Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sexta-feira, setembro 23, 2016

Vejam. Vejam. Vejam.
É mesmo divertido.
Between Two Ferns com Zach Galifianakis: Hillary Clinton

Όσο για τον φόρο Mortágua περπάτησε να εξαπλωθεί στα πόδια μόνο να πω, αν δεν έρθει να δει ότι είναι μια έκτρωση, k;


Pronto, não falo mais do sobre-imposto porque não gosto muito de falar de abortos e sei lá se o sobre-sobre-imposto 
(sobre-imposto porque, como a Drº Ferreira Leite explicou na TVI a quem ainda não percebeu, já há imposto e sobre-imposto, o tal que o Passos Coelho lançou) 
vai ver a luz do dia, nem quero fazer o papel da cachopa Mortágua que anda a espalhar com as patas o que os outros andam a juntar com o bico.


Mas ainda mais uma coisinha a quem ainda não percebeu o que eu digo (para a próxima, vou ver se escrevo em grego ou coisa do género a ver se tenho melhor sorte):
Os impostos são progressivos e, portanto, os 'ricos' (que agem dentro da ética e da lei) pagam que se fartam, proporcionalmente bem mais do que os 'não ricos' (porque os pobres não pagam impostos directos). O que se passa é que alguns ricos não pagam o que devem. E quanto mais aumentarem os impostos, menos eles pagam. E não pagam porque têm esquemas para não pagar. Podem passar as taxas de 70% para 80% ou 95% porque para eles é tinto: não pagam. Têm os bens em nome de empresas, recebem através de formas que lhes permitem só pagar o que querem, etc. Portanto, a questão não passa por essas infantilidades que andam para aí a falar. 
Se os que devem pagar não pagam, a questão não tem a ver com esta conversa. Ou se muda a legislação (e há concertação a nível de países para evitar que usem esquemas interpaíses) ou a coisa é feita à margem da lei e estamos perante um caso de polícia.

Por isso, Caros Leitores, leiam o que eu digo porque me têm treslido.

Mais: penso pela minha cabeça e por muitos ossos que atirem, eu não sou de ir a correr atrás.

Não me entusiasmo com publicidades, demagogias, foguetórios. Podem andar aí todos a matar e esfolar tudo o que encontrarem pela frente que eu só falo do que sei e, antes de falar, penso. Pode parecer que não mas olhem que sou uma cabecinha pensadeira.

Mas agora não me apetece falar mais do assunto. Se houver alguma coisa de concreto, logo falo sobre essa coisa.

Agora o que aqui tenho é uma entrevista deliciosa. Por favor, vejam-na porque é divertidíssima.


Hillary Clinton sits down with Zach Galifianakis for her most memorable interview yet.


___

Desejo-vos, meus Caros Leitores, uma bela sexta-feira.
Divirtam-se, vá lá...

.......

1 comentário:

bea disse...

Bom Fim de Semana, Jeito Manso.