Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quinta-feira, maio 01, 2014

Com a nova subida do IVA e da TSU dos trabalhadores, com os cortes transitórios a passarem a definitivos e com mais umas quantas habilidades, o DEO do Passos Láparo, da Albuquerca e do vice-Irrevogável Portas deixa bem à vista qual a bíblia que o gang segue: as virtudes, segundo a religião deles, são a mentira, o esbulho, o descaramento, o servilismo e mais umas quantas. Quem quiser que os compre que eu tenho mais que fazer. Mas, assim como assim, aqui deixo uma sugestão à Nossa Senhora para ver se, desta vez, faz um milagre a sério. Um boi bravo a perseguir os membros do desgoverno. Boa...?



Andava por aí o gang a dizer que não ia aprofundar o esforço fiscal, que ia desonerar já não sei o quê e mais umas quantas patacoadas na novilíngua passista que os papagaios avençados não se têm cansado de andar a repetir nas televisões, feitos palermas inocentes.

Nem me dei ao trabalho de falar disso. Gente trapalhona comigo não pode contar (a menos que me apanhem a dormir na forma). Era o que faltava andar-lhes a fazer o frete, a fazer-me eco de coisas que na boca daquela gente vale o mesmo que nada e significa o contrário do que significa na boca de gente honrada.

Depois de várias falsas partidas, debaixo da confusão do costume, eis que lá acabou por se saber das gordas do DEO e tudo muito embrulhado em palavreado vago. Mais do mesmo: mais impostos e mais burrice em letra de forma. Não fazem ideia do que andam a fazer. Ponto. E sacaneiam a população com o descaramento dos delinquentes encartados.

Ouvi há pouco que o Passos Láparo diz que o aumento de impostos resultou da necessidade de fazer aquilo a que se costuma chamar uma calibração técnica. Lá está. Esperto, este sujeitinho. As coisas que ele inventa. 


Cá em casa, mal se ouvem as aleivosias da criatura, logo um sonoro palavrão se ouve e zás trás pás, zapping com ele. Desta vez reajo, ora essa, deixa-me lá sofrer um bocado

E lá me aparece aquele trinca-espinhas que fala à dentada, sílaba por sílaba mas como se as cuspisse. Um sujeitolas mal alimentado (que devia internar-se numa das suas queridas cantinas dos pobres a ver se ganha corpo) e que só aparece para anunciar novas sevícias, ali estava, convencido que são todos tão destituídos como ele deve ser, a fazer de conta que aumentar a TSU e o IVA é coisa do melhor que há, caridade da pura.

Cá em casa, novos palavrões e fúrias, Tira-me este gajo da frente, filhos da p... que acham que podem gozar à vontade com a malta.

Agora enquanto estou a escrever, vejo o irrevogável-protectorizado a sair não sei de onde, a correr e a rir, todo assarapantado, a dizer umas coisecas quaisquer, graçolas mal paridas - acabei de ouvir e não consigo reproduzir, varreu-se-me instantaneamente.

E agora vejo a pinókia a dizer que tem vindo a elaborar uma longa lista com entradas dos dois lados para compilar argumentos e ri, toda fresca e fofa, como se uma decisão séria pudesse ser analisado como se fosse o jogo do galo.

Já nem consigo pronunciar-me sobre esta cegada, parece uma laracha.

Vou esperar que caiam de podres, que aconteça um milagre qualquer, que a Nossa Senhora desta vez, em vez de aparecer em cima duma azinheira a resolver avaliações da troika, faça qualquer coisa de mais útil e arranje maneira de a gente se ver livre desta cambada. Por exemplo, porque é que a Nossa Senhora não põe um boi a entrar pelo Conselho de Ministros adentro e a perseguir aquela seita toda? Todos os dias. Sempre que se juntem, a Nossa Senhora soltava o touro bravo e impedia-os de fazerem mais porcaria. Isso, sim, seria milagre que se visse.



____

As imagens provêm do blogue We Have Kaos in the Garden excepto a primeira de que não sei qual a proveniência original.

O vídeo mostra, no Hospital Francisco Limongi, em Trajano de Moraes, Região Serrana do Rio, Brasil, um boi que entra pela área cirúrgica, passa pela maternidade e sai pela frente carregando a porta. 


____

2 comentários:

Anónimo disse...

Eu oiço e vejo estas coisas e fico com uma raiva danada. Esta escória, corja de bandidos, Passos, Portas, Albuquerque, mentem de uma forma que, para além de compulsiva, começa a ser doentia, psíquica. Nunca a palavra de um governante valeu, desculpe-me o termo, merda, como agora. Estes energúmeros políticos, depois de darem cabo da imagem dos funcionários públicos, dão agora cabo da imagem do Estado autoridade/governo. Estes impostas, que o não são (!) para aquelas bestas, como divertidamente a Sic tentava desmontar ao anuciá-las, são mais uma pequena machadada na vida de quem menos tem. Poder-se-ía ir por um imposto, por exemplo, aos que mais rendimentos têm, mesmo que a título provisório, para os próximos anos, mas não, o governo, esta canalha, de que aqueles 3 são a cara mais culpada desta porcaria de governo, os três trastes, prefere o caminho mais fácil e mais cobarde, os tais aumentos que acabou por anunciar. No fundo, o governo dá com uma mão e tira com outra. Uns sabujos. E ainda acham que têm razão, basta ouvir aquele hediondo trio!
Sinceramente, ás vezes dou comigo a pensar porque é que não vem aí uma qualquer revolução que atire com esta canalha para o fundo do Tejo!
P.Rufino
PS: tendo o filho que vive lá por fora aterrado ontem para aqui vir passar uns dias connosco, para além de não trabalhar com vista a estarmos mais tempo com ele, pelo menos estes dias de ponte, tive hoje uma prova de como o funcionarismo público funciona bem e é simpático, quando fomos, aqui em Cascais, tratar da renovação do passaporte dele. O que contrasta com a atitude deste governo neo-liberal, que desdenha de quem trabalha para ele e para todos nós. Como foram para a praia, vim até aqui um pouquinho, descansar a minha raiva (contra aquela trupe de caca) ao ler este seu delicioso Blogue.

lidiasantos almeida sousa disse...

UJM - CORROSIVA, IMPLACÁVEL QUE AS SUAS MÃOS NUNCA LHE DOAM POR DESANCAR NOS AL CAPONE E DOM CORLEONE DE TRAZER POR CASA.

Vou parar para ver o Governo Sombra, embora ache que o RAP está a ficar um bocado insonso. Há dias vi um pouco duma coisa que ele faz para o jornal das 8 da TVI - antes falecer - estava a fazer de mulher rústica mas de repente vi o Herman no ocaso da sua carreira. Desliguei o terror da televisão e disse um palavrão.
Viu a Maria do Casal Mariani, vestida de cor lilas a fazer publicidada ao Pirilampo mágico que este ano é lilás? Que NOJO||||