Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quinta-feira, julho 24, 2014

Este Passos Coelho pode não ser um Einstein ou um Wittgenstein mas que tem um instinto de sobrevivência de se lhe tirar o chapéu, lá isso tem. Com medo que ela lhe faça sombra, agora quer despachar a Maria Luís Albuquerque para Bruxelas...?



passos coelho quer ver-se livre da Mª Luís albuquerque
Albuquerque - de útil a incómoda...?
Ou o aluno que se torna chefe da professora
mas que continua a pelar-se de medo dela...?


Ouve-se por aí, na rádio alcatifa, que a Albuquerque seria uma alternativa ao Passos na presidência do PSD, que ele já era, que o melhor é tirarem-no de lá antes das eleições e que a Albuquerca tem boa imagem, que tem um sorriso empático, que nunca se desconcerta e etc e tal. E dizem que ela é ambiciosa, que não se ensaiaria nada de passar a perna ao ex-aluno, e que tem ambições e que é um perigo e que, com aquela carinha de sonsa, cuidado com ela.


E que alguns barões, caciques e gente de outras categorias sociais começam a ficar ansiosos, que com eleições em Abril e com o Costa no PS, seria uma enxovalhadela para o PSD sem paralelo e que isto e aquilo e que é preciso começar a preparar as coisas.

Diz-se que o cão com pulgas não faz outra coisa que não andar a cheirar os rabos de uns e outros a ver se detecta afinidades electivas (electivas de eleições, se é que me entendem) e que anda a lançar nomes, entre eles o dela, a ver se pega. E isto, aquilo e o outro.

Ora se as ondas da rádio alcatifa têm chegado até mim, mais depressa terão chegado ao Passos.

Pois bem, leio agora que o Passos não se importa de a libertar se Maria Luís Albuquerque for para um bom lugar em Bruxelas, se o lugar de comissária for dos bons. Não se importa...? Mas quem é que a quer levar...? Leio e soa-me mesmo a conversa fiada. Dá ideia é que está a querer despachá-la para onde não lhe faça sombra.


Ou, então - como a coisa não está a correr bem, o défice a não dar tréguas, os impostos já a rebentarem pelas costuras mais e que, mesmo assim não dão para tapar os juros da dívida que upa upa - quer ver-se livre dela a ver se arranja outro menos sorrisinhos larocas, menos mediático, uma coisa tipo moedas ou nessa base?

Alguma é.


Bem me dizia um grande amigo meu a propósito de fulanos que a gente acha que são burros e que, afinal, se aguentam como uns sempre-em-pés e que, até, sobem até onde nunca pareceria possível: 'É gente que põe toda a esperteza que tem ao serviço da sua própria sobrevivência'. 

Pois.


1 comentário:

Anónimo disse...

Dois montes de asco, o Passos e a Albuquerque.
P.Rufino