Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quinta-feira, novembro 27, 2014

Oh meus Caros Comentadores que gostam de escrever sobre porcos, maçonarias, carros de alta cilindrada, contas bancárias e outras coisas do género, vamos lá a ver se a gente se entende, ok?


Como já no outro dia aqui o disse, isto agora, desde a detenção de Sócrates, é um ver se te avias de comentários impróprios para consumo.


Há um comentador que tem verdadeira pancada por porcos, uma coisa que nem sei se não será caso para concorrer à próxima Casa dos Segredos ('o meu segredo é: eu tenho um fétiche por porcos').

Há outro que gosta de se fazer passar por um habitual Leitor que antes se assinava por Bob Marley e eu a esse também aconselho que consulte um psicólogo que isso de querer assumir a identidade de outro também me parece uma coisa assim para o estranho (porque é que foi embicar com o Bob Marley? porque é que, em vez de copiar o nome do seu vizinho, não inventou um nome mais adequado a um tuga estiloso, uma coisa tipo Quim Barreiros, por exemplo?). 

Depois há outro que envia longos textos sobre a maçonaria como se estivéssemos a viver debaixo da alçada de sociedades secretas (e eu nem digo que não, sei lá, mas, com tanta convicção até me admira que não tenha também uma teoria sobre a Trilateral ou o Bilderberg, coisa mais em grande).

E há os que enviam palermices, coisas que nem se percebe a que propósito vêm ou insultos a este, àquele e ao outro.

Volta e meia, apesar do descabimento, acho a coisa tão divertida ou aberrante que até publico mas, outras vezes, esses comentários vão direitinhos para o espaço.

Por isso, porque não gosto de as fazer pela calada, aos que não têm o prazer de ver as suas palavras plasmadas no Um Jeito Manso, quero deixar uma sugestão: porque não fazem um blogue vosso onde destilem o vosso humor, a vossa criatividade, a vossa falta de chá, o vosso mau feitio, o que quiserem? 

Vá lá, tentem, vão ver que são capazes. Guardem o vosso mérito e talento para blogues lindos feitos por vocês, está bem? Força!

_


Ou seja:


----

5 comentários:

Célia disse...

:-)

Não mencionou ali um jeitoso, de cabelo a escorrer brilhantina, que se limitou a achar curioso que o "autor" do blog fosse anónimo, tal como os comentadores!
Não comenta o que dedo aponta, olha só para o dedo!
Gosto muito do conteúdo dos seus temas e da forma fluida com que os corporiza.

Um Jeito Manso disse...

Olá Célia,

Já me fez rir! Boa observação a sua, cheia de sabedoria oriental.

Gostei de saber que costuma vir por aqui. Obrigada.

Valha-nos o humor, não é?

Volte sempre Célia!

dbo disse...

Cara UJM,
Apesar de algo arredado destas lides bloguísticas, por razões meramente pessoais que não patológicas, tenho acompanhado diariamente os seus escritos pelo celular.
Sendo oportuno neste seu “post”, eu queria, sem me alardear em seu defensor (não precisa), comentar um comentário que hoje também é criticado por uma leitora.
Que se saiba, ANÓNIMO é todo aquele que não tem um nome, ou até pseudónimo ou onomástico, mas que também, e acima de tudo, não possui canais pessoais de contacto. No seu caso, não seria importante saber QUEM é a pessoa, em que LUGAR preciso vive e o que FAZ.
Ora eu, que sempre a pude contactar pelos seus canais directos, não me importa saber se é loura ou morena, olhos azuis ou castanhos, se vive na rua x, no prédio y, e se é economista ou jornalista. Sei que DÁ a CARA com um pseudónimo (nome do Blogue) e fornece e-mail para contacto. Talvez alguns quisessem o seu telefone, mas ainda bem que o não forneceu. E já agora um GPS…para a controlarem.
Não creio que o comentador, José Modesto, tenha sido mal intencionado, até porque foi educado, contudo partiu de um pressuposto errado, já que a UJM é identificável e contactável.
Como disse, creio que não será necessário saber nome ou ver o rosto publicado, mas sim conseguir contactar por canais próprios e pessoais. Ou será que se pretende “marcar” a pessoa e exibir posteriormente a suas imagem e nome, com fins persecutórios? Ou então fazer chacota da imagem da pessoa e abusar do conhecimento da sua profissão e local de trabalho.
Muitos dos ANÓNIMOS, esses sim, que mandam uns “bitaites” para o seu blogue, talvez sejam jovens e não conheceram a metodologia pidesca durante a “velha senhora”, mas agora parecem querer institui-la durante um Governo que deseja purgar os adversários e institucionalizar a sua ideologia. A metodologia de muitos neoliberais é muito semelhante aos totalitarismos que já conhecemos há algumas décadas e que outros pretendem fazer prevalecer.
Agora poderá entender aquilo que há dias escreveu um extraterrestre, não localizável nem contactável, de seu esquisito nome, KNUDSEN : “Estamos de olho em si.”

Cumprimentos e muita força para manter o ritmo saudável da escrita e mostrar as suas opiniões. Quem não gostar, mude de poiso.

dbo.

FIRME disse...

Já reparei que a figura que dá alma a este espaço formidável,vira fera e morde...certeira!Votos de muita saúde e para os que a rodeiam...Quem sois? anónimos...a resposta ,como canta BOB DYLAN,is in the vind:MEDROSOS,OU MÉRDOSOS...

Um Jeito Manso disse...

Olá dbo,

Nem sabe como fiquei contente por vê-lo aqui. Muito obrigada pelo apoio. Não sou de me deixar intimidar mas gosto muito de receber palavras de estima e apoio.

Tenho recebido comentários de todo o género, uns ameaçadores, outros obscenos. A maior parte não publico pois são uma coisa terrível.

No entanto, fico a perceber cada vez melhor a cambada que por aí anda, rasteira, esgueirando-se entre sarjetas. Gente deste calibre com poder seria perigosa e, mesmo sem poder, é uma cambada que infecta a sociedade.

O que é preciso é que não nos deixemos intimidar. Agora que o clima está cada vez mais doentio e atemorizador, lá isso é verdade.

Mas, enfim, cá estou para o que der e vier e não é por receber comentários ofensivos ou ameaçadores que vou mudar de ideias.

Outra coisa: andava intrigada, se lhe teria acontecido alguma coisa. Ainda bem que está tudo bem. Gostei muito de ler o que escreveu.

Muito obrigada.