Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sábado, maio 17, 2014

Cate Blanchett, Jane Fonda e Nicole Kidman, mulheres que se destacam na Croisette - Cannes 2014


Se eu não fosse preguiçosa ia agora à procura das fotografias que fiz há uns três anos, salvo erro, quando passei por Cannes. Quem vê as imagens que passam na televisão ou as fotografias da passadeira vermelha, talvez imagine um aparato que, de facto, não existe. A escadaria não tem a extensão que parece e nada daquilo é monumental. É mais a graça de um festival de cinema numa terra do sul de França. Mais piada talvez pudesse ter o Festival de Cinema do Estoril se Portugal apostasse estrategicamente na vertente turística/cultural/cinéfila/etc.

Como praia, Cannes não é nada por aí além e, como terriola, é relativamente pequena. O mar é azul, há uma fauna algo bizarra e há boas casas, bons barcos, boas lojas. Estou agora a lembrar-me de um jantar num pátio interior muito agradável ou do pequeno almoço no jardim de um pequeno hotel.

Tirando isso, Cannes não tem grande história.

Mas o que eu acho não é relevante para aqui porque vou falar de moda.

Cate Blanchett é daquelas artistas de que gosto muito: versátil, com muito charme, aquele charme que vem da inteligência, com uma modernidade intrínseca. Annie Leibovitz que a fotografou diz que é uma mulher com uma plasticidade excepcional. 


Poderia escolher para colocar aqui o belíssimo vestido Valentino que Cate Blanchett usou na passadeira vermelha, mas prefiro escolher o visual cidade. É o estilo de vestuário de que gosto bastante. Usa um conjunto Delpozo. 



Não percebo bem o feitio da parte de cima mas gosto na mesma. Tem pinta. 

Pessoalmente, prefiro as calças mais justas em baixo. Estas são um pouco mais largas do que eu gosto mas, enfim, suportam-se. E o conjunto fica lindamente com os sapatos encarnados. Também gosto imenso de sapatos altos encarnados e justamente deste mesmo feitio: fechados atrás e quase fechados à frente.

E gosto do cabelo natural, despenteado, e dos grandes óculos escuros. Muito bem, como sempre.


A seguir uma mulher que me intriga e fascina: Jane Fonda. 

Aos 76 anos Jane Fonda mantém uma beleza notável. Elegante, esbelta mesmo, muito feminina, Jane Fonda parece intemporal. O vestido é Elie Saab Couture e Angelina Jolie já vestiu um igual noutra cor. Mas o vestido ganha outros contornos, outra força, no corpo e na elegância desta mulher.




Olha-se o seu rosto e, claro, não é o de uma mulher com 45 anos, como Cate Blanchett. 


E já deve ter feito mil plásticas e faz dietas e ginásticas. 

Não interessa. O que quer que tenha feito, fez bem feito. Ainda conserva a s suas feições, os traços do rosto são os mesmos. 

E tem ainda brilho no ollhar, alegria e tem, bolas que quase sinto inveja..., um corpo invejável.



Por contraste, mostro Nicole Kidman que aqui quase parece a Branca de Neve rodeada de anões. É certo que é menina para 1,80 m e, com saltos, ainda fica mais calmeirona (bem que o Tom Cruise penou por causa disso). Na fotografia aqui ao lado, em que veste Armani Privé, toda a gente à sua volta parece que encolheu.


Além disso, a australiana Nicole Kidman - que afinal não é australiana nem se chama Nicole (de facto nasceu no Havai e foi registada como Hokulani) - tantas tem feito que já parece uma boneca.


Olha-se para ela e já me parece aquelas actrizes de Hollywood que se recusam a envelhecer e se vão recauchutando até ao limite do razoável, acabando por ficar artificias e sem glamour.

Estou com uma certa curiosidade para ver o filme Grace Kelly que pôs a principesca família monegasca numa pilha de nervos.

Coloco-a aqui, na galeria dos destaques, não pelos melhores motivos, mas porque está no centro da polémica por protagonizar um filme que está no centro da polémica.


Grace de Mónaco - trailer




*

1 comentário:

lino disse...

A Nicole Rapazhomem está em cima de que?
Beijinho