Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, fevereiro 02, 2014

Para ser coadjuvada na organização do antes e na reconstrução do depois, estou a pensar seguir o exemplo da dominatrix do vídeo que aqui vos mostro. Se ela, só para receber o marido, recorreu a este estratagema, eu, para receber também os meus pimentinhas (e respectivos progenitores), tenho mais do que razões para recrutar uma resma de masocas...!


No post abaixo já vos falei das razões particulares para a animação que hoje (uma vez mais) reinou aqui por casa. 

E, claro, da animação nasce a desarrumação. E antes da animação há a preparação. E, depois de tudo, começa outra fase que é a da arrumação.

Ou seja: agora que aqui estou, a coisa já está minimamente regularizada mas acho que, daqui para a frente, vou adoptar a táctica da dona de casa que aparece no vídeo que vos vou mostrar lá em baixo.

Entretanto, mostro-vos um bocadinho da festa que acontece de cada vez que os quatro pimentinhas estão juntos. 


Chegaram vindos da ginástica e, portanto, supostamente cansados. Mas qual cansaço...? Nenhum. 

Depois de almoço brincam, brincam, pegam-se uns com os outros especialmente quando o sono espreita, fazem as pazes, brincam, brincam. É que nem pensar em dormirem a sesta. Nada. Depois lancham. E, a seguir, brincam, brincam, brincam. Só quando, ao fim do dia, caem no carro é que adormecem, perdidos de sono com tamanha estafadeira.

A minha bonequinha mais linda está grande, doce e sempre muito feminina. 

No meio da maior confusão que os três rapazes armam, ela mantém-se a brincar sossegadinha. 

Hoje estava com o cãozinho de louça que se vê na fotografia. 

É um cão a que achei muita graça uma vez em que estava em Honfleur e com saudades da minha cadelinha que tinha ficado em Portugal. A minha não era nada assim, era uma boxer, mas enfim, cão é cão. 

E então hoje a minha menina pegava-o ao colo, tapava-o, toda maternal a tomar conta do cãozinho. 

Claro que volta e meia se passa com os primos mas é coisa passageira, pois adoram-se. E com o irmão é uma doce, meiguinha que só visto.



O bebé é um pândego. Está quase a fazer ano e meio e já é super-independente. Come completamnete sozinho, seja o que for. Senta-se à mesa e nem é preciso assistência: seja sopa, seja peixe ou carne, seja sobremesa ou iogurte, manueseia a colher como um rapaz crescido. Por exemplo, revira a embalagem de iogurte para limpar tudo com uma destreza surpreendente. Até lambe a parte de dentro da tampa.

E imita a irmã e sobretudo os primos em tudo o que os vê fazer. Ri, 'fala', brinca na maior das alegrias. Gosta imenso de fazer 'moches' ao primo ex-bebé e o ex-bebé, que adora o primo-bebé, deixa-o fazer tudo o que quer. Hoje fazia de cavalo e transportava o primo ou, simplesmente, andavam na brincadeira no meio do chão.


E depois, de vez em quando, são os três mais crescidinhos que começam a fazer desenhos e jogos uns com os outros, compenetrados. 

O mais crescidinho já sabe escrever sozinho, descobrimo-lo para nossa surpresa. Começou a aparecer com frases escritas e coisas da lavra dele (ou seja, não eram palavras copiadas). Ninguém lhe ensinou, aprendeu sozinho. Sabe as letras e, pelos sons, deduz.

Claro que, volta e meio, lanço-lhe desafios a que ainda não consegue ir e fica todo arreliado comigo, acha que estou a chateá-lo (e estou... adoro pregar-lhes partidas e, para ele, são partidas que lhe prego quando lhe peço para escrever coisas a que ele, pela dedução, ainda não chega). Por exemplo: agora não me lembro qual a palavra mas sei que metia um lh e duas vogais juntas. Agora que estou a escrever isto só me lembro de coelho mas não foi, não ia sacrificar a criança com uma malapata dessas. 

E, no meio da confusão, ainda houve lugar para cortes de cabelo. O bebé já estava cabeludo, o cabelo a precisar mesmo de uma aparadela. Não foi fácil porque não pára quieto mas ficou mesmo giro, muito rapazinho, cabelinho todo curtinho.

Quem, de imediato, foi logo buscar um banquinho para que eu lhe cortasse também o cabelo foi o ex-bebé. Adora. Nem se mexe. Até me chama a atenção para cortar mais aqui ou ali para prolongar a sessão. 

Mas, enfim, como eu também adoro cortar cabelos, fico toda contente quando tenho clientela.

Bom, mas voltando à 'cena' da trabalheira que estas movimentações sempre envolvem, dizia eu lá em cima que, de futuro (um futuro muito próximo, a começar já este domingo - pois quer-me cá parecer que daqui a nada já cá os tenho de novo), vou adoptar os truques da senhora do vídeo aqui abaixo.

Ora vejam se não é uma boa (uma boa ideia, quero eu dizer).




Anúncio de Vodka (Wodka Vodka - Dominatrix Cleaning)


*

Sobre festas de aniversário, stripteases e parabéns a você, é favor descerem até ao post seguinte o qual não é recomendado a meninas seja de que sexo forem.

*

Estava cheia de boas intenções, queria responder aos comentários e aos mails. Mas não consigo, estou cheíssima de sono. E ainda quero dar uma espreitadela ao Expresso, sendo mais do que certo que adormecerei a meio.

*

Desejo-vos, meus Caros Leitores, um belo, belo domingo.


2 comentários:

Olinda Melo disse...


Amorosos os seus 'pimentinhas'. Assim nas fotos parecem tão sossegadinhos... :) E o pequenino que já come tão bem. Lembro-me da minha que para comer era um berreiro que nem lhe digo nada.

Um belo domingo também para si e para a prole. :)

Beijinhos

Olinda

Bob Marley disse...

http://ed.ted.com/lessons/what-percentage-of-your-brain-do-you-use-richard-e-cytowic