Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, setembro 21, 2014

Ó Tozé, cortaram-te o cravo? Ó Tozé, que pena, ó pá! Mas olha lá, ó meu, antes o cravo que outra coisa. Para a próxima guarda o cravo bem guardadinho, ó Tozé, fica a brincar às florzinhas na tua marquise e vê se a fechas bem fechada a ver se não aparece nenhum malandro.



O Tozé queria subir a escada do poder até ao fim
e agora estão a ver se o tiram de lá, ó que pena



Só vos digo que, quando me contaram, pensei que estavam a inventar. Não podia ser. Pela descrição parecia que seria uma infantilidade sem ponta por onde se lhe pegasse.

Depois ouvi a malta do Governo Sombra a gozar, dizia o Ricardo Araújo Pereira que aquilo era boca do Seguro para o Costa, por ser monhé, e querer andar com uma folô.


Agora estou a ver o Eixo do Mal e mostraram a coisa. Bem... É pior do que eu imaginaria. Que grande parvoíce que é este filme, que criancice mais pífia.

Este Tó-Zero é pior, mas muito pior, do que se poderia temer.

A minha mãe é que o topou e muito melhor que eu: apesar da raiva que tem ao Láparo, nas europeias recusou-se a votar no Seguro, disse que achava que era igual ao outro.

Mostro o filme para que, quem ainda não viu, veja com os seus próprios olhos: uma indigência.

Andou ele a alimentar o desejo de ir para o Governo e agora vem alguém e tira-lhe o brinquedo - e faz uma campanha baseado neste argumento.

Dá para acreditar...? É de um ridículo que até dói. 

Ai, minha mãe, que este Tó-Zero não é mesmo flor que se cheire.

Cá vai então.


Tiraram o cravo ao António... e ele, o menino Tó-Zerinho, ficou com a lagrimita ao canto do olho. Que pena...


Está na altura de virar a página, ó Tozé, ai está, está. Vai-te lá embora....
Faz-nos lá esse favor, poupa-nos.




Ai, que tristeza, ToTó, que grande tristeza.


Mas olha lá, ó meu, porque é que puseste tão pouca terra no vaso? E porque será que de tanta semente só uma é que vingou?

Olha lá, ó meu, pensa lá bem: será porque não tens queda para a coisa?

Vá lá, Totó, vai-te lá embora: não vês que não foste capaz

.

A imagem com o palhaço tem a origem que lá se vê: o saudoso We Have Kaos in the Garden

A que se refere ao Avatar do Coelho tem origem no blogue 77 Colinas.


...

1 comentário:

Vitor disse...

Um regresso às " coisas " políticas , em GRANDE, estimada UJM !
Suscitou-me, até , o riso ( algo que de mim anda bastante arredio tantas as " desgraças" a que assistimos, quotidianamente . . . ).
Aguardo ( penso que, aguardamos ) com muita ansiedade e expectativa o dia de hoje a uma semana .
Fazendo votos porque a afluência à votação corresponda ao entusiasmo das inscrições. . .
" Isto" tem que levar , mesmo, uma Volta ( e bem GRANDE. . . ) !
Melhores Cumprimentos
Vitor