Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sábado, junho 14, 2014

Ser muito rico é capaz de dar muito trabalho - que o diga Valentino que tem várias casas para governar


Em tempo de tostões contados, de buracos no Grupo Espírito Santo, de austeridade como desculpa para todas as manobras de diversão e de mentiras para todos os gostos oriundos do desclassificado desgoverno de Passos Coelho, a minha conversa de hoje vai em sentido oposto. De facto, quando se fala mais de tranches de troika do que de tranches de perca, coisa que, já de si, não se recomenda, talvez não faça grande sentido desviar a atenção para rêveries longínquas, castelos, villas, casas luxuosas.

Mas, por outro lado, se não deixamos entrar o oxigénio, como poderemos manter viva a nossa capacidade de sonhar?

Não sei. No outro dia, num comentário, um Leitor(a) perguntava-se se eu tinha escrito um certo texto como forma de psicanálise. Pois não sei. Em termos de psicanálise, vejo-me mais a ouvir, a perguntar, a desbravar do que, deitada, a desfiar pensamentos, reflexões. Mas não sei. Sei pouco de tudo. Mas também não sou de me pôr a tentar encontrar justificações para tudo o que faço ou digo até porque, em grande parte das vezes, talvez não haja grande explicação. E acho que não tem interesse. Pelo menos, para mim não tem.

Adiante, então.

Emma Watson num modelo Valentino couture para a Vogue Italia

Valentino Clemente Ludovico Garavani (nascido em Voghera, Italy, May 11, 1932), mais conhecido por Valentino, é um estilista italiano e fundador da Valentino SpA, marca e empresa.

Nele incomoda-me um bocado aquele penteado cheio de laca e aquela boquinha que faz que me faz lembrar aquelas velhas que tanto se repuxaram que já nem conseguem abrir a boca. Mas, enfim, que interessa isso?

A sua moda é marcante e não há celebridade de Hollywood que não tenha vestido um Valentino. Eu provavelmente nunca vestirei e tenho pena.

Mas o percurso de Valentino é também uma história que dá vontade conhecer. Tendo recebido inúmeros prémios e condecorações, Valentino soube construir para si uma vida de luxo, bem à medida dos sumptuosos vestidos que tem passado a vida a desenhar.

Mas que isso deve dar uma trabalheira e muita ralação, lá isso deve. Valentino e Giancarlo Giammetti, o seu companheiro de há mais de 50 anos, têm cerca de 50 empregados para as suas 6 casas - um enorme iate, o T.M. - Blue One, que está atracado em Veneza, uma villa em Roma, uma casa de cidade em Londres, o Chalet Gifferhorn em Gstaad, o Chateau Wideville, um castelo Louis XIII perto de Paris, e o apartamento em Manhattan.


Mostro-vos um pequeno filme em que se vê o ambiente em três das suas casas. Os pormenores são deliciosos. 

Claro que, volta e meia, este tipo de pessoas aparece envolto em crimes de evasão fiscal. Do Valentino, por acaso, acho que nunca se ouviu nada mas os valores que circulam neste tipo de vida devem ser astronómicos. 

Mas, enfim, deixemo-nos de picuinhices e vejamos o que é vida à grande, à francesa e à italiana.




Há um documentário sobre a vida de Valentino que deve ser bastante interessante, Valentino: the last emperor. Não vos maço com exertos longos mas mostro-vos o trailer. 




*

3 comentários:

lidiasantos almeida sousa disse...

EU CONHEÇO PESSOALMENTE VALENTINO MUITO VAIDOSO JULGANDO-SE UM DEUS E NUNCA ASSUMINDO A SUA HOMOSSEXUALIDADE CASOU COM UMA DONDOCA RICA QUE MUITOS VEZES O SALVOU DA FALÊNCIA, POIS EMPRESTAR VESTIDOS PARA TIRAR FOTOS E DAR PUBLICIDADE É MUITO BONITO MAS MUITAS VEZES NÃO CHEGA E É PRECISO PAGAR AS CONTAS E O BAMBINOS FRESCOS COMO ALFACES. VOU MANDAR-LHE A MINHA ALFACINHA

Um Jeito Manso disse...

Lídia... Você não existe...

Mas conhece mesmo meio mundo...? Fico perplexa com o que me diz.

Sabe, conheço uma pessoa assim, que viveu uma vida recheada, que conheceu meio mundo, que teve uma vida louca, glamourosa, cheia de romances. Mas hoje já não está em condições de escrever coisas como as que aqui me escreve pelo que fico mesmo admirada. Pensava que essa outra que eu conheço era exemplar único e 'afinal havia outra'...

lidiasantos almeida sousa disse...

Eu sou mesmo assim, eu nasci assim, Gabriela.

Não faço a mais pequena ideia de quem pensava que eu era, mas ficava muito grata se me dissesse o nome. confidencialmente é claro, pois pensava ser espécime único trocada na Maternidade, pois as minhas irmãs assim o dizem bem como o resto da família Portuguesa Beijinhos.
Mandei colagens, se calhar repetidas mas é da emoção de Portugal estar a perder com a Alemanha, pois detesto o falso Ronaldo. que eu conheço pessoalmente bem como a Russa de pernas tortas. O meu ídolo, um prodígio da ciência, nasceu para ter um metro e quarenta mas a ciência e a perseverança do Pai, conseguiram que ele atingisse um metro e sessenta e oito, é o Leonel Messi, que não precisa de se exibir todos os dias, com fotos de foto shop apresentando uma musculatura anormal, Querido Messi que troca mail comigo, bem como a sua linda mulher. Que satisfeita eu ficaria se a Argentina fosse campeão do Mundo já que a minha França está muito em baixo.