Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

domingo, março 09, 2014

Google e Facebook apostam na inteligência artificial e em menos de 10 anos um smartphone será capaz de conduzir e estacionar um carro. Quanto ao resto não sei, mas isto do telemóvel a dar-me boleia ou a estacionar o carro por mim parece-me bem.


Assim é que eu gostava de andar de carro:
 écharpe ao vento, descansada da vida,
e alguém a fazer o trabalho sujo por mim.


No outro dia fui ter uma reunião a um edifício que tem parque de estacionamento privativo. Mal entrei comecei a ver o caso mal parado. Eram colunas por todo o lado e manifestamente onde não deviam, era pouco espaço por todo o lado, eram curvas impossíveis.

Fiz manobras para a frente e para trás e já estava num desespero, a hora da reunião a aproximar-se e eu naquele festival. O carro é grande, o que só me complica a vida quando estou em apertos destes.

Consegui colocar o carro de uma maneira em que já estava trancado por todo o lado. Os pneus a roçarem no pavimento faziam uma chiadeira desgraçada. Às tantas apareceu-me um senhor da portaria que veio lá de cima, do piso 0, ver o que se passava. Mal o vi, saí do carro e declarei a minha impotência. Pedi que me arrumasse ele a porcaria do carro. Disse que achava melhor não. Percebi-o, num nó górdio daqueles ainda me riscava o carro e ficava com esse peso na consciência.

Então disse-me que me metesse no carro que ele ajudava.

Ajudou mas o carro já estava numa situação irreparável, nem para a frente, nem para trás. Então desistiu e voltou a subir ao piso 0. Pensei 'Bonito. Desistiu. Que bela barraquinha, sim senhora. E agora como é que me vou sair destas?'.

Passado um bocado o homem voltou e disse-me 'Venha de marcha atrás na direcção da saída, vá que eu ajudo, depois curve e suba até à rua de marcha atrás. Deixe o carro na rua, no sítio das descargas.'

Respirei de alívio mas ainda pensei 'Vamos lá a ver é se consigo tirar o carro daqui e levá-lo de marcha atrás a subir e em curva'. Mas pensei que não tinha alternativa. Respirei fundo e, muito devagar, ridiculamente devagar, com o simpático senhor a orientar-me, lá consegui voltar ao ponto de partida.

E ali ficou, pois, na rua, no sítio das descargas.

Vejo agora a notícia de que a Google o Facebook estão a investir à força toda na inteligência artificial. 


Transcrevo:

Robôs e sistemas operativos capazes de aprender com a experiência, dialogar, dizer piadas e até seduzir. Dentro de poucos anos, tudo isto deixará de ser ficção científica. Os gigantes tecnológicos estão a investir como nunca nesta área.
Em declarações em exclusivo ao Expresso, Yann LeCunn, professor da Universidade de Nova Iorque e responsável do Facebook pelo recém-criado laboratório de Inteligência Artificial, revela que a empresa está interessada em construir "máquinas que consigam compreender as pessoas e dialogar com elas, ajudando-as no seu dia a dia". 

E a notícia continua na edição em papel, explicando que uma das áreas em que também estão a apostar com objectivos muito claros é em dotarem os smartphones de capacidade de conduzirem automóveis e que os testes que têm estado a ser feitos revelam que têm pouco acidentes quando comparados com pessoas.


Alinho. Vou nessa.

Já me estou a ver a chegar de manhã ao carro, a reclinar-me no banco de trás para dormir um bocadinho ou para ler, armada em doutora da mula russa e a mandar o telemóvel, 'Bora lá, para o emprego'. E à chegada, armada em marquesa, 'deixe-me sair e arrume o carro depois.' E o telemóvel, obediente, a fazer o servicinho de chauffeur.

Já agora, e sabendo das figurinhas deprimentes que faço quando tenho que arrumar o carro em situação de aperto ou paralelamente ao passeio em lugares à justa ou a subir, daqui manifesto a minha solidariedade às minhas sisters in arms que aparecem no vídeo abaixo em situações hilariantes. O que eu já aqui me ri.


Woman Driving - Best Fail Compilation -2013



**

Quanto ao resto, isto de um computador ou telemóvel a armar-se em bom comigo, já me faz um bocado de impressão.


***

As fotografias que acompanham o texto mostram manobras incompreensíveis levadas a cabo por mulheres.


Sem comentários: