Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, junho 24, 2014

O ex-espião Silva Carvalho defende demissão imediata do deputado do PSD Paulo Mota Pinto de presidente do Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP) até ser confirmado como "chairman" do BES. Paulo Mota Pinto sabe demais, dá a entender o ex-espião. Porque será, então, que o BES o contratou?, pergunto eu.


No post abaixo mostro um divertido cartoon que me foi enviado. O tema é a crise portuguesa e confirma que o humor é a forma mais refinada de inteligência.

Mais abaixo, transcrevo o post recentíssimo da mãe do menino espanhol que supostamente o apolíneo CR7 estaria a apoiar, desenhando um Z idêntico à cicatriz na cabeça da criança resultante de uma cirurgia que, também supostamente, teria financiado. Contudo, toda a devoção que os crentes mostraram para com o São Ronaldo parece ter sido prematura.

Mas isso é a seguir. Aqui, agora, a conversa é outra.


Sky Fall
Uma música que remete para a espionagem pura e dura 
com lados artísticos e inacreditáveis





Sempre achei graça ao ex-espião e grande calmeirão Jorge Silva Carvalho.

Espertalhão, aventaleiro, parece que amigo do grande facilitador do regime, o encartado doutor Relvas, o Mr. Big saíu de espião directamente para um grupo ligado à comunicação (embora eu nunca tenha percebido de que comunicação a Ongoing se ocupava e para que diabo queriam lá o big boss da espionagem).

Por lá andou também o Branquinho que agora parece que é secretário de estado do lapariano desgoverno, embora eu também não saiba a fazer o quê. Mas o Branquinho parece um passarinho inofensivo ao pé do passarão Silva Carvalho, não deve ter feito nada de jeito nem na Ongoing, nem no Governo nem em lado nenhum por onde tenha passado. Digo eu - embora a vermos pela bela peça que nos está a sair o Seguro, não se devam desvalorizar os coisinhos desta vida.

Jorge Silva Carvalho saíu entretanto da Ongoing e não sei o que anda agora a fazer. O que parece é que é menino que não brinca em serviço. Tem um certo ar de elefante, e são sabidos os danos que os elefantes são capazes de fazer em lojas de porcelanas.

Desta vez saíu-se à cena com uma recomendação que me parece fazer todo o sentido mas que vem lançar uma inquietante dúvida: porque foi o não menos corpulento deputado Paulo Mota Pinto escolhido para chairman do BES...? Nunca foi banqueiro...


Transcrevo parte da notícia do DN onde se dá conta da recomendação de Jorge Silva Carvalho:

Jorge Silva Carvalho, o brother que impõe respeito
(o que é que ele tem no bolso e que, com ar ameaçador)
parece ameaçar revelar?)

O antigo diretor do Serviço de Informações Estratégicas e Segurança (SIED) defendeu, este domingo, a demissão imediata de Paulo Mota Pinto como presidente do Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP), depois de o seu nome ter sido indicado para presidente do conselho de administração do BES. A posição de Silva Carvalho é justificada com ironia: "Espero que no exercício das suas funções, desde então, não tenha acesso a relatórios com informação privilegiada sobre bancos, mercados onde o BES tenha negócios, entre muitas outras coisas...!".

(...)

Referindo-se ao "período de nojo" para os agentes secretos transitarem para o setor privado, aprovado recentemente pelo parlamento, (...) "Porque é que os membros do Conselho de Fiscalização que têm acesso a toda a informação classificada dos serviços não são abrangidos, tal como os membros do Governo destinatários preferenciais da mesma?".

"Há funcionários dos serviços dos serviços de informações que jamais terão, em todas as suas carreiras, acesso ao nível de informação disponível para os membros do Conselho de Fiscalização ou, bem assim, para alguns membros do Governo", acrescentou ainda.

Ou seja, alerta o ex-espião: cuidado com o novo chairman do BES que sabe mais do que deve, mais até do que os próprios espiões...

Porque será que a família Espírito Santo escolheu Mota Pinto?, pergunta a minha santa inocência agora que leio tão intrigante notícia.

Entretanto, leio também no ionline:

João Soares, que não é pequenino,
 parece uma criança pequena ao pé de Paulo Mota Pinto,
futuro chairman do BES 

Paulo Mota Pinto veio afirmar que, caso seja eleito para a presidência do Conselho de Administração do BES, renunciará ao mandato na Assembleia da República - onde é também presidente da comissão parlamentar de Assuntos Europeus - e à presidência do Conselho de Fiscalização das secretas. "Caso seja eleito, quando iniciar essas funções cessarei de imediato o exercício das funções públicas que venho exercendo", garantiu o deputado, na última sexta-feira, numa declaração à agência Lusa.


Para Jorge Silva Carvalho, esta será uma saída tardia. "O deputado Mota Pinto, no mínimo, depois de conhecida a notícia, já deveria ter pedido a demissão do cargo" 

Mota Pinto é ilustre e destacado membro do PSD, escuso eu de acrescentar.


Não sei o que diz Ricciardi a esta escolha. O que sei é que as notícias de hoje dão conta que Ricciardi garante que maioria da família queria que fosse ele o líder do BES e que ele é que não aceitou por não haver unanimidade. Ou seja, Amílcar Morais Pires para CEO é uma segunda escolha. Por isso, no poderoso BES vamos ter um advogado do PSD especialmente bem informado à frente de um Conselho de Administração a cuja Comissão Executiva presidirá o braço direito de Ricardo Salgado. 


Isto promete e vamos lá a ver como acaba (porque, pelo que se vê, ainda a procissão pode estar a sair do adro).

Claro que a mim tanto me dá. Desentendidos, primos desavindos, guerreando-se nos media e nos corredores do poder - e, por via da contratação de Mota Pinto, com os bolsos cheios de segredos e, portanto, com meio mundo na mão - o que é preciso é que não arranjem maneira de terem que ser os contribuintes, uma vez mais, a meter lá dinheiro para tapar os buracos que eles - maus gestores e, pelo que se tem vindo a saber, gente pouco séria - andaram a ver se encobriam aos olhos do regulador e do País em geral.

___


A música é a banda sonora de 007 Sky Fall na voz de Adele. A primeira imagem provém do blogue We Have Kaos in the Garden. As restantes circulam pela net.

___

Relembro: já a seguir encontrarão um divertido e muito oportuno cartoon e, depois, com vossa licença, atiro um baldinho de água fria sobre os devotos de São CR7. Que ele deve ser uma boa pessoa, não duvido. Mas que já seja um santinho em vida, um cromo que sacrifica o penteado para copiar cicatrizes infantis, isso, ao que julgo ter apurado, parece ser um pouco exagerado.

___


Desejo-vos, meus Caros Leitores, uma bela terça feira.


3 comentários:

lino disse...

Não tarda nada que o tal Paulo Mota Pinto faça ao BES o que o Paulo Teixeira Pinto fez ao BCP, mandá-lo pelo cano abaixo!
Beijinho

Anónimo disse...

Eh ...pá ! O EXPIÃO,passou a pião?
Bom ,isto promete!!! Tenho uns tostões no bes,logo ...estou a pensar na d.banca dos anos 80...Bom... vou comprar 1 mota c/pinta

Anónimo disse...

No BES passam-se coisas extraordinárias. Um arguido é colocado à frente da Administração, um ex-Presidente da mesma sai, mas fica, e dos milhares de milhões que escaparam para parte incerta (fugindo aos impostos), nem o Estado, nem a Justiça pedem contas, pelo menos, tanto quanto sei. Coloquemo-nos nós a tentar fintar o Fisco e sabemos bem qual seria o nosso destino. O caso BES é um exemplo de como aqui, neste rectângulo à beira-mar plantado, basta ser-se muito rico e muito poderoso para se conseguir esquivar ás garras do Fisco e da Justiça. O conceito e substância do que significa, ou consiste, o Estado de Direito ainda não se aplica em toda a sua extensão, neste patético país. Ao PR, este tipo de coisas que acabamos de ver, juntas a outras como as violações sistemáticas seguidas de provocações ao TC, é totalmente indiferente. O homem não quer saber. Ao PM e Vice-PM, pelo contrário, convém é não lhes (à Banca) criar mais problemas dos que já têm, por moto próprio e até lá colocam gente da sua bancada na banca (e no BES). Da Oposição também pouco ruído se ouviu até à data. Em resumo, mesmo com as declarações do ex-espião, que deveriam, a terem fundamento, ser levadas em devida conta, o caso BES é tão só uma problemazinho de um Banco (embora o Banco de sempre dos Regimes, da Ditadura á Democracia). O que é que o povo, o Governo, a Justiça, etc, têm a ver com isso, com esta Porcaria? Nada! Espantoso! Começo a pensar que vivo num País que não existe. Que isto tudo não passa de um pesadelo. Tudo isto é surreal. Isto mete nojo. Asco! e ainda há gajos que apertam as mãos a estes patifes!
P.Rufino