Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, setembro 06, 2016

No reino das gaivotas
[4º de 5 posts]


Quem por aqui me acompanha sabe já de cor e salteado como tenho uma admiração (e inveja) pelas gaivotas. Acho que a liberdade em que vivem, a forma como se elevam com elegância e sobrevoam os mares e a sua absoluta independência são fascinantes.

Por isso, compreenderão a minha felicidade ao andar pelo meio delas num fim de tarde, dentro de uma luz dourada que, à medida que a tarde avançava se foi tornando acobreada, a água fresca mas acolhedora. Tanta serenidade, tanto contentamento por estar ali, um sentimento de gratidão por poder desfrutar de tanta beleza e tanta paz. E elas também tão tranquilas, sem se incomodarem com a proximidade humana.

Tal como eu, esperam a chegada das redes, tal como eu, aproveitam, enquando elas não são puxadas para terra, para passear à beira de água, para brincarem, para sentirem a frescura da água.





Sintra ao fundo, envolta em lonjura, e o mar tão cheio de vida


2 comentários:

bea disse...

Há aí umas gaivotas muito presumidas...parece que levam o rei na barriga.

Um Jeito Manso disse...

Pois é, foi a isso que achei graça, todas treco-lareco, armadas em importantes...