Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quinta-feira, maio 18, 2017

Quando as estrelas da passadeira vermelha de Cannes são as mamas da Susan



Confesso: gosto imenso dela, da Susan. Inveja não, não sinto. Nem aquilo que agora, numa de lavagem de conceitos, se chama 'inveja branca'. Não sei de nada disso: ou é inveja ou não é. No meu caso não é. Ponto.

Agora que ela é uma giraça, sensualona, com uma graça natural e uma segurança que derruba qualquer galarucho é um facto -- e eu olho para ela sempre com admiração e, ok, confesso, alguma curiosidade a ver se lhe detecto algum traço de imperfeição. Mas nada. Bola. Zero defeitos. Os mais dados à religião talvez, olhando-a, digam: uma deusa. Eu não. Não sou dada a isso. Deusa não. Talvez um mulherão. 

Consta (consta - porque, de factos comprovados, não sei) que já se retocou aqui e ali, já fez uns alisamentos a laser, um ou outro subtil preenchimento. Detalhes. Não interessa.

O que interessa mesmo é a beleza natural, o desenho do sorriso, o charme do olhar, a forma como fala e como se movimenta, a música que transpira do ondular do corpo.

Desfilou na passadeira vermelha de Cannes com um elegantésimo vestido de veludo em azul ultramarino. Naturalmente, com ela levou as suas big boobs e as câmaras e os camera men estacaram de espanto, incapazes de pestanejar, presos à beleza daqueles seios impudicos, assertivos. Não viram mais nada. Nem sequer o corte do modelo e a qualidade do veludo. Nada. Só as big boobs.

Tem 70 anos mas isso é outro pormenor que não interessa para nada. A verdade é que ninguém conseguiu parar de olhar, estarrecido -- mas estarrecido no bom sentido -- para a beleza da mulher que, desta maneira, deixou toda a gente paralisada com a força estética dos seus extraordinários seios.

E notem: não sou lésbica nem invejosa. Juro. Sou apenas realista: coisa assim não está ao alcance de qualquer uma. 
A seguir vou ali ver-me ao espelho a ver se haverá alguma ténue possibilidade de, daqui por uns anitos, usar um vestido assim, com aquele desplante. Dressed to impress, despenteada comme il fault, sorriso que não deixe margem para dúvidas. Será que vou, algum dia, conseguir...? Daqui por dez anos - quero eu dizer. Ou, mesmo, agora. 


Mas pronto. Calo-me já. Por todo o lado se podem ver noticias do decote de Susan Sarandon e de como ses poitrines sequestraram o glamour da Croisette, mas fico-me pela Harpaar's Bazaar.


Transcrevo:

SUSAN SARANDON’S BOOBS ARE THE REAL STARS AT CANNES

We can't stop staring.



Tonight as I fall asleep, I am going to say a little prayer. It will go something like this: "Oh please, generous God, make my boobs look half as good as Susan Sarandon's when I, too, am 70 years-old. Thanks. You rock."  (....)

Já agora para quem queira ousar: o vestido é Alberta Ferretti. Não sei se fazem saldos ou se vendem no eBay.

____

Até já.

............

4 comentários:

Anónimo disse...

Um mulherão e acima de tudo com uma cabeça muito bem articulada. Teve uma posição bem forte anti-Trump durante a campanha eleitoral. Creio que apoiou o Bernie Sanders (ou seria a outra candidata ambientalista?). Tem personalidade q.b! Gosto de gente assim, que pensa pela sua própria cabeça e não pela dos outros.
P.Rufino

Maria disse...

Hoje devo estar muito moralista pois acho que não havia nexexidade da SS andar naqueles preparos com esta idade. Mas ok. Ficou feliz? Entâo tudo bem :)

Ai vou pesquisar essa da inveja branca. Nunca tinha ouvido falar de tal.

Como sempre muito bem informada ;)
Beijos

GG

bea disse...

Tal não é a chatice...eu conheço esta Susan de filmes. Meio vestida, toda vestidinha, em pelota: E garanto, nunca vi tais big boobs; eram umas boobs, digamos, bastantes animadas e animosas, mas não king size. Meus deuses, receia-se que com a idade as mulheres fiquem assim, mamudas, mamalhudas. Ora Portugal vai ser, cada vez mais, um país de velhos. E as velhas em maior número. Por outras palavras, vamos ter mulheres às ondas alterosas, com a coluna estragada pelo peso à frente...isto não é tão agradável como se pode supor, até por darem um bocado de mau jeito a dormir, não são descartáveis nem nada.

Que é isso de inveja branca? Talvez o que eu chamo de inveja boa. E acho que existe sim. Para mim existe e é suficiente.

Anónimo disse...

Pois eu acho que a Susan Sarandon é uma senhora que está muito bem para a sua idade. E o vestido é belíssimo. Mas, muito sinceramente, o que ali vejo são uns seios grandes, daqueles que nesta idade já chegam quase à cintura, mas estão levantados por algo dentro do vestido que opera estes 'milagres'.
Não tenha dúvidas :-)
Mas é uma bela mulher a Susan, isso é.
Maria A