Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, julho 02, 2017

Do mundo antigo e do mundo futuro permanecerá apenas a beleza





De entre o bravio tojo, de entre as mais simples flores, nos mais sombrios recantos, surgem vestígios da mais pura e requintada beleza. Baixo-me para melhor contemplar. Quanta perfeição, quanta graça que daqui irradia. Folhas que parecem finas agulhas que se curvam como anéis, flores que se desfazem em plumagem que irradia luz, restos de raízes que se enovelam e de onde agora despontam novas vidas. Sem mão humana que macule a inocência da primordial criação, a natureza tece as suas maravilhas para que olhares atentos as descubram. Um bordado feito de fios verdes e dourados, uma tela entretecida com flores e vagares num mundo habitado pela quietude, pela pureza mais luminosa, pela mais intocável paz.


Assim a natureza boa de algumas pessoas, a entrega mais genuína, a devoção mais docemente cantada, assim o afecto mais puro: invisíveis aos desatentos, preciosos para quem deles se abeira.

Tece com transparentes e amorosos fios de palavras aquele que, em silêncio, pensa na sua amada e a ela quer fazer chegar o seu mais puro anelo, a sua mais doce nostalgia.

Podem os dias de ruído e poluição imiscuir-se na vida de quem preferiria caminhar em idílicos carreiros, podem os passos ser levados para longe das abrigadas clareiras onde a luz se aninha, que nunca a alma se deixará aprisionar ou moldar: sempre ela seguirá o seu voo, livre, livre como um pássaro dos rios e dos mares ou como uma árvore que se eleva procurando o azul, deixando que a sua ramagem dance segundo os humores da natureza.

Do mundo antigo e do mundo futuro nada mais ficará senão a beleza, a beleza que nasce efémera e, sem querer, se torna eterna.


Talvez também por isso, caminho por entre as árvores mais humildes, em veredas atapetadas por simples caruma, venero pedras e folhas, detenho-me, rendida, perante as mais pequenas flores ou perante as mais sentidas rugas ou caídas peles que as árvores deixam perceber nos seus troncos -- e de tudo tento que em mim se inscreva toda a beleza, a eterna beleza que há no mais fundo das coisas, no mais secreto dos gentis corações, no mais silencioso dos doces olhares de quem nos quer bem.


Del mondo antico e del mondo futuro
era rimasta solo la bellezza
Il mondo te l’ha insegnata,
Così la tua bellezza divenne sua.

-- La Rabbia --


[Poema dedicado por Pasolini a Marilyn Monroe]




_______________

[E queiram, por favor, continuar a descer caso vos apeteça permanecer in heaven]

......