Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quarta-feira, agosto 03, 2016

Alô, alô João Galamba e Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais Rocha Andrade
-- sem mas-mas, directamente, para vocês um cartão encarnado.
A vista ou a luz solar são factor de agravamento no IMI?!
Ó pá, vão mas é dar banho ao cão!!!
Cartão encarnado também para as faltistas Cristas e Maria Luís Pinóquia que, por uma, não perderam o ano por faltas.
Isso é que é ganhar dinheirinho público sem se maçarem muito, né...?
C'a falta de vergonha!


De manhã, ia no carro, ouvi a anedota. Pensei: 'Ná, isto é contra-informação. A malta do PS não ia fazer uma cavalice destas, uma coisa de gargalhada que parece inventada de propósito para a cambada pafiana que, como não tem cabeça, agarra tudo o que lhes cai no colo'.
E que coisa melhor para cair no colo dos pafiosos do que esta anedota de agora irem penalizar mais as casas viradas a sul ou com vista desafogada...?
Mas não. Era mesmo verdade.

Caraças. Que ideia mais burra. Quem é que define se a vista é boa, assim-assim ou de cortar a respiração. Ou que parte da casa é que deve estar virada a sul para que a pessoa passe a privilegiada? A janela do quarto ou a da sala? Ou a da cozinha?

E que raio de gaita é essa da envolvência? Se a minha vizinha resolver pôr sardinheiras, uma gaiola dourada com um papagaio declamador lá dentro e um toldo todo high design na varanda ao lado da minha ou se o meu vizinho, que por acaso é gay e que é todo artista, resolver pòr uma escultura toda xpto na varanda, ainda corro o risco de me aparecer um fiscal a dizer que, agora que posso usufruir de tão bela vista, passe mas é para lá mais umas centenas de euros...?


Pior: se o sobrinho da Hillary, o Tyler, aquele que anda a pôr a internet on fire, se mudar para o prédio em frente de mim, corro o risco de ser esmifrada? Bela vista e melhor envolvente não poderia haver.


E depois ainda aparece o João Galamba feito chico-esperto, a falar como se a audiência fosse constituída por mentecaptos, a falar de justiça fscal e sei lá que mais. E que apenas endureceram o factor. Oh pá, endurecer por endurecer, pensem bem no que endurecem antes de passarem à prática. Que vergonha. Ideia mais nhurra. Que golpe de mão, este de irem sacar mais dinheiro por esta via.


E o Secretário de Estado Rocha Andrade, com aquele seu ar displicente de quem está mesmo a pedir que se lhe riam na cara, também veio com uma conversa completamente fiada. 


Para lançar uma poeira ainda mais nefasta para os olhos da populaça, fazem a demonstração por absurdo, apelando à caridade para com os pobres que moram ao lado dos cemitérios ou junto a uma ETAR, que coitados, a conviverem com defuntos, fantasmas e cocós flutuantes, agora, com esta actualiazação da lei que, ainda por cima, aparece à má fé, no início de Agosto -- e que parece que foi feita por suínos montados em duas patas (if you know what I mean) -- ficam a pagar menos do que os milionários do Estoril. Justiça fiscal - repetem. Ao que isto chegou. Podia ser argumento usado pelo ex-vice-irrevogável que também não se ensaiava nada para soltar patranhas com ar de comadre -- mas não, foi usado pelo João Galamba e pelo Rocha Andrade. Uma vergonha que ficará a manchar-lhes o curriculum. Read my lips.


A sério: isto dá-me até uma certa tristeza. A indigência argumentativa a toldar a cabeça de dois fulanos que eu tinha por inteligentes. Afinal, nisto de meterem a unha no bolso dos contribuintes, estão a revelar-se uns farsolas ao nível da cambada pafiana.

Espero bem que arrepiem caminho. Senão, ó meus Caros, vocês podem não ter medo de mim e acho bem que não tenham que eu, afinal, não passo de uma avozinha sobejamente conhecida pelo meu jeito manso, mas olhem uma coisa: às vezes basta um rastilho. Again: read my lips.

Vou ficar à espera. E de língua bem afiada.

_______


Outra notícia que me revolveu as entranhas foi a falta de nível da presidenta do CDS e da avençada da Arrow (ou lá como se chama a empresa que gere fundos abutres e que contratou a pinókia) que, no entretanto, vai de vez em quando ao Parlamento fazer de conta que é deputada.

Transcrevo:

Assunção Cristas e Maria Luís ficaram a uma falta de perder mandato


O que têm em comum a líder do CDS-PP e a vice-presidente do PSD, Maria Luís Albuquerque? Ambas faltaram três vezes às sessões sem justificação. Isto a somar às faltas com justificação.

E a gente a pagar-lhes o ordenado. Bem pode a Madame Cristas fazer-se de santinha e, de mãos postas, jurar que foi ver o futebol e que isso é trabalho político. Está bem, abelha.
Mas há mais.

Filipe Lobo d"Ávila (CDS), eleito por Lisboa, é um dos deputados que somam mais faltas justificadas, 12 no total, e que a par de Assunção Cristas lidera as ausências no seu grupo parlamentar. 

Outro que é um bom exemplo é aquele (apetecia-me dizer bimbo, mas, ok, ser bimbo não é defeito, é feitio): José Cesário, eleito fora da Europa, pelo PSD, foi o deputado que mais faltou: 20 vezes, por trabalho político. 

Ganda Chejário... Sempre a soube levar direitinha.


_____

Praia de Armação de Pêra às 7:30 da matina

E ainda mais outra de gargalhada: a ASAE vai para a praia para ver se a malta das bolas de berlim passa factura. A operação chama-se 'pé na areia'. Uma pessoa ouve isto e pensa: oh senhores, mas o que podem ganhar justifica o ridículo de que cobrem? Não há quem faça uma gestão na base do bem senso? É mesmo tudo na base do arrebenta?


Então, mal por mal, porque é que não põem também a pagar impostos os garganeiros que deixam uma toalha ou um chapéu de sol a marcar o lugar na areia de Armação de Pêra? Eu ia também para cima deles. Dez euros por dia e por toalha que fique com 10 cm de areia de cada lado. Se ficar encostada à toalha do vizinho de praia, terá uma redução de 20%. Os que ficarem com a cabeça no meio das pernas da vizinha da toalha de cima, beneficiará de um desconto de 50%. Justiça fiscal.

Que tal?

Busca, busca, Rocha Andrade...!

_____________
_____________


Bem. Hoje é daqueles dias em que os assuntos são à pinha, cá e lá fora (e até metem um namoro entre as hostes da realeza e do show bizz e uma mana muito dada, com um rabo bem feito mas que vive à sombra da sis duchess). E outro sítio badaladérrimo também a recomendar Portugal, uma coisa bonitona de se ver, tinha mesmo que divulgar. Mas acho que desta vez não vou ceder à tentação para não me distrair do foco: a cavalice dos chuchas a quererem vir sacar mais impostos de fininho, na maciota, pela calada de Agosto, a ver se passam despercebidos. Pois por aqui não passam. ¡No pasarán! Pode até o meu coração bater à esquerda mas não é daquelas paixões assolapadas em que uma pessoa fica ceguinha e até agradece que tripudiem em cima. Pr'a cima de mim não, violão!

:::::::::::::

Por isso, pode ser que amanhã me dedique à nobre arte do corte e costura ou à meritória ocupação de divulgar as belezas do meu País. Quiçá até a repescar coisas boas da blogosfera estival, a kind of best of já que, no meio das ausências ou do registo minimal de alguns, de vez em quando há surpresas que me deixam mesmo agradada. A ver vamos (como soía dizer the little blind man).

Hoje é mesmo só isto -- e sempre quero ver se esta quarta-feira me aparece mais algum pató arraçado de esperto a tentar atirar mais areia para a cara dos eleitores (que isto é uma 'cena' de justiça fiscal, tudo só para baixar o IMI às viúvas descoradas e enfermas que vivem enfiadas numa cave a cheirar a mofo, nas traseiras de uma Etar, com vista para o cemitério e com o Passos Coelho como vizinho, etc, etc). Se vier, já sabe que cá o espero. Podem até vir muitos. De uma coisa podem estar certos: não descansarei enquanto não varrer o adro a varapau.
Tenho este lado bélico, já sabem.

________________


E pronto. Desejo-vos, meus Caros Leitores, uma quarta-feira supimpa.


14 comentários:

P. disse...

Bom, cá em casa estamos em polvorosa, com essa do tal IMI. Ainda vou comprar uma espingarda e começar aos tiros, junto à A.R e S.Bento! Se me aumentam o IMI, ainda vendemos a "barraca" aos "francius". Ora a gaita! Um gajo compra uma casa porque quer vista, prefere o sol à sombra e vêem estes "calhaus" depois lixarem-nos a vida!!
P.Rufino

bea disse...

Ó pá, já tenho meio dia de trabalho em cima, não m apetece o IMI, mas é verdade que João Galamba tem uns vaipes; não o prefiro, mas, ainda assim, julgava-o mais inteligente. As pessoas, de esquerda ou de direita, não dizem ámen a tudo. Resmunga muito bem.

bea disse...

Até Setembro, Um Jeito Manso. Boas Férias. Óptimo Agosto. Espero reencontrá-la a todo o vapor, estilosa como de hábito:)
Um abraço

Anónimo disse...

Imi, pois pois...
Eu aqui na minha aldeia, herdei umas ex habitações que foram de visavós ou outros familiares mais antigos, hoje são um amontoado de pedras tudo em ruínas, e a Ferreira Leite pôs-me a pagar por isso quase tanto como pago com a minha habitação. E eu nem me admiraria nada que no Estoril haja imis mais em conta do que este meu das ruínas!...

Abraham Studebaker disse...

A exposição solar,o desafogo de vistas ou a envolvência não afectam o valor de uma casa. Sou eu,Passos Coelho,que o afirmo.Quem disser o contrário é néscio de pai e mãe!

Anónimo disse...

Anónimo Português Pobre Amigo do Seu Amigo.

Tá-se mesmo a ver que a menina vai levar ca ripa, deixe lá vai pagar o que é justo prás condições que tem em contrapartida eu que comprei uma casita num descampado que nem veredas de jeito tinha pra me levar à cidade hoje tenho dum lado uma estrumeira (calhando parte dela são detritos da sua mansão) e quanto a todo o sol do mundo que Eu tinha agora pró vêr tenho que dar a volta a um enorme condomínio (daqueles que tem piscinas no terraço que espero que não rebentem senão lá se a minha barraquita e se Eu me safar será bom se a segurança social tiver dinheiro pra me socorrer) que me espetaram na ponta do nariz. só espero que com esta alteração as finanças me vá conceder no inverno sol pelo menos para secar a roupa já que a compra de um secador de roupa está fora de questão porque a verba prá compra do mesmo as finanças roubou-ma com os aumentos que me fez nos últimos anos. Mansos mas não tanto, talvez com um certo jeito solidário sem ter que tirar da boca mas pagando o que é justo por esta terra que é de todos.

O Puma disse...

Assim...
um dia a casa vai abaixo

Anónimo disse...

A posse do próprio chão já há muito sabíamos que não era do proprietário. É da Câmara Municipal que cobra um aluguer pela ocupação do terreno e que se trespassa por via de escrituras de compra e venda. Agora parece que o sol e o ar também passaram a regime de aluguer. Falta saber se as nuvens contam como factor de obstrução solar e se em anos mais chuvosos poder-se-à pedir uma redução da taxa. Rita

Anónimo disse...

Realmente em vez de se pensar em ir buscar uns cobres às mansões situadas à beira-mar, seria muito mais justo baixar o ordenado mínimo ou eliminar o RSI, e assim não haveria ondas... pois os pobres não refilam!
Que desilusão, UJM!

Anónimo disse...

sou a favor de mais aumentos de imi para a ver escrever assim.


Bob Marley

Anónimo disse...

Esse Rocha Andrade como se não bastasse a porra do IMI, ao que ouço meteu-se noutra ao aceitar aquele convite da Galp para ir ver 2 jogos de futebol do Europeu, conhecendo bem o conflito de interesses com a Galp e o Estado e sendo ele o membro do governo que segue o assunto. Quanto ao J.Galamba saiu-me uma desilusão com estas explicações. Já o PSD vem fingir que está preocupado com o assunto do IMI, mas faz uma confusão, só para distraídos, sobre as razões porque quer discutir esta matéria na A.R. Conviria que ouvisse o que a associação dos proprietários diz, pois essa entidade apresentou razões de queixa sobre esta decisão fiscal que fazem sentido, ao que ouvi na rádio.
E ou Costa põe ordem no pagode, ou a coisa vai por água abaixo, em menos tempo do que se imaginaria até há pouco. Se as Câmaras precisam de dinheiro, primeiro que não se endividem, como é costume, depois que saibam viver com o que têm, de orçamento. Essa medida é simplesmente infame, pois é cega e vai atingir um sem número de pessoas que não podem, ou dificilmente o poderão pagar esse imposto. O IMI é um imposto muito delicado pois incide sobre algo, uma propriedade que não dá rendimento a quem a possuiu (se está alugada o proprietário já paga o imposto disso nos seus rendimentos). A justiça fiscal faz-se de outra forma. Um dia ainda acabamos a pagar o ar que respiramos e sei lá que mais inventarão!
P.Rufino
P.Rufino

Pôr do Sol disse...

Haja paciencia!

Porque não pensaram ir buscar IMI a centenas de fundações e institutos que a poucos servem e nada pagam?

Alguem que lhes diga que o preço de um apartamento num 5ºpiso é mais elevado que o mesmo apartamento no Rés do chão. Já não chega? E se o 5º piso fôr habitado por um invisual? Conta?

Um tiro no pé.

Um Jeito Manso disse...

Uma palavrinha especial aos meus Leitores que acham bem que o IMI seja fortmente agravado através deste golpe, ao Leitor/a que está desiludido/a comigo e que, de forma geral, aos que, egoisticamente gostam que se agrave tudo o que não lhes diz respeito:

Já algumas vezes o disse: mais de metade do que ganho vai para impostos. É uma sensação um pouco estranha esta de saber que mais de metade do ano trabalho sem receber um tostão. Poderia dizer que usufruo alguma coisa disso como, por exemplo, através do ensino público ou do serviços nacional de saúde. Mas nem isso pois já não tenho filhos em idade escolar e no que se refere à saúde, tendo um seguro, geralmente vou a hospitais ou clínicas privadas. Contudo, nem por isso sou contra o ensino ou a saúde públicos. Pelo contrário. Defendo-os apesar de não usufruir. Identicamente defendo melhores rendimentos para os que ganham menos e bato-me contra tudo o que afecta os menos sortudos que eu. Ou seja, não sou egoísta. Nunca fui.

O que acontece nisto do IMI é a subjectividade, o absurdo.

Às tantas estão a manipular impostos através de critérios que dependem da opinião de quem avalia. Se a casa tiver azulejos no exterior: agrava. Se estiver pintada de amarelo, agrava. Se tiver telha portuguesa, agrava. Se tiver corrimão cromado na escada, agrava. E, como muito bem refere a Leitora Pôr do Sol, se o piso for habitado por um invisual?

Ou se resolverem que passam a pagar impostos as pessoas que arrendam casa com critérios idênticos? Se a casa estiver virada a sul, paga o senhorio e o inquilino - porque quem beneficia é o inquilino. Faz sentido?

Às tantas não há objectividade e transparência, já é extorsão pura.

----

E agora à Bea: Boas férias! Vou sentir falta dos seus comentários. Venha inspirada para compensar a sua ausência durante estes dias. Um abraço.

E ao Bob Marley: Gracias. O seu comentário agradou-me.

E a Todos: Obrigada pelos vossos testemunhos!

Anónimo disse...

http://expresso.sapo.pt/politica/2016-06-29-IMI-Fundos-Imobiliarios-tiveram-beneficios-fiscais-de-71-milhoes

GG