Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quinta-feira, junho 19, 2014

Governo faz birra contra o Tribunal Constitucional que, por unanimidade, os mandou catar macacos em vez de andarem a maçá-los com a tal da aclaração. Como vingança, o desGoverno vinga-se nos funcionários públicos que já receberam o subsídio de férias. Mais do que uma provocação ou uma guerra, são atitudes infantilóides umas atrás de outras. De dar dó. Só pergunto é se não há por aí alguém que faça o favor de baixar as calcinhas a essa poiazita que por aí anda e de lhe pregar umas valentes palmadas no rabo que é mesmo o que ele anda a pedir. Que indigência emocional e moral, senhores


No post abaixo já falei do apoio explícito e vibrante que Mário Soares e Ferro Rodrigues fizeram questão de publicamente prestar a António Costa no Tivoli. Grandes discursos os deles. E grande atitude também a de António Costa, que belas e motivadoras palavras. E que emoção perpassa por aquela gente que cerra fileiras para encabeçar a luta contra o governo de passarinhos que não sabe o que anda a fazer e que está mais do que na hora de ser apeado.

(Nota: atenção que esta dos passarinhos não é ternurenta. Passarinhos maldosos, perigosos. Pensando bem, passarões é melhor)

Juntei à festa o aniversariante Chico Buarque que aos 70 anos está na flor da idade, charmoso que só ele.

Mas isso é mais abaixo. Aqui, agora, a conversa é outra.

___


Poiares Maduro:
não era este que era tido por inteligente?
Um puto malcriado e birrento
é o que ele me parece

Aqui falo das desqualificadas criaturas que acabei de ver na televisão a fazerem baderna com isto dos subsídios de férias, como forma de afrontarem o Tribunal Constitucional. Já me apareceram aqui na sala - e sem eu os convidar para tal - o Poiares Maduro, essa fraca figura que por aí anda não se sabe a fazer o quê, e mais um rapazola qualquer do CDS, nem lhe fixei o nome nem sei em que qualidade falou, parece que era um tal Ávila mas não garanto, um fedelho arrogantezeco.


Sem respeito pelas pessoas afectadas, não querendo saber da diferença que fazem uns quantos euros no fim do mês aos funcionários públicos que auferem salários mais baixos, como uma infantil e estúpida birra, agora não querem devolver o dinheiro que cortaram nos casos em que processaram o subsídio de férias antes da entrada em vigor do Acórdão.

E, como meninos palermas, inventam parvoíces ridículas e dizem que isso decorre de os Juízes do Constitucional (por unanimidade!) terem dito que não fazem aclaração coisa nenhuma nem lhes dão explicações à borla sobre o que é governar. 


Claro que, numa atitude inédita, o Tribunal Constitucional já emitiu uma Nota a dizer que, da tampa que lhes deram a propósito da aclaração, não se pode inferir que não devem ser rectificados os subsídios de férias lá por terem sido pagos antes de 31 de Maio. Claro.

Isto talvez sirva de lição aos Juízes do Palácio Ratton para ver se, da próxima vez, não dão abébias ao desGoverno. Consideraram que aqueles cortes eram absurdos e insconstitucionais mas, vá lá, fecharam os olhos e, para não molestarem muito os desgovernados que não sabem o que por aí andam a fazer, disseram que, pronto, o que lá vai, lá vai, e que as verbas subtraídas deveriam ser repostas a partir de 31 de maio.

E agora, mal agradecidos, estes indigentes do desGoverno, para se vingarem e por se vingarem de mais uma humilhação, desforram-se, uma vez mais, nos funcionários públicos.

Cambada. Gentinha mais infantilóide e cobardola. Chiça!

Claro está que Cavaco Silva deveria vir repôr alguma ordem institucional no cabaret da coxa em que o Láparo, o vice-irrevogável e a pinóquia têm transformado o Governo. 

Mas qual quê. Caladinho ou a dizer banalidades, deixa que o pântano vá ficando cada vez mais pastoso. Nulidade parece que lhe chamou Garcia dos Santos que diz que já nem o pode ver. Percebe-se. 


De resto, não tem ele deixado passar tudo isto que é declaradamente inconstitucional (já para não dizer que é manifestamente errado do ponto de vista económico e, caraças, de economia o Cavaco tinha obrigação de perceber alguma coisa)?

Claro que a situação interna do PS também não ajuda nada. Uma vergonha o que Seguro anda a fazer. Incompreensível. 


Os alemãos a gozarem com o CR3,
dizendo que está na hora de Ronaldo
rapar o tão amado cabelinho


Um com uma tendinose rotuliana, outro à cabeçada, outro com não sei o quê no músculo reto, outro que não se demite nem à vassourada e contentinho com uma vitória pequenina, um vice trampolineiro que apregoa coisas que não lhe dizem respeito, outra que anda a fazer flores à custa de crianças, um láparo que é como um terrorista que não respeita a lei nem os órgãos de soberania, e um cagarro que assobia para o lado, isto quando não lhe dão coisas vagais - estes são os protagonistas da miséria nacional nestes dias de Junho do ano da graça de 2014. Uma anedota se fosse o caso de fazer rir. mas quem é que pode rir da desgraça que é todo este panorama?


__


As imagens, como é bom de ver, são do inesgotável We Have Kaos in the Garden

___


Relembro: sobre o apoio de Mário Soares e Ferro Rodrigues a António Costa e sobre o gatosíssimo Chico que, aos 70 talentosos anos, dá dez a zero e muito garotão que por aí anda, falo já a seguir. Desçam, por favor.

__

4 comentários:

Anónimo disse...

UJM,

Tenho um colega, um que era da mesma turma que eu já no secundário, que é a cara chapada do Poiares Maduro. Mas é que não imagina, é igualzinho, só que mais novo. A cara chapada, digo-lhe eu. Um pedantezeco convencido. Cheio de complexos porque é baixinho e tal que até se vê na forma como anda. (Também eu sou baixinha, mas superada há muito a fase das picardias escolares, dou-me muito bem comigo mesma: chato é não chegar à última prateleira da biblioteca ou do supermercado, quando não há ninguém por perto a quem pedir. Mas se estiver lá alguém, não hesito em pedir o favor de chegarem ao que quero, não tenho cá dessas vergonhas). Não o suporto nem um bocadinho, mas ele então detesta-me. Nem lhe conto a cara que faz sempre que passa por mim. Isto, quando não finge que não me vê e desvia o olhar.

JV

Anónimo disse...

Era de esperar que o TC desatendesse o pedido do governo. E Passos sabia disso. Como é macaco e mau, tentou ganhar tempo. Com vista a algum plano maquiavélico que prepara. Parte do plano terá sido revelado pelo provocador oficial que é o Maduro (ou Podre, pois é mentalmente podre. Aquelas declarações na rádio sobre o governo e o TC são imundas) com o que veio dizer. Este governo é um álbum de cromos! E cada um de meter medo! Um dos cromos que anda desaparecido é o Lomba das barbas. Que é feito do bicho? Ainda lá está, no governo? E o que faz já que deixou de fazer o que costumava fazer mal feito, essas cenas dos “briefings”? Esta perseguição aos funcionários públicos, mas também aos reformados e pensionistas deve ter alguma origem patológico antiga. Será que o Passos e outros lá no governo tiveram ascendentes que foram funcionários do Estado, pensionistas e reformados que lhes davam porrada, os tratavam mal, os insultavam (aqui depende, pois se porventura lhes chamavam de sacanas, biltres, safados, até estariam a adivinhar o futuro, ora bem!), afinfavam-lhes com umas palmadas nos traseiros, impunham-lhes castigos (pelos vistos não resultaram, pois não aprenderam!) obrigavam-nos a comer fruta com bicho, etc. Será? Se calhar! A ser assim, a oposição tem que contratar um psicólogo e uma psiquiatra e ver o que se pode fazer com aquela gente. Por mim, vou já adiantando o serviço e ver se ainda há quartos no Júlio de Matos e no Conde Ferreira uma vez diagnosticados e indicado o tratamento. Começo a achar que este governo tem de ser encarado como um caso clínico especial- grave, mais do que político. Sinceramente. Ou então, a coisa é bem mais simples e ali estão crianças e não adultos e o governo é tão só um jardim infantil, de meninos zéquinhas ou meninos reboredos (das anedotas) maus, a precisarem de disciplina férrea num infantário para delinquentes de bibe!
Ah, o que me ri com JV sobre ser-se baixo/a! Há homens assim, baixos e maus. Há muitos anos tive um colega igual ou quase. Acabámos por nos dar como o cão e o gato. Intriguista, mentiroso e mau carácter. E em vez de lhe dar uma palmada, que não adiantaria nada, um dia resolvi comprar numa feira, uns socos (daqueles pretos, das aldeias do antigamente, com saltos de 10 cm) e levei-lhos. Ofereci-lhos com: “a ver se cresces pelo menos a partir dos pés, já que dessa cabeça só sai miséria! ”Aquilo era vê-lo a rabiar! Espumava! Muitos anos depois, reencontrei-o, já lampeiro, a trabalhar numa boa empresa privada. Rosnámos qualquer coisa um ao outro, a título de ”cumprimento”, tipo dois cães Dobermann, “encolheste, ou é impressão minha?”disse-lhe; ele devolveu-me a “atenção” com outra preciosidade qualquer. Ainda um dia acaba por integrar o governo de Passos (Ministro das alturas, ou dos baixos). Não me admiraria! No CM vou ver se vejo um anúncio a dizer: “cabotino de metro e meio oferece-se para Ministro!” Se encontrar telefono logo ao Passos (de cabelo ralo) e ao Maduro (baixinho).
E, entretanto, lá veio o Marques Pedante a desdizer o pató do Maduro. Oh, Maduro e tu ficas-te? Ou lhe trepas ao colarinho e lhe dás uma dentada na orelha, ou demites-te! Sê homem! A Constaça Cunha e Sá é que te topa à distância! Hoje deu-te no cocuruto!
P.Rufino




Um Jeito Manso disse...

Olá JV,

A altura não interessa excepto para quem se deixa minar por um qualquer complexo inibidor.

Tantos homens pequeninos que não se deixaram perder por isso. Agora quando fazem tudo para o disfarçar ... é que a coisa fica ridícula.

Quanto a si o que vejo é que a JV é um concentrado de energia e determinação.

Acho-lhe muita graça.

Um Jeito Manso disse...

Olá P. Rufino,

Esta gente do Governo é de um amadorismo, leviandade, incompetência, desatino... nem sei que expressão melhor se lhes aplica. É mau de mais para ser verdade.

E não têm vergonha na cara, não têm brio. Até faz impressão. Na sua petulância em pensam nas vítimas do seu destempero. Há qualquer coisa de psicótico naquela gente.

(Neles e no Tozé. Que coisinho mais medíocre, aquele Seguro)

Também vi a Constância: ela até ferve ao falar desta cambada toda, já nem mede o que diz. Está como o Garcia dos Santos, também perdido da cabeça com o Cavaco.

Esta gente, de facto, tira qualquer um do sério.

Um bom dia para si, P. Rufino!