Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sexta-feira, fevereiro 16, 2018

Vila do Conde, belíssima, belíssima cidade
[Quinto de 7 posts]


Sim, Paulo, é verdade, ando pelas Caxinas. Com o tempo contado, nunca com vagar para desfrutar demoradamente aquilo que se quer, viémos espreitar para saber como era essa tal Vila do Conde julgando que se daria uma volta de carro, outra a pé, e estaria vista. E afinal, aqui chegados, descobrimos, com espanto, a maravilha que é esta bela cidade.

Estávamos com o tempo cinzento, chuva, a atravessar a ponte e o meu marido disse que, de repente, lhe tinha feito lembrar Paris. Percebi mas, a mim, fez-me lembrar as cidades do norte de Espanha. Lembrei-me de Donostia (essa cidade que amo de coração). Mas, na realidade, não tem que fazer lembrar nada para ser considerada como é: uma preciosidade. E é uma cidade tão bonita, tão bem cuidada, tão harmoniosa, com uma conjugação perfeita entre o histórico e o contemporâneo e, ao mesmo tempo, com uma localização geográfica tão afortunada que juro que só me sinto intrigada por, até agora, nunca ninguém me ter falado nesta maravilha. Ou se falou não falou com a veemência evida porque, se o tivesse feito, eu teria prestado atenção.

Só o A.C., Leitor deste blog e devoto desta terra, o fez tendo-me deixado com a pulga atrás da orelha. Mas não me preparou para a beleza da sua cidade, talvez por modéstia, talvez para não macular a minha surpresa.

Portugal é um país lindíssimo, não me canso de o dizer, e só causa impressão é que não seja mais louvado, mais enaltecido, não só junto dos potenciais turistas (e há que não esquecer que o turismo é das actividades que mais facilmente revitaliza e enrija uma economia pois é uma injecção líquida de dinheiro e um motor de criação de emprego) mas também junto dos próprios portugueses. 
Quantos dos que me estão a ler conhecem Vila do Conde? Quantos dos que não conhecem, sabem o que estão a perder?
Por isso, pela parte que me toca, aqui fica o apelo: quem possa, não deixe de vir visitar Vila do Conde. Hotéis a bons preços e, do que já experimentei, comida boa, em bons restaurantes e a bons preços. Paisagens lindas. Não vi ninguém a surfar mas capaz de também se fazerem umas boas ondas. Praia agora só para ver (lindas!) mas no verão também, certamente, para aproveitar o sol e o mar. Presumo que canoagem no rio e vela também não faltem. Passeios pelo campo ou caminhadas à beira rio ou mar deve ser o que se quiser.  Motivos para fotografar são aos montes. Pastelarias com óptimo aspecto, idem. Enfim. Um lugar para passar férias do melhor que há. Presumo que para viver, então, nem se fale. Um privilégio para os que têm essa sorte.






















.....................

E vão descendo. Há mais 4 posts sobre esta cidade maravilhosa.

........................