Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, novembro 25, 2014

José Sócrates em prisão preventiva. Três dias depois de ter sido detido e depois do incrível aparato mediático, aconteceu o que era quase inevitável. [No meio deste clima de transtorno emocional colectivo em que meio mundo acha que todos são culpados de tudo - incluindo Pinto Monteiro que, por ter ido almoçar com Sócrates e, pelo que ele diz, terem falado de livros, já é descrito como um mentiroso descarado]


O processo Marquês teve mais um episódio notável. Para um ex-Primeiro Ministro foi decretada prisão preventiva, como se estivéssemos a falar de um assassino, violador ou terrorista. Se antes, com o que os jornais e televisões divulgavam, já era difícil defender a presunção de inocência de José Sócrates, agora ainda o será mais. José Gomes Ferreira no Expresso, Helena Matos do Observador e certamente outros já andam a desenterrar suspeições antigas, boatos, desentendimentos políticos como se de crimes inquestionáveis se tratassem e já houvesse sentença transitada em julgado sobre todos eles.



José Sócrates em prisão preventiva - mais uma humilhação 


E se antes eu não percebia porque é que tinham prendido José Sócrates para o interrogar, agora fico ainda mais chocada com a decisão: prisão preventiva! Porquê?! 

  1. Havia perigo de fuga? 
  2. Mesmo depois das buscas já efectuadas, havia perigo de que destruisse provas? 
  3. Havia perigo de que continuasse a praticar crimes? 
  4. Havia perigo de que a população ficasse aterrorizada por ele ficar à solta?
  5. A sério...? Juram...? E são capazes de dizer isso sem que lhes caia um dentinho...?


A acusação é de corrupção, fuga ao fisco, branqueamento de capitais. Mas teria sido saudável para a democracia e justo para com a população - e isto já não dizendo que seria decente para com José Sócrates - que tivesse sido explicado de que se trata.

Em que âmbito esses presumíveis crimes ocorreram? Quando?
  • E foi enquanto cidadão normal? 
  • Ou enquanto primeiro-ministro? 
  • Corrompeu alguém? Quem? 
  • Ou foi corrompido? Por quem?
  • E em quanto? 

Ou seja, de que é que exactamente estamos a falar?
  • Da mãe lhe ter dado dinheiro? 
  • De ele próprio ter comprado livros seus para oferecer a amigos?
  • Ou será que estamos presente um ser alucinado, demente, que enganou amigos e correlegionários e que, esquecendo-se de todos os riscos que corria, escondeu dinheiro em contas de amigos, recebeu dinheiro em maços de notas, fez toda a espécie de irreflectidas tropelias como se de um mentecapto se tratasse? 
  • Ou, se não é nada disto, é o quê?

Nebulosa de Órion

Não deveria ter sido o Ministério Público a informar sobre que é que estamos a falar?

Fará sentido que seja o Sol e o Correio da Manhã a destilarem, gota a gota, informações que ninguém sabe se têm algum fundamento, crucificando o homem na praça pública?

Quem aqui me costuma visitar deve perceber qual o meu estado de espírito. Estou a escrever isto e estou chocada, incomodada, triste. 

Não sei de que se trata, não sei o que é que Sócrates fez ou deixou de fazer, e continuo a ter esperança de que ele esteja inocente. Mas, enquanto ouvia os comentadores durante o longo compasso de espera que decorreu até que se conhecessem as medidas de coação, fui ficando com a certeza de que seria esta a que caberia a José Sócrates. O meu marido também garantia que não podia ser outra a decisão, a Justiça seria ridicularizada e gozada se do interrogatório não escorresse o sangue de Sócrates. É que todos os jornalistas e comentadores diziam que, depois de tudo aquilo a que se vinha assistindo, era bom que os indícios fossem fortes, era bom que não tivessem feito tudo isto a um anterior governante por engano, era bom que se mostrasse que a justiça era igual para todos. Ou seja, toda a gente clamava por razões tremendas que justificassem tamanho espalhafato e, portanto, dificilmente a decisão poderia ser outra.

Nebulosa de Hélix

Face a isto, tenho que dizer que temo o pior. Custa-me admitir que uma pessoa vivendo sob escrutínio, sob desconfiança permanente, se fosse meter em trapalhadas. Do que lhe vi, aquando da sua actuação política, custa-me admitir que, às escondidas, Sócrates fosse um vulgar corrupto, um evadido fiscal. Ele tentará agora provar a sua inocência e tomara o consiga - mas não sei como tal vai ser possível com os cães raivosos à solta, com investigadores e jornalistas em conúbio, com a opinião pública a ser violentamente manipulada a toda a hora, em todo o lado.

A sociedade portuguesa está doente. Por qualquer ângulo pelo qual se olhe para a actualidade só poderemos concluir de que algo vai mal em Portugal. É triste viver em Portugal nestes dias de chumbo. É triste e começo a sentir que é perigoso.

____


Nebulosa do Caranguejo

Enquanto agora escrevo, ouço na televisão comentadores a soldo a opinar sobre tudo e mais alguma coisa, incluindo sobre a entrevista de Pinto Monteiro na RTP 1. Disse o senhor que, durante o almoço com Sócrates (almoço amplamente divulgado pela comunicação social), não falaram de problemas de justiça mas, sim, sobre livros, sobre Lula, e sobre outros temas inócuos, podendo a conversa ser transmitida na televisão que veriam que não passou disso. Vi a entrevista na televisão e nada do que ele disse me pareceu merecer desconfiança. Magistrado toda a vida, Procurador Geral, Pinto Monteiro não é pessoa que possa dar-se ao luxo de ir a um canal de televisão dizer aldrabices.


Pois bem, por algum motivo que talvez Freud conseguisse explicar, agora também ele virou bombo da festa e, sem consideração nem respeito, toda essa gente insinua que o senhor disse mentira atrás de mentira. 

Como se Pinto Monteiro não soubesse que toda a conversa foi gravada e que, se outro tivesse sido o teor da conversa,  não era a notícia do almoço que tinha aparecido nos jornais mas sim a transcrição, tim tim por tim tim, da dita conversa. 


Só me interrogo de uma coisa: porque será que Sócrates desperta um ódio tão irracional em algumas pessoas? Que demónios desperta ele? Que transtornos emocionais? Alguém me explica?


_____


  • A propósito do papel dos jornalistas neste processo, se me permitem, agora a palavra a Fernando Alves cuja voz, nos seus imperdíveis Sinais, tantas vezes me emociona:


  • Recomendo também a leitura do texto Sócrates no blogue Vai e Vem

_____


E agora música, por favor. Ar puro.


Johann Sebastian Bach: Sonata for Viola da Gamba & Harpsichord in G minor, No.3, (BWV1029)

Jordi Savall & Ton Koopman




---


E, caso queiram conhecer a minha resposta ao galanteio que um gentil Leitor me enviou, desçam, por favor, até ao post seguinte.

___


Desejo-vos, meus Caros Leitores, uma boa terça-feira.

(E vamos ver onde é que as centenas de polícias que agora saltam a toda a hora de debaixo de tudo o que é pedra vão escarafunchar desta vez? Ontem andaram, na Operação Remédio Santo, em farmácias e laboratórios; esta terça feira onde será? Em talhos e peixarias? No Banco Alimentar? No Palácio de Belém? Onde?)

__

19 comentários:

Humberto Barbosa disse...

Caríssima UJM
Este país está a tornar-se irrespirável.
A grande voz de Fernando Alves também me emociona e dá-me esperança. Há pouco tempo ouvi-o, em pessoa, no lançamento do livro do pai de uma amiga.
Um grande abraço
H.Barbosa

P.S.: Estou muito revoltado !!!

Pôr do Sol disse...

Cara Jeitinho,

Compreendo-a perfeitamente.
Tambem eu me sinto triste, chocada com o que se passou neste País nas ultimas 70 horas.

Sinto revolta com a prepotência desta justiça, que me faz lembrar os tempos do outro sr.

Confesso que tenho medo. Se quiserem, ninguem está livre das suas garras, mesmo que seja inocente.

Sinto repulsa quando oiço certas pessoas condenar, cheias de odio, sem saberem o que realmente se passa, rejeitando o beneficio da duvida.

E o que aqui foi dito? Nunca pensei!

Pode ter feito algo menos ético, mas ouvi o advogado de José Socrates falar em in-jus-ti-ça.

Temo muito pela democracia que tanto nos custou conseguir.

Desejo-lhe uma noite bem dormida.

Anónimo disse...

Estive a ouvir alguns comentários, quer na TVI24, quer na SIC-Notícias, entre outros. Muito rapidamente, logo de início gostaria de aqui deixar o meu repúdio pela designação coreográfica da operação “policial-judicial”, de Operação Marquês”. Subscrevo inteiramente as críticas que a esse respeito foram feitas por Miguel Sousa Tavares e Clara Ferreira Alves. A Justiça passou a optar parâmetros cómicos, o que é lamentável. Por outro lado, aquilo que foi referido por 3 advogados respeitáveis, num outro canal (TV24), entre os quais a Bastonária, deveria levar-nos a reflectir sobre a extensão de uma medida coerciva deste tipo (sobretudo não tendo havido, pelos vistos, uma acusação de associação criminosa), que pode ir (e provavelmente irá, a não ser que o recurso daquela decisão interposto pela Defesa seja deferido, no que tenho algumas dúvidas, para não desautorizar o tribunal nesta fase do processo) até 1 ano! Uma medida deste tipo não foi aplicada, por exemplo, a Ricardo Salgado, quando a dimensão daquilo que praticou é cem vezes maior, em termos do que potencionalmente foi desviado ao Fisco, daquilo que foi potencialmente branqueado, etc. Por outro lado, uma vez mais os direitos da Defesa foram completamente aniquilados. Ou seja, ouviu-se, tal como se tem ouvido e escrito, a opinião da Acusação, sem permitir à Defesa contrapor. Nos EUA, por exemplo, tal era impensável. As garantias são, ali, idênticas. Sócrates já está julgado, condenado, abatido. E se fosse com um de nós? Por fim, a questão que hoje nos tais debates televisivos foi colocada e de forma oportuna, a do “segredo de justiça”, que é uma pantominice. Serve a Acusação, prejudica a Defesa e condena os arguidos, antes de julgamento. Alguma coisa vai ter de mudar, em breve. Tem de mudar. Num futuro Código Penal. Há que obrigar a Justiça a proceder de outra forma, permitindo que a um acusado/arguido sejam dadas condições de defesa identicas ás da acusação. Não é por acaso que o simbolo da Justiça tem os olhos vendados – exactamente para permitir essa imparciabilidade. Voltando ao que disse no início, aquela designação de “operação marquês” visa o quê? A humilhação e destruição, “ab initio”, da imagem do agora arguido? Com que direito? Tem a acusação receio dos seus argumentos probatórios? Sem querer desqualificar a essência da acusação, admito que para tais medidas como as que foram anuncidas tem de haver um conjunto de indícios bastante fortes, a Justiça só ganharia se tivesse em atenção alguma ponderação na sua exposição (evitando parodiar o processo em causa com designações cómicas inusitadas), como, sobretudo, tivesse dado a oportunidade á defesa de expor a sua versão dos factos (como muito bem referiu MST). E que nos esclarecesse melhor dos fundamentos da acusação que pende sobre os arguidos.
P.Rufino
PS: não suporto a Helena Matos nem o tosco do JGF.


Anónimo disse...

Deste circo só fiquei com uma certaza: José Sócrates é um excelente patrão. O motorista em prisão preventiva por branqueamento de capitais?
O único que ficou cá fora foi o advogado, talvez porque é o único que lhes daria garantias de não vir contar o que ali se passou.
Mas isto sou eu que gosto de fazer filmes...
MCarmoMarcos

Corvo Negro disse...

ESTÁ NA HORA !!!
Está na hora de a Direção do PS deixar de ser o cordeiro para imolar e passar a usar as mesmas regras e armas da direita. A direita andou 9 anos a armadilhar o Estado de Direito e o PS, e a esquerda em geral, andou a dormir.
Esta aí o resultado, Sócrates preso até ver, e julgamento a ser empurrado para as proximidades das as próximas eleições. O PS a fritar em lume brando, para no final do julgamento com a direita de novo no poder, haver o já tradicional tiro de pólvora seca e Sócrates sair ilibado por falta de provas. Partir para uma batalha com armas desiguais, não é guerra, é suicídio.
Ou há um golpe de génio ou o deserto esta ai mesmo à frente e com ele é todo um Povo que continuará a ser massacrado, espezinhado e vilipendiado.

Anónimo disse...

E se for verdade que o Socrates se envolveu em esquemas de corrupção? Então a sociedade doente, fez um bom trabalho, ou é sempre mau, porque sim? Porque é o Sócrates?
Ou pelo contrário revê-se a posição?
Será que o Isaltino por estar sobre escrutínio público jamais estaria envolvido em casos de corrupção? Será que foi mal julgado?
E a Fátima Felgueiras?
E sei lá... o Pinto da Costa?
E o Salgado?
Será que todos os destacados da sociedade, ocupando ou não cargos públicos, por terem sobre ele os holofotes, jamais se envolverão em esquemas ilegais?
Da mesma forma que se presume que o Sócrates por ser Primeiro M não se iria envolver em esquemas, eu presumo que a procuradoria sem provas consistentes não iria assumir a forte posição que assumiu, tal como aconteceu com os vistos gold.
Não quer dizer que já o julgue culpado, quer dizer que em geral reconheço na classe política uma certa apetência para os esquemas, e no Sócrates em particular indícios importantes.
Seja como for, ao invés de nos preocuparmos com os detalhes do processo e do contexto, deviamos antes olhar para o país que temos, que sempre acusamos de ser um país de compadrio e corrupção, e agora que finalmente começam a aparecer investigações consistentes, deveríamos estar contentes por isso.
Para finalizar quais foram as más e as boas: Isaltino, Face Oculta, BES, PT, Maria L R, Vistos Gold, Sócrates...
J

FIRME disse...

Bom dia ! Dizem por aí alguns fanfarrões,que SÓCRATES,foi preso ! Num estado "normal" prendem-se fugitivos ou caso contrário,isto não é normal!Para mim SÓCRATES,FOI SEQUESTRADO !!!O pedido de resgate dos conhecidos autores,virá no dia das eleições,dentro de ano!!! Cabe ao povo digno,pagar ou não esse resgate ! Eu não lhes darei esse prazer...Para os fanfarrões, em ÉVORA ele ainda os vai atormentar ainda mais...Aguardemos firmes !

maria disse...

Comungo da sua tristeza, sinto-me perplexa, quase que posso dizer, sem rumo.Não acredito, neste Portugal em que nasci há muitos anos.Recuamos no tempo, voltamos ao antigo regime, em que só iam presos, os que eram da oposição. Por enquanto, ainda podemos falar, a continuar assim, qualquer dia, até a liberdade de expressão nos será tirada. Já se nota, nos cafés, já não se ouve a falar tão abertamente, o medo começa a surgir.Quero acreditar que estes silêncios, se devam ao inusitado da situação.É tempo de união e não separação. Quanto a comentadores de TV, já não posso com eles, então o JGF, ganhou fama.....
Obrigada, pelas suas crónicas

Anónimo disse...

Apoiado ! Piortugal não só é um país pobre,como está cada vez mais empobrecido,não só materialmente, mas de ideias,de ideais,de bom senso,de competência,de vontade,de retidão, como se está a tornar um país muito perigoso para viver, sobretudo para a grande maioria dos nacionais,... muitos que se regosijam com o que se está passando, estão completamente insanes pois não enxergam a verdade.

Anónimo disse...

Está chocada porque é o Sócrates! Aposto que não ficou chocada com o Isaltino. Não obstante todo o aparato que de certo seria evitável, se o procurador tomou a decisão de o manter em prisão preventiva é porque razões muito fortes o levaram a ela! É escusada tanta indignação. Se fosse comigo ou consigo ninguém queria saber. EU também não quero saber dele... só quero que fique bem longe... porque inocente ou culpado, não é boa rés. Não ponha as mãos no fogo UJM... o dinheiro tolda a visão de muita gente e sinceramente não me custa acreditar que aquela pessoa extremamente metódica, fria e insensível se tivesse deixado tentar por um esquema que lhe dava uma valente almofada.

Anónimo disse...

Ai vais para o isolamento!
Aproveita e leva também o Sô Costa,o João Soares,o Ferro etc etc.E que não te falte um vibrador!

O Puma disse...

Neste circo

ainda há animais à solta

a mando do dono do espectáculo

Corvo Negro disse...

Todos os democratas (os outros não contam) que hoje aqui cantam loas pela prisão de Sócrates, serão também aqueles que amanhã, de uma forma ou de outra, irão sofrer igual tratamento às mãos destes fundadores de uma "república de justiceiros profissionais" à boa maneira do velho Oeste. Que não tenham disso qualquer dúvida.
As etapas para a eliminação das democracias são e sempre foram seletivas porque não podem eliminar todos ao mesmo tempo. Isto por cá começa a ficar muito perigoso, basta dar um relance à História, porque afinal 1934 não está assim tão longe. A História não mente e a Noite dos Facas Longas existiu mesmo.

JOSÉ MODESTO disse...

Boa Noite.
O mais curioso disto tudo é que o autor do blogue não dá a cara, mas os comentaristas também.
Tipico dos Portugueses.
Saudações Marítimas

Anónimo disse...

De um triste desempregado.

Neste link, tem acesso a muitos outros documentos, relativos à criação da empresa de José Sócrates, Medes Holdings LLC.

NO DIÁRIO DE NOTICIAS... 13 março 2009

"Documentos foram colocados no 'site' Fórum Nacional.

São 67 páginas de documentos bancários de Celestino Monteiro, irmão de Júlio Monteiro, ambos tios de José Sócrates, que Mário Machado, colocou na Internet. Os papéis publicados vão desde os certificados de constituição de uma offshore até aos movimentos bancários efectuados durante alguns meses do ano de 2001. Entre compra e venda de acções, o valor global das transacções do tio materno do primeiro-ministro ultrapassou os cem milhões de euros." DN

Como podem constatar no artigo que se segue, vários jornais divulgaram os dados, em 2009, mas actualmente os links foram desviados ou apagados. Caprichos da democracia!

Leia também: Sócrates e usa técnicas da maçonaria

Um Jeito Manso disse...

Caro Anónimo Desempregado,

Os dois tios de Sócrates, meios-irmãos da mãe de Sócrates são herdeiros (tal como a mãe de Sócrates) da fortuna do respectivo pai, avô de Sócrates, um rico empresário de volfrâmio.

São pessoas ricas e é natural que tenham empresas e negócios que movimentem milhões.

Ora os negócios e as empresas dos tios de Sócrates dizem respeito a eles e só a eles, não ao sobrinho. Por isso, não faz sentido falar nos negócios de dois homens ricos, herdeiros de grandes fortunas, apenas porque são tios de Sócrates.

A mãe de Sócrates é também herdeira da fortuna do pai e, por infelicidade, perdeu a filha aos 20 anos com leucemia e, mais recentemente, um outro filho, igualmente na sequência de grave doença.

Tem agora um único filho, o José Sócrates, e é natural que a mãe comece a pôr os seus bens e o seu dinheiro em nome do seu filho único.

Isso não tem mal. Não podemos levar as desconfianças ao ponto de achar que as pessoas apenas porque recebem heranças são desonestas.

PS: Muito sinceramente lhe desejo que arranje trabalho, que tenha sorte, que encontre uma situação segura e a seu gosto.

Anónimo disse...

"Como podem constatar no artigo que se segue, vários jornais divulgaram os dados, em 2009, mas actualmente os links foram desviados ou apagados. Caprichos da democracia!"

pois triste desempregado, pelo menos foi divulgado, e agora desapareceram, não podemos dizer o mesmo destes - http://www.publico.pt/politica/noticia/ninguem-sabe-onde-param-os-arquivos-da-ong-1671015

Elvis Presley

FIRME disse...

Até o 31 da armada do portas ,por aqui tenta escapar...Somos velhos conhecidos...NEM COM SUBMARINOS escapas...FORAM COMPRADOS PARA FAZER SERVIÇO PRÁ TRANSTEJO NOS DIAS DE GREVE...Mas foram muito caros pá ! Muda de rumo,se ainda és novo...CASO CONTRÁRIO Aprende a nadar depressa...há goifinho no tejo que fazem festas nos rabujadores do regime. Cordialmente votos DE BOA SORTE!

Izzy disse...

UJM, gosto da forma como expôs este assunto, de uma forma clara, sem rodeios, alarmismos e, principalmente, sem ataques, coisa que tem vindo a ser demasiado habitual no mundo online, jornais e blogs.
A detenção de José Sócrates foi chocante, a prisão preventiva ainda mais. O ex-primeiro ministro está a ser vilipendiado há anos na praça pública em todos os aspectos e mais alguns. Parece que estamos na era da barbárie em que as pessoas eram atiradas às feras e na Idade Média em que eram humilhadas com tomates e ovos podres na praça pública antes de lhes serem ateados os archotes da fogueira. Isto é o que se está a passar com José Sócrates, queimado no meio da multidão sem direito a defesa e é muito incomodativo ver. Eles nem tentam disfarçar os sorrisos de satisfação, alguns comentadores e jornalistas de serviço, quando se referem ao caso do ex-primeiro ministro, para não falar nas opiniões populares que são sempre de arrasar.
A opinião pública está a ser fortemente comandada para o juízo acusatório porque estamos em época de grave crise sócio-económica, as pessoas andam desanimadas com um futuro incerto e esta é a altura melhor para se arranjar um bode expiatório a quem chamar nomes e atirar culpas.
Eu não sei se JS é inocente ou culpado. A investigação ainda não terminou, não sabemos ao certo o que está a ser investigado, etc. mas é tudo muito estranho, principalmente o tempo, aquele fim-de-semana, em que a detenção para interrogatório aconteceu. JS fez coisas boas e outras muito más ao país. Parece um homem insensível, frio, calculista... Não sei se é ou não, não o conheço pessoalmente. Mas além de tudo é um ser humano e tem direito à presunção de inocência como qualquer um de nós!

A direita está muito enraizada em Portugal, no pior sentido. Temos um PR e um governo com provas declaradas de postura de Estado Novo aos quais a esquerda, PS e demais partidos, incomoda muito...

Gostaria de ver José Sócrates a ser tratado de outra maneira, nem acima nem abaixo de ninguém, mas sobretudo, sem acusações antecipadas.

Um abraço,
Elisabete