Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, setembro 14, 2015

O tempo dos comediantes na política.


Há coisas em política que parecem impensáveis. Um palhaço ser eleito como deputado propondo-se, tão só, fazer palhaçadas; um empresário de canais comerciais de tv estar à frente de um país, a tudo se assiste neste mundo em que, cansadas, mal informadas ou alienadas, as pessoas votam em qualquer coisa.

Os Estados Unidos são terreno fértil e à sua frente tem havido de tudo, desde uns que, para sempre, serão uma referência positiva até outros que o serão pela negativa, anedotas que têm espalhado desastres de toda a espécie um pouco por todo o mundo.

Este agora, que quer ser candidato pelos Republicanos, mais parece um Alberto João - espalhafatoso, amigo de uma bela farra, provocador. É dos que mais congrega sobre si o tempo dos media e, portanto, está com sondagens assustadoramente favoráveis: Donald Trumpo.

Mas uma coisa eu aprecio nesta gente: o sentido de humor. 

O vídeo abaixo é um piadão. Jimmy Fallon transforma-se em Donald Trump para que pareça que o narcisista Donald Trump se auto-entrevista -- e a coisa prossegue num registo de paródia, ambos à altura do desafio, entrevistador e entrevistado.


E não é que seja mau pessoas assim terem um sentido de humor à prova de bala, é até saudável (Obama é um dos que mais goza consigo próprio e fá-lo sempre com uma graça desconcertante); mau é que sujeitos com ideias perigosas e estapafúrdias tenham um tão elevado grau de aceitação junto do eleitorado. E, se os eleitores mais evoluídos conseguirão reconhecer que um sujeito pode ter poder de encaixe e sentido de humor mas como presidente não, nunca na vida!, já pessoas menos informadas, escolherão votar nele por andar sempre na televisão e ser tão divertido.
...

Por acaso seria engraçado sujeitar Passos Coelho a uma destas. Com a falta de jeito, falta de cabeça e de sentido de humor que o caracteriza, havia de ser a maior barracada de todos os tempos: piadolas secas atrás de piadolas secas, perdido na sua desconformidade. 

Parece que foi o único que não aceitou ir aos Gato Fedorento (porque será...?) mas, se fosse, bem que o Ricardo Araújo Pereira poderia ver como é que o láparo reagiria a uma cena destas pois uma coisa se poderá, à partida, garantir: a ele nunca uma destas beneficiaria. Aliás, deixá-lo em campo aberto é desastre certo para a coligação. Paf, Paf, tiro nos pés um atrás de outro. 
E, aliás, também já em tempos aqui o disse: uma arma imbatível contra o láparo é o humor (vide o trabalho do magnífico Luís Vargas): deixar a nu a burrice de tudo o que o láparo tem feito e de tudo o que se propõe fazer. É certo que, de cada vez que o paf-láparo põe em prática uma das suas burrices, mais uma data de portugueses fica pior e é um bocado doloroso parodiar uma má governação quando tem tão nefastas consequências. Mas nada como, pelo humor, mostrar que aquela lápara criatura e o seu vice-irrevogável ajudante de campo não atinam, são anedotas que a história tuga um dia pôs à frente de um governo.
....

Mas, enfim, eis o vídeo

Donald Trump Interviews Himself In the Mirror 


[antes da entrevista a sério (se é que é possível fazer uma entrevista a sério a um performer como o descabelado Trumpo) no The Tonight Show Starring Jimmy Fallon]



 

...

[Agora não vem a propósito, pelo que desculpem lá o à parte mas não é que vi há bocado aquele descarado mentiroso - depois de ontem ter garantido ao senhor lesado do BES que sim senhor, iria ele mesmo organizar uma subscrição para os ajudar a custear os processos e que ele seria o primeiro subscritor, e o senhor insistindo, mas o senhor garante?, e ele que garanto, sim senhor, garanto - agora a fazer-se distraído, que há mecanismos para tratar dessas situações e que não falava mais no assunto...? A sério. Ouvi-o mesmo a chutar a bola para canto como se não fosse nada com ele. Descarado e destrambelhado, o homem.

E agora fui ver se o super-eficiente Luís Vargas já tinha novo vídeo e, pumba!, já cá está e que nem de propósito. Lindo menino.]

Requiem para uma governação


PaF - Portugal em Fanicos



Confutatis maledictis, flammis acribus addictis
..

Sem comentários: