Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, junho 16, 2015

Afinal os compradores da TAP vão pagá-la com o pêlo do cão? --- pergunto. Pergunto e gostava de saber a resposta. Todas as respostas (porque tudo o que se vai sabendo é de nos deixar de cabelos em pé)


Pareceu-me ouvir dizer num noticiário que apanhei a meio que a TAP vai vender aviões para arranjar o dinheiro de que precisa. E, se ouvi bem, depois aluga-os a quem os comprar. 


Engenharia financeira para que o dinheiro de que se falava provenha afinal da própria empresa e não dos accionistas. Se for isto, estaremos perante aquilo que, na gíria, se chama pagar com o pêlo do cão. Uma habilidade daquelas que tem servido, ao longo de anos, para descapitalizar empresas. 

Ora, se bem tinha percebido da conversa redonda e nebulosa dos nossos desgovernantes, todo este negócio feito à pressa justificar-se-ia pela necessidade urgente de meter dinheiro fresco na empresa para fazer face aos problemas críticos de que padecia.

Afinal, se o que me pareceu for mesmo isto, vou ali e já venho. Espero bem que os partidos peçam esclarecimentos urgentes e se munam do que for necessário para verem se o negócio tem pernas para andar ou se é um nado-morto.

Entretanto, em busca de confirmação para o que me pareceu ter ouvido, não encontrei o que procurava mas encontrei outras pérolas:


Diz Nicolau Santos no Expresso

Um dos principais financiadores e futuro acionista da TAP será o BNDES, o Banco Nacional de Desenvolvimento do Brasil, instituição financeira pública e a principal fonte de financiamento para o crescimento de indústrias estrategicamente importantes daquele país e para a sua internacionalização. Por outras palavras, enquanto o Governo português vende a sua companhia de bandeira, o Governo brasileiro apoia uma empresa privada a comprá-la.


Leio no Público

Ainda não passa de uma carta de intenções, mas pode ser a primeira etapa para a entrada no capital da TAP do Estado brasileiro. O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, afirmou esta segunda-feira que o banco estatal brasileiro BNDES tem intenção de se juntar ao consórcio vencedor da privatização da TAP. “No agrupamento Gateway há uma carta sobre a intenção do BNDES de olhar para a possibilidade de participar na operação o que é importante, porque é um novo credor ou accionista, mas a companhia é sempre liderada por um empresário nacional”, afirmou o governante, citado pela Lusa.
(...) O Brasil nunca escondeu o interesse estratégico da privatização da TAP. Na visita que fez a Portugal, em Abril, o vice-presidente brasileiro, Michel Temer, admitiu que esse era um dos temas na agenda. (...)
O BNDES, banco público brasileiro, é accionista de referência em várias empresas brasileiras consideradas estratégicas. É assim que se explica a sua presença no capital da Petrobras e é também assim que se percebe a sua participação no capital da Oi –  a empresa que foi parceira da PT e onde agora tem uma participação de quase 28% a PHarol SGPS, a holding que reúne alguns dos antigos accionistas portugueses da operadora, como o Novobanco, a Ongoing e a Visabeira. Mas, apesar de a PHarol ser a maior accionista da Oi, é ao BNDES, com os seus 5% no capital, que cabe a palavra decisiva.
O BNDES é também accionista da Embraer (que tem uma fábrica em Évora e é accionista maioritária das OGMA), com cerca de 5,37%. Tem ainda 19% da Eletrobras, a eléctrica que em 2011 concorreu à privatização da EDP, um dossiê que motivou mesmo a visita a Lisboa do presidente da instituição, Luciano Coutinho.


E leio no Dinheiro Vivo

O volume de dívida bancária da TAP, que ascende a quase 700 milhões de euros, é uma das preocupações de David Neeleman e Humberto Pedrosa. Os dois investidores assinalaram, contudo, na sua oferta que pretendem renegociar prazos e evitar pagamentos entre 2017 e 2020. O limite vai variar consoante a facilidade em obter financiamento.
----

Uma vergonha. O País a ser despachado à pressão, de qualquer maneira, a quem quer que seja, a empresários duvidosos, a Estados sejam democráticos ou não, a pés-rapados, a gente duvidosa, seja quem for.

Caraças! E, perante isto, como é que as sondagens não dão uma maioria absoluta alargada mas mesmo muito alargada à oposição, em especial ao PS - alguém me diz? Só pode ser por manifesta falta de jeito deste raio deste PS! Caraças. Que raio de País este em que os seus habitantes parece que gostam de ser violentados de toda a maneira e feitio... e nem piam. E parece que há muitos que até gostam. Bolas para isto.

...


Já agora deixem que vos informe que, no post abaixo, há um vídeo impressionante sobre Berlim em Julho de 1945, no rescaldo da Guerra.

...

1 comentário:

Anónimo disse...

Há pouco, na RTP 2, no noticiário, um comentador económico deu uma explicação que só mesmo naquele canal, ou seja, destruiu a argumentação dos que defendem esta privatização, ou a forma como foi feita. Desde as ligações duvidosas e escandalosas (criminosas?) do tal dinheiro brasileiro que caiu sobre a TAP, ao facto do tal americano-brasileiro não estar interessado, em todos os negócios que faz, em se aguentar mais do que uns 6 a 7 anos, para depois revender. Ou seja, o homem compra para vender. E a retalho. Daqui a meia-duzia de anos. E assim, a TAP, desaparecerá. Sem deixar rasto. Como a PT, segundo o tal (excelente) comentador. Com o conhecimento do tal Sérgio Sec.Est, do PM Passos, PR, etc. “Um país catita”, como diria um tio avô que já marchou desta para melhor. E fez ele bem!
P.Rufino