Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, outubro 09, 2016

Folhas de Outono


A folhagem aloura de dia para dia. E dança com a aragem. 

Parecem querer seduzir o rio, e o rio passa, amável, contemplando-as, árvores elegantes, bailarinas douradas.

E as cores combinam-se sob a luz suave desta tarde de outono. Lá muito em cima, as gaivotas voam em círculo e gritam como meninas brincando em roda. 



_____

Está fazendo um dia lindo de outono. A praia estava cheia de um vento bom, de uma liberdade. E eu estava só. E naqueles momentos não precisava de ninguém. Preciso aprender a não precisar de ninguém. É difícil, porque preciso repartir com alguém o que sinto. O mar estava calmo. Eu também. Mas à espreita, em suspeita. Como se essa calma não pudesse durar. Algo está sempre por acontecer. O imprevisto me fascina.

[Clarice Lispector]
____

Quando, Lídia, vier o nosso outono 
Com o inverno que há nele, reservemos 
Um pensamento, não para a futura 
Primavera, que é de outrem, 
Nem para o estio, de quem somos mortos, 
Senão para o que fica do que passa 
O amarelo atual que as folhas vivem 
E as torna diferentes. 

[Ricardo Reis, in "Odes"]

__________________________________________________

2 comentários:

bea disse...

Uma voz expressiva a cantar uma canção de amor e Outono. Soa um bocadinho triste mas é linda de morrer.

Um Jeito Manso disse...

Olá bea,

Apenas recentemente conheci esta canção e é linda mesmo. E melancólica.

Um abraço, bea.