Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quinta-feira, junho 19, 2014

Mário Soares e Ferro Rodrigues cerram fileiras em torno de António Costa. Num emocionante discurso no Tivoli, o camarada Soares, o velho leão, rugiu com força e garantiu que Seguro não será primeiro-ministro.


Liguei a televisão e vi Ferro Rodrigues (com um casaco que não parecia dele) a fazer um grande discurso de apoio a António Costa. Sentia-se nas suas palavras a emoção que é tão palpável quando as pessoas sentem que, unidas, poderão fazer valer a sua força, a força das suas ideias, a emoção que antecede as vitórias mais sofridas.


Mário Soares durante o seu discurso de apoio a António Costa
(apontando o dedo aos que não defendem Portugal)

Passado um bocado, vi Mário Soares (também com um casaco todo pendão, descaído de um dos lados) num vibrante discurso, num Tivoli em festa, apoiando o camarada António Costa, que trará a esperança a todos quantos estão prontos para trazer esperança ao País.


Não foi brando nas críticas ao Totó Zero, esse tal que quer ser primeiro-ministro, que andou durante três anos sem falar no PS, esse que quer um PS feito a meias com a direita numa lógica de distribuir lugares. Erguendo o pulso, o velho leão, ainda um líder pujante, agilizou o caminho de António Costa, abriu ainda mais as alas que estão cada vez mais abertas: por elas está prestes a passar o camarada Costa de quem se espera que governe à esquerda.

António Costa imparável

Depois, passado um bocado (tenho que explicar que tinha chegado a casa e andava a cirandar pela casa, a tratar das minhas coisas), vi António Costa a falar.

Há em algumas pessoas aquilo que se chama carisma (e não me vou repetir pois já muitas vezes falei aqui disso) e quem o não tem será inevitavelmente um flop (como foi essa fraca figura do Hollande e como tem sido o Tó-Zero como líder do PS).

A garra de Soares empolgando um PS ansioso por ir à luta,
com António Costa à frente do PS




António Costa, pelo contrário, tem punch, tem garra. Podem as ideias dele, em geral, ser parecidas com as de Costa - e isso é normal já que militam no mesmo partido - mas a sua maneira de ser faz a diferença. 

Quer se queira, quer não, são as pessoas que fazem a diferença. Não é uma questão de ser messias ou não. É uma questão de perfil, de adequação em termos de casting. António Costa tem perfil para ser um grande líder e um bom governante (tem inteligência, competência, experiência, acutilância e empatia). António José Seguro não. O Tozé sempre aqui o disse: tem ar de sobrinho bem comportado de uma tia velha e beata. Imagina-se que seria este Tozé que iria bater o pé à Merkel...? Coitado. Ao fim de dois minutos já ela o teria metido no bolso.

Totó-Zero, o pequeno e maldoso bailarino


(segundo o blogue We Have kaos in the Garden)

Mas o António José Seguro, para além do mais, está a revelar-se um mau carácter e um pobre néscio.  As acusações mesquinhas e torpes que tem feito a António Costa e as jogadas de bastidor são do pior que há. Então a criatura não tem capacidade para avaliar o que o rodeia? Não vê que a única saída digna teria sido convocar um congresso, ir a votos e sair de cabeça erguida? Não?


Pois, não vê. Com manobras difamatórias e dilatórias, está cada vez mais isolado. Vai ter um fim triste: escorraçado, com três gatos pingados a apoiá-lo e provavelmente porque não sabem como descartar-se.

O que me espanta é como as pessoas medíocres se agarram de tal forma às suas pobres ambições, cegando, passando de medíocres a más. De facto, tornam-se desprezíveis aos olhos dos outros.





António Costa à beira de se tornar o líder do PS
 e o próximo Primeiro-Ministro de Portugal


António Costa, pelo contrário, é um ganhador, alguém que não se vai contentar com uma vitória pequenina, alguém que diz que os portugueses podem contar com o PS e com ele. 


Tem o discurso simples de quem sabe que bastam três ou quatro conceitos básicos mas abrangentes para marcar uma agenda (quais 70 medidas, quais 120...), tem o olhar firme e a voz aberta, saberá aguentar-se à bronca. São características assim que dão confiança às pessoas. Ele fala para as pessoas, ele quer voltar a pôr as pessoas no centro de tudo. E é assim que tem que ser. Sempre aqui me tenho interrogado: se não se governa para as pessoas, governa-se para quê?

O meu apoio de pouco vale mas uma vez mais aqui o digo: o meu apoio a António Costa é total. Que rapidamente o PS se organize e fique pronto para ir à luta é o que se pede. Este governo está em roda livre e não há quem o trave (para mal de todos nós). Tomara que o pobre do Seguro reúna alguns restos de dignidade que lhe tenham sobrado e saia pelo seu pé. Rapidamente. Talvez, então, com uma oposição firme, o Governo fique com o destino traçado e os portugueses possam voltar a ter esperança no seu futuro.


___


Não vem a propósito isto que agora se segue? Talvez não. Mas António Costa é um boa onda e acho que aprecia tudo o que é bacanagem e, por isso, aqui faço uma dupla homenagem (até versejei). 

Francisco Buarque de Hollanda
(nascido em 19 de junho de 1944)

Belíssimo. Sempre.
  • Ao Chico Buarque, esse eterno pedaço de mau caminho (e a ver se aparece aqui alguém a desmentir-me...), daqui envio os meus votos de uma vida longa e feliz. 
Nele, os 70 assentam-lhe com um charme que até arrepia. Nem é apenas o azul chocante dos seus olhos, nem é o cabelo indecentemente grisalho, nem a boca obscenamente feita para encantar. Nem é a voz. Nem a escrita. Nem nada em particular. É tudo. É como se diz da agricultura: aproveita-se tudo. Aos 70 anos Chico está ainda na flor da idade.


  • Ao António Costa, para que vá sentindo o gostinho da festa que não tarda a aproximar-se. Puxo para este post o aniversariante Chico para vir animando a gente, para que avancemos com alegria, novos e velhos, homens e mulheres. O futuro de Portugal tem que ser reprojectado e temos que avançar coesos e felizes. Com respeito por toda a gente - incluindo pelos artistas e por toda a gente do conhecimento, em geral (que, como Ferro Rodrigues lembrou, tão esquecidos têm sido nestes últimos desgraçados anos).


Chico Buarque, na Flor da Idade aos 70 anos


(reparem no olhar malandro que fez tombar tantos corações femininos 
e que agora ainda deve estar mais eficaz)



* * *

4 comentários:

Anónimo disse...

O António Costa é uma excelente pessoa. Quando vivemos em Birre (Cascais), antes de mudar para aqui, ele foi nosso vizinho - de fim de semana. Ali estava com a família (como a Maria Antónia Palla), sempre sem cerimónias, nunca o vi trazer o carro do Estado, muito afável e simpatiquíssimo. Lá trocávamos umas conversas curtas e ali estava descontraído. Mais tarde, voltei a encontra-lo em Sintra, por mero acaso e houve uma altura até por razões de coincidência profissional. Sempre a mesma postura simples, educada, afável, simpática.
Nas circunstâncias actuais, quer para o PS e o País, não duvido de que dará um PM capaz de nos trazer alguma esperança. Que o País bem precisa, depois de 4 anos de ser desgovernados por um bando de trogloditas de extrema-direita, cabotinos, como o Passos, Portas, Albuquerque, Gaspar, Relvas, Poiares, etc. Umas avantesmas do piorio!
Agora, convém Costa perceber que no exacto momento em que se aliar á Direita (por exemplo Portas, essa “cobra” política, sempre pronta a morder a mão que a alimenta, de uma deslealdade patológica, ou outro qualquer líder do PSD, já que Passos começa a mostrar o natural “rigor mortis” típico de defunto político), António Costa irá trilhar o caminho que o levará à desilusão popular. Costa deve apostar na maioria absoluta, mas, caso não o consiga, então que faça arranjos à Esquerda (Alberto Martins, creio, já defendeu isso, e bem, embora no campo oposto, de Seguro, talvez numa de cativar votos para o TóTó). Sem medos da cambada abjecta das Troikas da vida (de miséria que nos imposeram).
A ver vamos, como dizia o cego!
Agora, se Passos, que não sendo inteligente tem esperteza saloia q.b se lembra, com o apoio do “Alzheimar de Belém” de pedir eleições antecipadas (seguindo o conselho dessa manipuladora figura que é o Prof Marcelo), então temos um sarilho daqueles! Uma confusão chatíssima! Apanhando o PS em convulsaão interna.
Asta!
P.Rufino

Um Jeito Manso disse...

Olá P. Rufino,

Não o conheço pessoalmente mas conheço quem o conhece e dele diz maravilhas. As referências pessoais que tenho tido dele são as melhores. E, além disso, conhecemo-lo como governante e sabemos que tem traquejo e inteligência (e simplicidade e afabilidade) para fazer um bom papel. Claro que não é deus na terra e não se espere que se porte como um anjinho.

Seja como for, de entre os que estão na praça pública, não há outro com melhores condições que ele para deitar mão ao País a ver se impede que se afogue de vez.

Mas o Seguro está cá a sair-me uma mosca morta peçonhenta, credo. Uma melga. Não larga. é caso para se dizer: não dança nem sai da pista...

:)

Vitor Gomes Freire disse...

De novo, MUITO BEM , estimada UJM !
Exactamente o que penso e sinto , há muito .
Esperemos que alguma " volta" possa sêr dada. . .
Tem que haver maneira de se procedêr a um Congresso , extraordinário !
Impossivel e perigoso deixar arrastar esta situação política até fins de Setembro .
A noite de ontem foi verdadeiramente emocionante com Mário Soares a " comandar" e expressar os desejos do grande eleitorado do PS .
Aguardemos, pois, com muita esperança !
Melhores Cumprimentos
Vitor

Um Jeito Manso disse...

Caro Vítor,

tem razão. Emocionante. E um ambiente de festa, de confiança. Uma união de vontades, um querer ir para o mesmo lado. Ver os punhos orgulhosamente erguidos e ver a força impulsionante de Mário Soares não nos pode deixar indiferentes.

Obrigada, uma vez mais, pelas suas palavras.

Um bom dia!