Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quarta-feira, julho 27, 2016

Só uma pergunta: o que é que este João Taborda da Gama tem?


Graça? Inteligência? Brilhantismo na argumentação? Personalidade cativante?
What?

Aqui instalada em frente da televisão, sem querer apanhei com a figura a opinar. João Taborda da Gama anda pelas televisões, escreve nos jornais -- e, senhores, juro que ainda não tinha percebido porquê. Sou só eu que acho que dali não sai uma que se aproveite?

O homem não tem graça, não traz nada de novo, só diz e escreve banalidades, tem uma conversa que nem sequer é clara. 

Fui à procura de alguns dados sobre a personagem pois dele apenas sabia ser filho de Jaime Gama. Portanto, até hoje, pensei que o contratavam para que víssemos como nem sempre tal pai, tal filho ou como no melhor pano cai a nódoa.

Mas acabo de ler que, para além de professor na Católica (coisa que, em si, não tem mal nenhum) também foi consultor de Cavaco. E aí comecei a perceber melhor a escolha de quem o contrata. Só que estas escolhas -- que têm sobretudo pendor ideológico sem atender à qualidade -- são tiros nos pés. Gente maçadora com conversa oca com a qual não se aprende nada e que, ainda por cima, dá ideia de ser destiuída de verdadeiro sentido de humor afasta os telespectadores dos canais de televisão ou os leitores dos jornais. Despoluam, se faz favor. Arre.,,!

____

3 comentários:

P. disse...

Consultor de Cavaco, já diz tudo. Da Católica (que recebe dinheiros do Estado), também. Aquele sorrisinho, a pretender ao superior, na conversa com Ana Drago, enjoa. Uma figura a evitar. Detestável. Enjoativo. Um Pafista a fingir que não o é. Simulando independência ideológica. Detestável criatura. Não suporto este tipo de gente ideologicamente fingida, com ares de independentes. Nem perco um segundo a ler a pobre criatura. Insuportável sujeito!
O que mais me admira e me desiludiu foi o programa que a Ana Lourenço tem vindo a fazer, ou conduzir, na RTP 3, os tais 360. Uma miséria, uma mediocridade. Uns debates que metem pena (para não dizer nojo). Que raio se passa naquela TV do Estado? Esta AL nada tem a ver com a AL da SIC.
P.Rufino

Bmonteiro disse...

Autor de uma página no DN, alusiva a Saldanha Sanches, caso doutoramento falhado, para no final se espelhar ao comprido ao referir o 'papel' do então candidato presidencial, Sampaio da Nóvoa.
Independentemente de qq especial simpatia minha por SN, fui apoiante de Henrique Neto, um final, tentando atingir Nóvoa, absolutamente miserável.
Um traste, desde então com página semanal no DN, do mais idiota, inconsequente e imbecil possivel.
Inconsequente? Talvez não, a mim, dispensa a indigesta leitura.
Siga a banda.

Carlos A. Páscoa Machado disse...

Estou a lembrar-me mal, ou ouvi este tipo a menosprezar a prevenção dos incêndios florestais e prol do combate aos ditos cujos, num destes debates com a Ana Drago, que tb anda demasiado mansa para o meu gosto, há alguns dias atrás?
Respigando duma entrevista dele ao Público em 2013: "A austeridade que temos é a excrescência normal de um Estado Social em tempos de crise."
Todo um programa!