Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, julho 10, 2017

Três Secretários de Estado de saída? Mais uns quantos...? E outros quase de entrada? Quem são, quem são...?
E ministros? Não sai nem um...? Nem unzinho para fazer a vontade à Madame Cristas...?
Mas então o que é isto: uma remodelação? Ou uma mini-remodelação?
Bilhetes oferecidos pela GALP para irem à bola? Bilhetes para ir ao NOS Alive? Mais...? What?!
O que é qe se está a passar? Nem o Deputado Amorim percebe nem eu...


Nada a dizer. Não conheço as razões mas se a cena é terem recebido um bilhete para irem à bola, eu, se fosse sceretária de estado, não teria ido mas que essas big empresas compram bilhetes para oferecerem aos clientes ou parceiros ou stakeholders ou o catano isso é do mais banal que há e não conheço quem se deixe corromper por ir à bola à pala. Ou ao concerto. Ou passar os bilhetes para concertos aos filhos. E também sei porque assisto de perto a que os homens se pelem por receber um bilhetinho para a bola num desses campeonatos, ida e vinda incluída. Caraças, toda a vida os vi, felizes da vida, convidados por bancos ou por quem calha. As empresas patrocinam e, como contrapartida, têm bilhetes para oferecer a uns happy few. Patrocinar é isso. Penso que só quem está fora do que é o mundo das empresas é que atira os braços por uma coiseca destas.


Corrupção é outra coisa, não é isto. Isto não passa de milho para pardais.

Corrupção ou negligência ou dolo é deixar passar, é perdoar milhões, é fechar os olhos a métodos de cálculo optimizados que levam a prejudicar as contas públicas em milhões, grave é tudo o que prejudique o erário público.

Agora aceitar um bilhete para ir à bola, ora abóbora. Já o disse: eu que não exerço cargos públicos, raramente aceito coisas do tipo mas é porque não estou para aturar gente que não faz o meu género ou porque prefiro estar com amigos do que com fornecedores ou empresários ou executivos (já me chega aturá-los no trabalho). Mas, bolas, o que não falta é quem, ao meu lado, aceite nas calminhas. Qual corrupção, qual carapuça? É banal. São as regras do jogo. No meu próprio Grupo, que patrocima não sei quantas cenas, se oferecem bilhetes para entrar nessas cenas. Simpatia apenas, networking, marketing, comunicação, business, gentileza.

Só quem não sabe o que é corrupção séria ou negligência barbuda é que pode entrar em histeria com isto dos convites para o Euro.
A menos que haja mais por trás desta história. Mas, se há, eu ainda não vi nada e, portanto, como só falo do que sei, só falo disto.
Acredito que nem nunca na vida recebeu um convite destes sinta uma dorzinha de cotovelo: porquê a malta do bem bom e não eu? 

Pois. São as regras do jogo. É a vida, já lá dizia o outro.

Quanto ao Costa aproveitar para remodelar o Governo, ele é que sabe. Eu não faço ideia. Mas burro ele não é, portanto, acredito que seja para melhorar o Governo. Se saem só estes três, se aproveita para abrir a porta a outros, tanto faz se for para para arejar a casa. Se não for, cá estamos nós para ver.

Tirando isto, nada. Agora é o tempo das galinhas carecas, das vizinhas histéricas, dos comentadores a granel, dos pseudo-jornalistas armados em opinadores, dos Amorins a querer baderna, da Meireles a espumar maldade, da Cristas a ostentar a coxa grossa insuflada com trocadilhos, do Passos a roer os lábios e a colocar a voz para soltar dós de dar dó. Tempo dessa gente. 


Pela parte que me toca, bola para a frente.

_________________________________

Desejo-vos, meus Caros leitores, uma bela semana a começar já por esta segunda-feira

___________________________________