Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, setembro 04, 2016

Trump conheceu um polícia que tem um plano para limpar Chicago.
Stephen Colbert descobriu o polícia maravilha e levou-o ao seu programa.


Stephen Colbert não é isento, não é neutro, não é bem comportado. não é politicamente correcto. O seu programa, The Late Show with Stephen Colbert, é um sucesso e percebe-se porquê. 

A sua batalha anti-Trump está a ser notável. Fá-lo sem ser maçador. Pelo contrário ele consegue transformar esses momentos em pura paródia. Claro que ter como objecto de análise um palhaço também ajuda...

Ele improvisa, ele diverte-se, ele goza. O vídeo abaixo que foi divulgado ontem e já vai a caminho das 900.000 visitas, ilustra bem o que tem sido ultimamente o programa. Stephen disseca  mais um dos momentos absurdos da campanha de Trump no qual ele diz que conheceu um polícia que disse que em menos de um fósforo acabava com o crime em Chicago: uma limpeza a preceito. Sem querer saber de pormenores, Trump não foi de modas. Disse ao Mayor de Chicago que a Polícia o devia contratar. O outro deve ter arregalado os olhos. Pois se o homem já estava contratado, já é polícia em funções...

Mas, no programa, o melhor estava para vir: Colbert tem o polícia ali para explicar qual, afnal, a sua arma secreta. E o polícia não se faz rogado e mostra-a. E eu, que não quero que vos falte nada, aqui o divulgo, ainda morninho

Trump's Top Cop Has a Plan to Clean Up Chicago


___

E descei, meus Caros, para verem um post alusivo ao Dia das Barbas.

E, se descerem um pouco mais, verão o post que escrevi ontem à noite sobre a rentrée política, post que machucou a sensibilidade de uma Leitora a ponto de sentir o dever de se manifestar por escrito (e fez ela muito bem porque desagrados destes não podem ficar guardados a fermentar na alma) mas que, curiosamente, caíu no goto de muitos outros já que, até à hora a que escrevo isto, já teve, só esse post (porque o UJM no seu conjunto, vai em mais do dobro nas últimas 24 horas), mais de 1.300 visualizações. Só espero é que não estejam todos tão incomodados quanto aquela Leitora senão ainda se gera para aí uma agonia colectiva.

___

3 comentários:

Anónimo disse...

Triste país aquele que tem duas más opções: Trump e Hillary. E não há hipóteses de aquilo um dia mudar. A mesma moeda: uma vez uma face, outra vez a segunda. A escolha está entre um tresloucado e alguém ligado aquele péssimo sistema (indústria de armamento, Wall Street, etc). Sinceramente, que se lixem!
P.Rufino

Um Jeito Manso disse...

Olá P. Rufino,

Não sei como é que um país tão importante se deixou resvalar para uma pobreza de opções destas. Mas, admita, Trump é pior e mais perigoso do que a Hillary... O homem é doido varrido!

Claudia Sousa Dias disse...

"Trump conheceu um polícia que tem um plano para limpar Chicago." Andou a cer a segunda temporada do "Gotham". Só pode.