Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, junho 02, 2014

Se houvesse primárias no PS, ainda haveríamos de ver Paulo Portas de cabeleira e óculos escuros, disfarçado de militante socialista, a votar no Seguro. Se houvesse primárias, tudo o que é PSD e CDS iria votar em Seguro. Mas, ainda assim, não chegava pois, com certeza, ganharia António Costa. Isto preconizou Marcelo Rebelo de Sousa no seu comentário semanal na TVI. (Isto, claro, se o disparate das primárias fosse adiante, às pressas, a trouxe-mouxe, sem querer saber dos gastos). Este Seguro está a revelar-se uma anedota!


António José Seguro:
chumbos nos pés, uns a seguir a outros

Dizia-me, há bocado, a minha mãe. A mim nunca me enganou. Um manhoso, um chochinha. Ná. Aquilo nunca me enganou. Alguma vez se podia confiar naquilo? Ná, nem pensar. Podia lá eu votar naquilo?

Falava-se do Tozé Seguro, claro. Vá lá saber porquê, quando fala da criatura, diz 'aquilo' com ar de  mal disfarçado desprezo.

No Costa diz que sim, claro, votaria, que é pessoa em quem acha que se pode confiar, que parece ter capacidade para as empreitadas que tiver pela frente

O carisma de uma pessoa é importantíssimo. Através do carisma, a gente antevê o que lá vai dentro e antevê a forma como a pessoa agirá em certas circunstâncias. Carisma, ou se tem ou se não tem. António José Seguro não tem. Por muito que se pinte, por muito que ameace, por muito que arreganhe o dente. Não tem carisma. (E não tem várias outras coisas mas, agora, estou a restringir-me ao carisma). António Costa tem (e certamente tem também outras coisas de entre as quais apenas refiro o sentido de humor e charme, pelo que automaticamente cativa o eleitorado feminino).

António José Seguro:
cada cavadela, cada minhoca

No carro, quando ia do campo para casa dos meus pais, já eu tinha ouvido que o Totó Zero tinha dado mais um tiro no pé. Tinha chegado às redacções um comunicado creio que da Direcção Política do PS a dizer que, se António Costa ganhasse as eleições para candidato a Primeiro-Ministro, o Tozé se demitiria.


What...?!

Então, se é assim, para quê esta invenção peregrina de agora querer eleger um candidato a Primeiro-Ministro (ainda por cima, em primárias abertas a militantes e simpatizantes)...?

Então porque não há pura e simplesmente um congresso (urgente!) para escolher um secretário geral?

E leio que agora vem acusar António Costa de querer uma liderança bicéfala... Mas o sujeito passou-se mesmo? Pifou? 

De uma forma perfeitamente irracional, está numa de fuga para a frente e estranhamente sem maneiras nenhumas. Estalou-lhe o verniz, dizia o meu marido. Andou anos a aplicar camada sobre camada para agora deixar a nu o tosco que é.

Ouvi o comentário de José Sócrates na RTP e depois o Professor Marcelo com a Judite. Não sei se o Totó também ouviu e, numa de negação, como anda, é capaz de achar que é gente que anda a fazer o frete à direita, dando cabo dele. Quando as pessoas enfiam a cabeça na areia, mal respiram e é sabido a falta que o oxigénio faz às cabecinhas.


Marcelo Rebelo de Sousa, então, foi arrasador. Diz que os PSDs ficaram de cabeça perdida, nem queriam acreditar em tamanho pesadelo a seguir à valente traulitada que tinham levado nas eleições. O Costa?! Não, please....



António Costa:
nem santo, nem pecador,
nem Messias, nem D. Sebastião
-
Nada disso se lhe pede.
Apenas que vá arrumar a casa no PS
para, logo de seguida, poder ir à luta.


Por isso, embora imaginando que ninguém próximo de Seguro leia estas minhas simples palavras, daqui lanço o apelo. Se for possível, mantenham-no retido em casa, tapem-lhe a boca, impeçam-no de escrever, ponham-no a dormir. Depois, quando ele vier a si e der mostras de ter percebido o que aconteceu -  e espera-se que isso não demore muito a acontecer - convençam-no a convocar de súbito um congresso extraordinário para irem a votos. Isto tem que se resolver rapidamente.

O País precisa de um Partido Socialista unido, forte, a fazer frente a este governo destrambelhado. 

Não é apenas uma questão interna do Partido Socialista. Não. É uma questão nacional. 

Com mais chumbos na calha, com o Governo também de cabeça perdida, com Passos Coelho ressabiado e com vontade de fazer sangue, com um novo orçamento daqui a nada a ser preparado, como é possível não haver oposição? 

É urgente, a bem do País, que António Costa pegue nas rédeas do PS e comece a ir a jogo.


Por isso, daqui lanço, uma vez mais, um novo apelo: alguém ensine o Seguro a portar-se como um homem, saindo de cena com dignidade. Por favor. Os socialistas (militantes e simpatizantes) não gostam de assistir a espectáculos como os que Seguro anda a proporcionar.


___


As imagens, como é fácil ver, provêm do inesgotável e extraordinário blogue We Have Kaos in the Garden.


_

5 comentários:

Vitor Gomes Freire disse...

Nem mais, UJM .
Muito bem !
Esperemos que este triste e confrangedôr " espectáculo " termine urgentemente . . .

Melhores Cumprimentos

Vitor

lino disse...

O Tozé sempre foi uma anedota sem graça. Infelizmente, os militantes do PS não perceberam isso a tempo.
Beijinho

Anónimo disse...

Seguro tem os dias contados. E vai sair pela porta pequena. Sem honra. E amanhã ninguém se lembrará dele. Poderia ter tido um outro tipo de comportamento, mais consensual e com isso até poderia ter ganho algum prestígio e travar o ímpeto de Costa. Mas o Poder cega tantas vezes os políticos!
Mudando de assunto, fico algo surpreso de ver a pouca atenção pública dada ás declarações de Maria Le Pen sobre a UE, ao afirmar que não está contra a Europa, "mas contra a União Europeia e o Euro que tal como está, forte, corrói a economia francesa e a de outros países". Com Le Pen como Presidente em França, o que será da União Europeia? Como reagirá a Alemanha (apesar de ela a ter sossegado...)? E como reagirá a Comissão? E a própria economia europeia? Temos "pano para mangas" se a Marie ganha as Presidenciais, no futuro.
Hoje em Lisboa esteve tão agradável e por aqui, esta noite, parece a Costa da Irlanda!
Grato pelas suas palavras a um comentário anterior que fez sobre um meu.
Um dia, já reformada, ainda há-de escrever um livro que eu irei ler com gosto à lareira, lá no meu Douro, ou Beira-Alta! Acompanhado com um Porto Velho.
Um boa e descansada noite!
P.Rufino

FIRME disse...

Primárias ou em findárias,vamos acabar com o seguro,deste governo de pilantras sem lei...

FIRME disse...

Hoje,na plena posse das faculdades que me restam...AFIRMO!! LEMBRAM-SE VELHOS HERÓIS desconhecidos,do juramento de bandeira,que nós repetíamos,como autómatos,JURO:Não retiro nem 1 letra ao comentário de 17-07-2014! Recordem os que isto viveram,as lágrimas dos pais,amigos,que assistiam ,sem perceber o destino cruel que nos esperava!Portugal,é um pequeno país...Devia chegar para todos,termos uma vida digna!Há um problema:HÁ MUITO CIGANO RICO.! Fujam,emigrem,prós vossos paraísos ficais,nós viveremos dentro das nossas possibilidades !SE NOS DEIXAREM...oBRIGADO !J.M.