Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sábado, agosto 15, 2015

Pergunta: A campanha e a conversa dos PAF's merece alguma credibilidade? -- Resposta: Nenhuma. Zero.

Pergunta: Porquê? -- Resposta: Porque já lá dizia Mateus: 'pelos frutos os conhecereis' e os frutos, meus Caros, estão aí bem à vista: um desastre


Não discuto cartazes e o amadorismo de quem se anda a ocupar deles, não discuto conversas da treta que por aí abundam, conversetas sem substância nem respeito pela inteligência dos eleitores.

Refiro apenas que toda esta cegada começou porque os actuais PAFs, sedentos de poder, há uns quatro anos, acharam que o PEC era austeridade a mais e derrubaram o Governo anterior, rejeitaram o apoio que a UE tinha assegurado e não descansaram enquanto a troika não veio para cá. Não contentes com os ditames que esta impunha, resolveram ultrapassá-la pela direita, pela esquerda, por cima e por baixo. O programa de Passos Coelho era o da troika e afirmava, ufano e vanglorioso, que iria além dela. E ó se foi.


Aumentou os impostos à maluca, cortou ordenados à catana, deitou a mão gorda onde conseguiu, cortou no ensino, na investigação, nas comparticipações sociais. E quatro anos volvidos a dívida está maior que na altura, a economia regrediu e continua anémica, incapaz de sustentar o que quer que seja quanto mais de recuperar o emprego ou atrair os emigrantes que de cá saíram em debandada. E a reforma do Estado está por fazer. E as principais empresas estão na mão de estrangeiros. E outras estouraram como balões. 

Um desastre completo, um falhanço em toda a linha.

Portanto, seguidora que sou da velha máxima de que, na altura de ajuizar, nada como ver os resultados alcançados, escuso-me de comentar a vacuidade que por aí abunda, distraindo os incautos. Atenho-me, antes, a factos. E os factos não enganam: os resultados obtidos permitem-me concluir, sem sombra de dúvida, que os PAFs não prestam.

Os PAFs (PSD e CDS) deram cabo de Portugal a troco de nada.


Dando como bom o texto que obtive na net, transcrevo a palavra de Mateus que tantas vezes me ocorre.



Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
«Acautelai-vos dos falsos profetas, que andam vestidos de ovelhas, mas por dentro são lobos ferozes. Pelos frutos os conhecereis.
Poderão colher-se uvas dos espinheiros ou figos dos cardos? Assim, toda a árvore boa dá bons frutos e toda a árvore má dá maus frutos.
Uma árvore boa não pode dar maus frutos, nem uma árvore má dar bons frutos. Toda a árvore que não dá bom fruto é cortada e lançada ao fogo.

Portanto, pelos frutos os conhecereis». 

Mateus
....

Nem mais. 


1 comentário:

Anónimo disse...

Nem mais! Esta cáfila de anormais, os tais PaF do raio que os parta, destruiram o que ainda estava de pé. Serão corridos em breve, apesar do Professor Patranhas da TVI pensar o contrário. Convém registar que o "Estado" são eles, que vieram do sector privado ocupar cargos governamentais e institucionais em postos (ou postas) na administração estatal, para destruir o Estado.
Mais 4 anos e será o fim da Segurança Social, da Saúde pública, do Ensino do público, enfim, será a entrega do Estado, ou do que dele restar ao sector privado - onde, convém salientar, se verifica a maior fuga fiscal, não é no Estado (ainda há tempos uma pessoa colectiva procurou "apoio jurídico" para o efeito, de um caso que conheço. E é assim).
P.Rufino