Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sexta-feira, junho 06, 2014

Ainda a violência doméstica: mais contactos. A quem recorrer quando se precisa de apoio? A AMCV pode ser o porto de abrigo de que se precisa.


No post abaixo já vos dei conta dos novos cortes do Governo. Surpreendente. Não deixem de ver, por favor, porque nem dá para acreditar.

Mas isso é a seguir. Aqui, agora, a conversa é outra.

_ _


Como vos tenho contado, a minha caixa de correio está sempre cheia: sugestões, vídeos, fotografias, piadas, notícias, desabafos, histórias de vida. Como é sabido (tantas vezes já aqui me lastimei) o meu tempo é escasso e, por isso, não consigo responder individualmente a cada pessoa. Sinto-me indelicada e temo que fiquem a pensar que não ligo ou que não agradeço. Acreditem que não é isso, é mesmo só falta de tempo. Hoje cheguei a casa tão cansada que mudei de roupa e, enquanto o meu marido não chegava para irmos fazer a nossa caminhada, sentei-me no sofá com 'Os factos' e adormeci instantaneamente. O meu marido chegou poucos minutos depois e não dei por nada, estava a dormir profundamente. Tinha o livro na mão na posição em que tinha pegado nele, nem uma linha cheguei a ler.

Entretanto já fiz a minha caminhada, já jantei, já arrumei a cozinha, já fiz telefonemas, já respondi a mails de trabalho (como andei todo o santo dia com reuniões fora do escritório, tinha vários assuntos para despachar) e, no entanto, agora que aqui estou, parece que ainda não consegui acordar do sono ferrado de há bocado. Enfim.

Tudo isto para me desculpar pela indelicadeza de não responder a cada mail. Mas há assuntos em que, apesar de não conseguir tempo para mails atentos e demorados, tenho que pegar e trazer para primeiro plano.

_ _


De uma Leitora que, durante anos, passou pelo pesadelo da violência doméstica (e é preciso que se saiba que a violência não é necessariamente apenas violência física) recebi informação da outra associação que lhe valeu, uma associação que protege as vítimas com a discrição que se exige em situações de risco como a que as mulheres agredidas e ameaçadas vivem.


A AMCV é uma Organização não Governamental (ONG), independente, laica e sem fins lucrativos, cuja missão actual é questionar e desafiar as atitudes, crenças e padrões culturais que perpetuam e legitimam a violência contra as Mulheres, Crianças e Jovens.



A AMCV disponibiliza gratuitamente alguns serviços:



→ Atendimento Telefónico especializado;

→ Acompanhamento Individual;
→ Aconselhamento Jurídico;
→ Serviço de Apoio ao Emprego;
→ Apoio Psicológico para Mulheres e Crianças;
→ Grupos de Ajuda Mútua;
→ Fórum para Jovens;
→ Centro de Documentação Especializado;
→ Casas-Abrigo


Sede: Rua João Villaret, nº9  1000 -182 Lisboa

Tel. 213 802 160 ou 213 802 168

e-mail: sede@amcv.org.pt  


A Associação de Mulheres contra a Violência alerta para novos riscos: há casos de mulheres que são sujeitas a situações mais complexas porque os agressores estão ligados ao crime organizado.


Clique no link para ver o vídeo:



_ _



A Vice-Presidente da Associação de Mulheres contra a Violência é Margarida Martins e nunca agradeceremos suficientemente a pessoas que tão solidariamente dão parte de si a quem tanto precisa de suporte.



_  _  _

Relembro: não deixem de descer até ao post já a seguir: os novos cortes do Governo são de arrasar!

_ _

Sem comentários: