Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quinta-feira, novembro 20, 2014

A vida por vezes tão difícil de algumas mulheres muito bonitas. A primeira super modelo, Janice Dickinson, com o rosto transfigurado, acusa o comediante Bill Cosby de a violar. Por outro lado, na flor da vida, a bela Sara Sampaio singra nos mais exigentes caminhos da moda. Vejam como brilhará em Dezembro na Vogue.



Vi a notícia, vi o vídeo com Janice (59 anos) e, por dois motivos, senti pena.

Em tempos vi um programa em que ela fazia já não me lembro bem o quê, talvez selecção de modelos, não sei bem, e nessa altura já estava toda esticada, tentando conservar as feições de quando em nova, fotografada, idolatrada e capa de muitas revistas.

Por vezes a câmara apanhava-a sem maquilhagem e a diferença era abissal. Quando arranjada, parecia reter ainda os traços da juventude mas, quando ao natural, parecia uma caricatura dela própria.

Agora vejo Janice Dickinson quase desfigurada, provavelmente sujeita a várias plásticas e injecções de botox, contando, emocionada, o que aconteceu naquela vez, muitos anos atrás, em 1982, em que foi drogada e violada por Bill Cosby, o rei da comédia, aquele a quem tanta gente olhava com carinho e agradecimento por tanta boa gargalhada. 


Lembro-me de ver o Cosby Show: era divertido, eu gostava bastante de o ver.


A tradução não é famosa e tem alguns erros terríveis mas, ainda assim, aqui fica um excerto de um episódio do Cosby Show


* Como nascem os bebés *



Afinal agora chovem as acusações de que costumava convidar mulheres bonitas, as que participavam na sua série ou nos seus shows, arranjava maneira de estar com elas, dava-lhes vinho tinto, drogava-as e, quando acordavam, elas viam-se sem roupa interior, o corpo devassado. Várias têm vindo a público denunciá-lo e a táctica era a mesma. Janice lembra-se que, antes de adormecer, sedada, o viu de robe a avançar sobre ela.

Ou seja, o bem humorado Bill Cosby é, afinal, um perdador, tarado, perigoso. Não conheço as acusações em pormenor mas penso que se reportam ao passado. Não sei se, entretanto, se curou. Mas fica um gosto amargo.

E fica, também, um gosto amargo pelas jovens muito belas que se vêem cortejadas, seduzidas, cercadas por oportunidades e que, tantas vezes, na sua inocente ambição, acabam por ser vítimas de ataques sexuais, inseridas nos círculos da droga, do desregramento, da permissividade, da promiscuidade. Não acontece com todas, claro, mas acontece com alguma frequência.
Ainda no outro dia, numa reportagem da SIC sobre o que é feito de alguns modelos que há anos eram presença assídua nas passerelles, um deles, creio que se chama Valentino, dizia que tinha assistido a toda a espécie de excessos e desregramentos, vícios, droga.

E tenho também pena da forma como algumas envelhecem, recusando deixar o tempo exercer o seu efeito no corpo. Querem preservar, à força, a frescura da juventude e não conseguem perceber que isso não é possível.




Janice era muito bonita. Morena, sensual, esguia, feições exóticas. 


Agora é quase uma máscara. Não se esperaria que tivesse a mesma frescura ou a mesma firmeza de carnes mas, senhores, para quê preencher cada ruga, insuflar os lábios, subir as maçãs do rosto, aumentar desmesuradamente os seios? Olho-a agora e parece-me uma mulher estranha, artificial.




E parece que a perseguição dessa juventude perdida transporta consigo a semente da infelicidade, a dor de memórias muito tristes. No vídeo vê-se uma mulher sofrida, sentida, uma mulher a quem a vida passou por cima. Teria tido tudo para ter uma vida feliz e, afinal, foi atropelada desta forma. Uma violência, uma tristeza.

Provavelmente Bill Cosby será julgado, talvez seja preso. Mas quem restituirá a felicidade e a candura a Janice?





-------


Sara Sampaio - Vogue Joyas Dec 2014



E, ao mesmo tempo que se vê aquela que terá sido a primeira super-modelo no que parece ser o seu ocaso, confessando o terrível crime sexual de que foi vítima e mostrando um rosto desfeito e triste, vemos a nossa bela Sara Sampaio, igualmente exótica e esbelta, brilhando na capa e nos editoriais das grandes revistas de moda. A Vogue Jóias de Dezembro mostrá-la-á deslumbrante e não lhe poupará elogios. E é verdade: os seus olhos verdes são únicos, o seu cabelo é formidável, os seus lábios grossos transbordam de sensualidade, o seu corpo é perfeito.

Transcrevo:

La belleza de Sara Sampaio es tan indescriptible que para encontrarle palabras hay que bucear durante algunos minutos en sus profundos ojos verdes, perderse en unos labios que han enamorado a media industria y volver a reparar en una melena lisa, kilómetrica y oscura capaz de enamorar con un simple vistazo. En el número de Vogue Joyas que tendrás en tus manos con Vogue diciembre el próximo 20 de noviembre, la fórmula secreta de esta top portuguesa eleva su belleza hasta el infinito gracias a los diamantes, brillantes, zafiros y rubíes que la acompañan en la bañera de una habitación de hotel, fotografiada en un editorial del tándem formado por el fotógrafo Álvaro Beamud y la estilismo de Marina Gallo.




Tomara que Sara Sampaio tenha sempre os pés na terra, a cabeça no lugar, que não se deslumbre, que não se deixe ir em cantigas, que aceite envelhecer com naturalidade. Uma mulher bela como ela é, tem tudo para ser uma mulher bela para sempre e oxalá faça boas escolhas e não se deixe trucidar pelas luzes da ribalta.

_


Já agora: não deixem de ver a séria ameaça à soberania nacional que vem (tarde de mais) do lado da Coreia

---

Sem comentários: