Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, junho 29, 2014

O hibisco vermelho de Burkina Faso [para Judite de Sousa, a mulher que veste o sorriso de rouge, neste momento de aflição]


Este sábado foi daqueles dias em que tive que me levantar com despertador, em que a azáfama começou mal me levantei e em que apenas cheguei a casa perto da meia noite. Um pouco de tudo dentro do dia: a casa cheia, comes e bebes aqui e ali, festa de anos na casa dos bisas, sarau nocturno com uma das meninas mais crescidas a actuar, a turma inteira a vibrar. Uma alegria mas, agora que aqui cheguei, parece que se me gastaram as pilhas.

Quando liguei o computador reparei que tinha algumas entradas assustadoras no Um Jeito Manso

Pelas estatísticas vi que várias pessoas escreveram coisas relacionadas com "acidente filho Judite de Sousa numa piscina", "filho de Judite de Sousa em estado crítico", "filho de Judite de Sousa internado muito mal", "filho de Judite de Sousa ligado à máquina".


Arrepiei-me. Que coisa.

Pensei que alguma coisa devia haver para as pessoas estarem a escrever isto nos motores de busca (e, uma vez mais, fico intrigada com o algoritmo dos motores de busca que remete as pessoas para o Um Jeito Manso quando, claro está, nunca aqui tinha falado em nada disso. Falo, por vezes, das toilettes da Judite mas não no filho ou em acidentes do filho. Mas, enfim, nos Googles e Yahoos desta vida trabalham os melhores crânios deste mundo pelo que eles lá sabem porque o fazem). 

Não tendo ouvido notícias, lido o Expresso ou, sequer, ouvido rádio, um bocado assustada fui eu à procura; e, de facto, vi no DN que o jovem André Sousa Bessa está mesmo muito mal, internado, depois de ter sofrido um acidente grave numa moradia particular na zona de Azeitão - segundo leio, terá acontecido na madrugada de sexta para sábado, terá havido uma queda numa piscina, estando cerca de quinze minutos debaixo de água. Provavelmente, sendo de noite, quem mais estaria com ele não se terá apercebido. 


Fiquei ainda mais assustada.

Quando o filho de alguém sofre um acidente ou adoece, a gente sente um sobressalto não só pelo filho mas também pela mãe. Em momentos de susto e terror, as mães pensam nas outras mães. Digo-vos: fiquei com vontade de ir para o hospital, apoiar a Judite, ver se ela precisa de algum apoio. Claro que não o fiz pois, numa altura destas, o que ela deve querer é estar ao pé do filho, pedir por ele - e não aturar estranhos. Nenhuma mãe está preparada para um susto assim. Nenhuma mãe merece passar por uma aflição tão grande. Tomara, tomara, tomara que o jovem supere a gravidade da situação e se ponha bom.

Sempre tive pavor dos acidentes de piscina. Pavor. Quando a rapaziada da família se junta em volta de uma piscina, e agora tenho que me posicionar sobretudo há alguns anos atrás - em que todos, incluindo primos e cunhados, ainda tinham mobilidade atlética e os respectivos filhos já estavam naquela idade em que, adolescentes, tudo faziam - eu só desejava que ficassem cansados, que aquilo acabasse (e, sobretudo, que acabasse bem). Mergulhos e mergulhos, cambalhotas no ar, saltos em mortal para dentro de água. Um horror. Destemidos, brincalhões, ginasticados, aquilo era uma maluquice. Eu, que sou da beira de água e que tanto gosto de nadar e mergulhar, nunca fui de dar saltos de alturas ou acrobacias. Mas eles... O meu filho, claro, era um dos entusiastas e eu odiava, mas odiava tanto, que ele fizesse aquilo. Um medo dos acidentes nas piscinas... Felizmente os mais velhos já perderam alguma da elasticidade e já entram nas piscinas com comedimento, os adolescentes da altura já são pais e, embora ainda quase adolescentes e bem dispostos, já não se arriscam tanto pois já têm noção dos perigos.

Imagino a aflição de Judite de Sousa. Imagino eu e devem imaginar todas as mães que tudo fariam para que os seus filhos nunca sofressem, nunca passassem por maus momentos, nunca fossem vítimas de acidentes ou doenças, e que, pelo contrário, tivessem uma vida longa, tranquila, feliz.

filho de Judite de Sousa, agora internado em estado crítico

O filho de Judite de Sousa, 

André Bessa, 

ao lado da mãe

- que parecidos eles são, o sorriso igual

(Pudessem as mães andar sempre com os filhos por perto
para terem a certeza de que nada de mal lhes acontecia...)

.
Lembro-me de ver uma entrevista de Judite de Sousa em que ela aparecia ao lado do filho e dizia que ele era o único homem da sua vida, fonte de grande inspiração e o homem que nunca a tinha desiludido. Tomara que, apesar das notícias não prenunciarem nada de bom, o André continue a não desiludir a mãe, tomara que consiga recuperar.


Por isso, para a Judite de Sousa com quem eu tantas vezes me meto pelas suas indumentárias mais criativas ou para quem olho de lado quando me parece que deveria ser mais distante ou crítica, mas com quem simpatizo pela sua espontaneidade e profissionalismo, daqui lhe envio uma flor muito simples mas muito bela, o hibisco vermelho, e, com ela, os meus votos de que rapidamente tenha o seu filho consigo, livre de perigo, saudável, bem. Tomara que um milagre aconteça.


[Claro que, pelo cansaço que tenho em mim e porque fiquei mesmo abalada com esta notícia, não me apetece falar de mais nada. Poderia ir ver quais as novidades, ou poderia passar as fotografias para o computador e mostrar-vos a alegria dos meus pimentinhas no quintal da bisa - mas não tenho energia ou ânimo para isso. Receio que alguns de vós, meus Caros Leitores, me achem lamechas ou disparatada por reagir assim perante uma notícia que envolve alguém que não conheço, apenas por ser filho de alguém que aparece na televisão. Mas que querem? Sou assim. E para que haveria de fingir que sou outra coisa? Vocês nem me conhecem. Para que haveria eu de fingir que a notícia me tinha deixado indiferente e pôr-me para aqui a dissertar sobre coisas de que, neste momento, não me apetece falar? Se eu na minha vida corrente, de cara à vista, sou sincera e não tenho receio da opinião dos outros, porque haveria aqui de me pôr com disfarces? Não. Sou assim. Lamechas por vezes, sim. ]



Red Hibiscus nos Dior Gardens, em Koro, Burkina Faso . 
Dior One Essential




__


E, para animar e pensando também em Judite de Sousa, uma verdadeira mulher en rouge, de quem é bem conhecido o seu sorriso, aqui vos deixo um vídeo bastante interessante sobre o rouge Dior.


Rouge Dior - 60 years of attitude

Há 60 anos a vestir o sorriso das mulheres


__

E, portanto, por hoje é isto - e tomara que este domingo as notícias sobre o filho de Judite de Sousa sejam melhores.


Desejo-vos, meus Caros Leitores, um bom domingo e um abraço para todas as mães, em especial para as que, por algum motivo, têm um aperto do peito.


5 comentários:

bob marley disse...

lamento ainda para mais sendo filho único. no entanto fartei-me de pesquisar , e só vi do tipo , caiu numa piscina

as questões "Quem? O Que? Quando? Onde? Porque e Como? (Who, What, When, Where, Why and How)"

eram importantes, ou estamos na presença de incompetentes ou não dá jeito enquadrar a totalidade da notícia

Vitor Gomes Freire disse...

Muito Bem , UJM !
Melhores Cumprimentos
Vitor

lino disse...

Acabei de ver que, infelizmente, já faleceu :(

Tété disse...

Olá Tá,
Sabe que me admiro muito de não se falar do assunto na TV nem mesmo nas notícias?.
Penso que ela poderá ter pedido para não se falar do assunto, e, por isso, não me parece coisa ligeira.
Também desejo que tudo seja superado.
Um beijinho para si
Teresa

Tété disse...

Voltei porque acabei de saber do falecimento do André Bessa filho da Judite de Sousa.
Não há palavras que se possam dizer a uma mãe neste momento.
Que Deus nos proteja de tais notícias.
Abraço