Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, novembro 13, 2016

Repete as sílabas onde a luz é feliz e se demora


Noite tranquila, noite de vídeo novo do Cine Povero. “Faz uma chave” de Eugénio de Andrade, na sua própria voz. 


Gosto de estar aqui assim, no sossego da minha casa, a ler palavras boas, ouvindo música. Harmonia, beleza. Partilho convosco.

Salve Cine Povero


Faz uma chave, mesmo pequena,
entra na casa.
Consente na doçura, tem dó
da matéria dos sonhos e das aves.

Invoca o fogo, a claridade, a música
dos flancos.
Não digas pedra, diz janela.
Não sejas como a sombra.

Diz homem, diz criança, diz estrela.
Repete as sílabas
onde a luz é feliz e se demora.

Volta a dizer: homem, mulher, criança.
Onde a beleza é mais nova.

......

1 comentário:

bea disse...

Nunca gostei de ouvir Torga a dizer a sua poesia. Não gosto de ouvir Eugénio na mesma função. É como se eles prendam à terra a poesia que escrevem. Como se lhe cerceiem as asas. Ela é sempre mais se cada um a ler como sendo sua e estiver nela inteiro não estando, por na realidade não lhe pertencer. E isto é que é.