Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, julho 18, 2017

A homossexualidade de Cesariny e o que ele e a irmã pensavam disso
[Post com bolinha vermelha]


Também dedicado às viúvas-perpétuas que nunca tinham ouvido dizer que a homossexualidade é uma coisa de minorias -- e que, ouvindo-o pela primeira vez, se viram em puro estado de apoplexia -- aqui trago de novo Cesariny, essa talentosa bicha maluca que tinha muito orgulho em sê-lo (orgulho e pena).

Com vossa licença, aproveito para relembrar uma que lhe ouvi. Não será de salão mas, como trata do mais fino artesanato, talvez até de filigrana, arrisco: 
Estava ele num alfarrabista ali ao Chiado, quando entra uma madama cheia de finesse. Olhando em redor sem encontrar aquilo que procurava, dirigiu-se a Cesariny que ali estava como cliente: 'O Senhor queira desculpar-me... mas isto aqui não é uma joalharia?'. De imediato, ele, com igual educação, elucidou-a: 'Não, minha Cara Senhora, não é, embora já aqui tenham sido feitos muitos broches de joelhos'.
Bem.

Recomendo todo o vídeo mas, aos mais apressados, que pelo menos vejam aquele momento ali ao 2' 30". E um pouco mais à frente, a mesma temática.

Cesariny por ele mesmo e em diálogo com Henriette, a irmã




___

E descei, Irmãos, descei. O meu querido Manuel João espera por vós.

_______