Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, outubro 20, 2015

Mademoiselle Privé, um deleite para os olhos desta menina aqui que, adorando Chanel e batendo-lhe o coração à esquerda, se calhar merece mesmo o rótulo de esquerda caviar. Paciência.


Joguei há bocado no Euromilhões e, como vi que o Totoloto vai com jackpot, também joguei nele. Só faço apostas simples porque as probabilidades de sair qualquer coisa são tão ínfimas que tanto faz. Mas jogo porque, ínfimas ou não, só sai a quem joga e tenho cá para mim que um dia destes me vai sair. Com isto não estou a fazer publicidade aos Jogos da Santa Casa, estou, simplesmente, a confessar que me apetecia mesmo que me saísse uma rodada abastada de euros. Teria muitos destinos para os milhões, muitos -- tantos, tantos -- mas, entre eles, um seria o da roupinha Chanel. Gosto de tudo, tailleurs, vestidinhos, casaquinhos, tudo.

Enquanto não me sai, contento-me em ver os vídeos e a usar umas gotas de Chanel Nº5. 

Hoje, por acaso, usei uns sapatos de salto alto de camurça cor de rosa (porque usei uma camisa cor de rosa, com umas calças em preto) com a ponta em verniz preto e os saltos idem. Não são Chanel mas são tão bonitos que quase poderiam ser pois são o modelo clássico. Tenho outros em cinzento e preto, do mesmo género. Um dia os sapatos vão estragar-se e eu vou ficar desolada porque sapatos Chanel alike por um preço acessível não caem do céu todos os dias.

E, enquanto escrevo, penso que muitos dos meus Leitores devem franzir o nariz: toda gauche e depois toda maluca pela Chanel...? Pior: e a gostar de ostras fresquinhas, a saber a mar...? Ná... Não pode ser. Gauche que é gauche, se gosta dessas ignomínias, esconde essas fraquezas a sete chaves. 

Pois é, terão razão. Sou fraca. E imperfeita. Bué. Mas, ainda que mal pergunte, quem é que disse que uma pessoa que goste de modelitos couture, sapatos de salto alto e que gosta de se perfumar com o Nº5  tem que sentir afinidades políticas com o germânico Maçães, com o virgulado Duarte Marques e demais PàFs? Ora, era mesmo o que mais faltava.

Adiante. O vídeo abaixo ilustra bem o que é isso do charme discreto da burguesia, aquele mundo etéreo em que tudo parece flutuar envolto em elegância e suaves fragrâncias. 

Disclaimer: não é esse mundo que me atrai. Ia dizer que eu é mais bolos mas não, não estaria a ser verdadeira: eu é mais só, mesmo, as toilettezitas

Abertura da exposição Mademoiselle Privé na Saatchi Gallery



....

Desejo-vos, meus Caros Leitores, uma bela terça-feira.



1 comentário:

ECD disse...

Quando comecei a ler o post ri-me logo com a "esquerda de caviar" e fiquei à espera de mais... e não sai defraudado: "... quem é que disse que uma pessoa que goste de modelitos couture, sapatos de salto alto e que gosta de se perfumar com o Nº5 tem que sentir afinidades políticas com o germânico Maçães, com o virgulado Duarte Marques e demais PàFs?" Como muitas outras pessoas, sempre me fez confusão esta amalgama entre pensar à esquerda e "espartano" se não mesmo "pobre de 6ªfeira" e entre gostar de coisas boas e ser direitolas. Mais do que confusão sempre mesquinho o apodo esquerda de caviar. Já agora não aprecio caviar, nem o "caviar" de beringela, nem o da Aquitaine, nem mesmo o Beluga Imperial especial de corrida.