Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sábado, maio 30, 2015

A economia explicada a pessoas com a idade mental dos nossos desgovernantes


O que Leitor a quem agradeço me enviou (para além do que mostro no post abaixo) e que aqui divulgo já eu, mais coisa menos coisa, descrevi antes, num post anterior, para ilustrar, de forma simplista, o que é a economia: fluxos em circulação, incluindo os fluxos monetários. Quando se diz que tem que ser injectada liquidez no mercado é, essencialmente, para isto mesmo: para fazer arrancar o motor económico, para que a confiança se restabeleça, para que a máquina não continue parada, para que volte a haver investimento e criação de emprego. O que uns pagam, outros recebem e quem recebe, paga e assim sucessivamente.




Passo a transcrever o que recebi:

Curso rápido de Economia



Um viajante chega a um hotel para dormir, mas pede para ver o quarto.

Entretanto, entrega ao recepcionista duas notas de 100 euros.

Enquanto o viajante inspecciona os quartos, o gerente do hotel sai a correr com as duas notas de 100€, e vai à mercearia ao lado pagar uma dívida antiga -- exactamente de 200 euros.

Surpreendido pelo pagamento inesperado da dívida, o merceeiro aproveita para pagar a um fornecedor uma dívida que tinha há muito -- também de 200 euros.

O fornecedor, por sua vez, pega também nas duas notas e corre à farmácia, para liquidar uma dívida que aí tinha de... 200,00 euros.

O farmacêutico, com as duas notas na mão, corre disparado e vai a uma casa de alterne ali ao lado, liquidar uma dívida com uma prostituta... Coincidentemente, a dívida era de 200 euros.

A prostituta agradecida, sai com o dinheiro em direcção ao hotel, lugar onde habitualmente levava os seus clientes e que ultimamente não havia pago pelas acomodações. Valor total da dívida: 200 euros.

Ela avisa o gerente que está a pagar a conta e coloca as notas em cima do balcão.

Nesse preciso momento, o viajante retorna do quarto, diz não ser o que esperava, pega nas duas notas de volta, agradece e sai do hotel.

Ninguém ganhou ou gastou um cêntimo, porém agora toda a cidade vive sem dívidas, com o crédito restaurado e começa a ver o futuro com confiança!

...

É isto.

...

E desçam, por favor, até ao post seguinte.

..

1 comentário:

Rosa Pinto disse...

Simples. Neste governo os duzentos euros, perdão, os duzentos milhões de euros é sempre pouco para os mesmos. Não circula.