um senhor será sempre um senhor mesmo que esteja estatelado no chão perdido de bêbado. Pires de Lima mostrou o que ele realmente é, um burgesso.
HB

Anónimo disse...

Lá me ocorre o ditado popular de que no melhor pano cai a nódoa. Não é que o Pires seja de bom pano. Não é, nem nunca foi, mas enfim, sempre parecia. Agora acabou por revelar-se mais nódoa do que pano. O homem provavelmente estaria bêbado, não excluo esta possibilidade. Um despropósito total, típico de uma avantesma – bem vistas as coisas, como as restantes do governo. Ou então, faz números num qualquer Circo, daqueles rafeiros, de aldeia e, talvez por ter bebido a mais (o sorriso alvar da criatura denuncia-o) julgava-se algum palhaço, que acabou por vir a ser.
No fundo, o governo tal como sempre foi, só que agora mais solto, sem complexos – sobretudo depois de ter percebido que tem os dias contados (com o Partido do Pires/Portas nos 4%).
Mas, o que Pires acabou involuntariamente revelar é que o CDS Portista/Pirista (com mais ou menos alcool) tem medo do PS de António Costa. Mandaria o bom senso, coisa que não existe no governo e na maioria dos seus actores políticos, que o governo ignorasse Costa, mas não, o etilizado do Pires vem, pelo contrário, dar-lhe importância, embora em termos circenses.
A Política tem vindo a resvalar para patamares abaixo de cão.
Uns anormais!
Tomaramos nós por cá um “Podemos” !
P.Rufino

FIRME disse...

Com a vossa licença; Posso chamar-lhes um nome? RUFIAS...Já nem disfarçam a falta de educação!!! Os pais desta estirpe ...pode orgulhar-se.! FILHOS SUPER BOCK....As garrafas vazias pela manhã pelas vielas deste País,serão grande motivo de orgulho para vós...Se algum Deus vos puder valer...QUE NÃO TENHA PIEDADE DE VÓS.

Anónimo disse...

Passos Coelho não tende a ser boçal. Ele é boçal. Pires de Lima estava com uma bebedeira monumental mas para Cavaco Silva isso deve ter pouca importância. Temos que ter em conta que o "senhor" ainda não aprendeu a comer sem deitar gafanhotos pelos cantos da boca.
MCarmoMarcos

Olinda Melo disse...


Cara UJM

Bom dia

Volto para fazer uma correcção:

Onde se lê "a volta de"

deve ler-se:

"a falta de"

Bj

Olinda