Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, julho 22, 2014

Daqui, meus amores, vos envio notícias da Joaquina [O Tozé Seguro aparece aqui a tocar ferrinhos só para ver se ela se anima com as primárias, que esta Jaquina está muito alheada desta política tão farfalhuda, tão boa]


Não usei até hoje o Um Jeito Manso para enviar recados, indirectas, desafios ou o que quer que seja a alguém em particular. Nunca escrevo de incertos nem me dirijo a incertos. Isto é aqui é escrita franca, os bois pelos nomes, e quem gostar que fique, quem não quiser que coma só as batatas fritas.

Ou seja, quando escrevo, exprimo a minha opinião junto de quem aqui a quiser conhecer, ou mostro coisas de que gosto, ou conto memórias, qualquer coisa - mas não penso em ninguém em particular. Pelo contrário, tento abstrair-me das pessoas que conheço para não me sentir inibida e exprimir-me em total liberdade.

Mas hoje não. Hoje dirijo-me especificamente aos meus meninos que rumaram a sul e que deixaram a Joaquina à nossa guarda.


Já vos disse, meus amores, que a menina está bem, espevitada, cheia de apetite. Temos todos os cuidados com ela, água fresca, roupa de cama trocada uma vez por dia, 4 camarões de manhã e 4 ao jantar. Come-os de gosto e até ver não lhe notamos estranheza ou inquietação.

Também falo com ela, brinco, e ela corresponde, cabecita erguida, olhando para ver quem é esta que por aqui anda em vez dos seus pequeninos brincalhotos.

Para que a vejam, envio uma fotografia da vossa simpática amiga. Não é uma selfie que acho que ela não se ajeitaria. Fui eu mesmo que a fotografei na altura em que se preparava para se atirar à janta. Agora vou ver se a ensino a fazer like com a pata da frente para amanhã a fotografia ser mais expressiva. 

Beijos e abraços da Joaquina.



Nota para os Leitores que, naturalmente, não conhecem pessoalmente a Joaquina: a moça é rapariga para ter o tamanho de uma moeda de 2 euros mal aviados mas é mais esperta que muitos outros animais que por aí andam, podem crer. Ainda há bocado vi a fotografia de um com barrete de aladino ou lá que coisa era aquela e pensei cá para mim, Ah Jaquina, que cá para mim ainda te hei-de ver em primeira ministra mais depressa que a este. 

Pensamentos profundos que me ocorrem de vez em quando. A bem dizer.

_


Volto aqui depois de já ter escrito outras coisas mas o motivo é importante, justifica este meu retrocesso.

Olhem o vídeo que eu encontrei para servir de modelo à Jaquina. Amanhã vou ver se a ponho de barrete a tocar ferrinhos. Ah, Jaquina, Jaquina, que tu nem sabes, mulher, o brilhante futuro que te espera e isto sem teres tido que andar pelas Jotas ou a fazer anos e anos de voltas da carne assada a aprender o nome de todas as comadres e respectivas cunhadas. Prepara-te, Jaquina, que isto amanhã vai ser coaching a sério.


António José Seguro canta e dança, toca ferrinhos e faz filmes e selfies 


- um vídeo muito das primárias, muito do país profundo, muito popular, muito portas, muito bom. 


Ao vê-lo só me ocorre aplaudi-lo e gritar. Já ganhou! Já ganhou!


(Só não digo o que é que ele já ganhou para não esmorecer os ânimos da Jaquina)



E reparem no passo de sevilhana que ele faz ao 1'01. Linda! Toda salerosa, la chica.



...

1 comentário:

FIRME disse...

SISSERAMENTE...NÃ HABIA NESSESSIDADE.Em beirês talbês achem um poco mais de grassa,eh,eh! Ferrinhos...